Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




inclusao.jpg

 

por Susana Peix
Colaboradora em BiblogTecarios. Escritora, bibliotecária, assessora especialista em literatura infantil, deficiência e acessibilidade. Dirigiu um programa de rádio e assessorou uma produtora de cinema.

 

Biblioteca inclusiva

Para uma biblioteca ser inclusiva não basta eliminar barreiras arquitetónicas. A cadeia de acessibilidade começa na casa do utilizador passa pela via pública e pelo uso ou não de transporte até a entrada da biblioteca. Uma vez dentro da biblioteca, devemos continuar até atingir o nosso objetivo.

Essa cadeia de acessibilidade não deve ser quebrada em nenhuma das suas ligações e, uma vez na biblioteca, bibliotecários e bibliotecárias têm uma tarefa importante a desempenhar: que os serviçosatividades  e coleções documentais sejam acessíveis.

 

O que é uma cadeia de acessibilidade?

É o conjunto de ações que uma pessoa planeia realizar, desde o ponto de partida até ao seu objetivo que inclui circulação, abordagem, acesso, uso, etc. Feito  com independência, facilidade e sem interrupções .

desenho de uma cadeia de acessibilidade

Se alguma dessas ações não for possível, a cadeia é cortada e o itinerário, espaço ou situação fica inacessível .

 

Por onde começo?

Esta pergunta é muito mais fácil de responder do que pensa. Em primeiro lugar devemos Mudar o chip!

 

Está claro que as bibliotecas  não vão passar de não inclusivas a inclusivas da noite para o dia, mas está nas nossas mãos avançar na direção da acessibilidade . Mudar o chip significa pensar em cada uma das ações que fazemos todos os dias: um novo serviço, organizar uma atividade, fazer uma seleção de coleções de documentários, desenhar um panfleto de divulgação...

 

Se cada vez que um de nós, para realizar essas ações, parar um momento para pensar sobre como satisfazer as necessidades de grupos com deficiência estaremos a dar um passo para a acessibilidade e, assim, para a inclusão.

 

Antes de executar qualquer uma dessas ações, devemos considerar e responder a algumas perguntas:

  1. Quais os grupos com deficiências que podem ser de interesse? -> Utilizadores-alvo
    1. Pessoas cegas ou com baixa visão?
    2. Pessoas surdas ou com deficiência auditiva?
    3. Pessoas com deficiências cognitivas?
  2. Como posso chegar até eles?
    1. Conheço as associações ou outras entidades na minha cidade ou área?
    2. Posso localizá-las?
  3. Como posso torná-lo/a mais acessível?
    1. Adaptando o folheto de divulgação? Letras grandes e com cores contrastadas? Leitura fácil? Áudio? Braille? Evitar imagens sem atributos? PDF acessível?...
    2. Interpretando a atividade em linguagem gestual?
  4. Que documentos posso oferecer para cobrir todas as necessidades de leitura e cultura?
    1. Leitura Fácil?
    2. Livros de áudio
    3. Livros em Leitura Fácil? Pictogramas? Língua de sinais?
    4. Filmes com audiodescrição?

 

A lista de perguntas pode ser muito mais ampla. Temos que parar um momento para refletir. Mas para isso, a formação é essencial . Essa é a única maneira de saber quais são as necessidades de leitura e acesso à informação ou ao prazer dos diferentes grupos com deficiência.

É inútil ter novas tecnologias na biblioteca se não soubermos a que grupos ela pode ser útil.

 

O primeiro passo para a inclusão de bibliotecas é realizar uma auditoria

Ter uma empresa especializada que analise tudo e mostre quais são os nossos pontos fortes e fracos. Isso faz-nos refletir. Saber onde estamos e para onde precisamos ir leva-nos a priorizar as ações mais importantes que devem ser executadas (especialmente quando não cumprimos o normativo vigente).

 

Dez coisas que devemos saber sobre pessoas com deficiência

  1. Uma elevada percentagem de pessoas com deficiência podem ter acesso à leitura, cultura, informação,  e às atividades e serviços oferecidos pelas bibliotecas, com o apoio necessário.
  2. Pessoas surdas não conseguem ler um livro convencional, mas podem ler um livro em Leitura Fácil.
  3. Todos podemos assistir a um filme com legendas adaptadas para pessoas surdas.
  4. Se dominam a língua gestual, podem desfrutar de muitas das atividades oferecidas pelas bibliotecas, se  interpretadas em linguagem gestual.
  5. Pessoas com baixa audição podem aproveitar as atividades da biblioteca se ela tiver um anel magnético instalado.
  6. As pessoas cegas podem ler um livro convencional se tiverem um digitalizador de texto.
  7. Os leitores de ecrã não podem ler imagens (por isso, é importante dotá-los de atributos que se possam ser lidos). Sim, você pode ler um pdf acessível.
  8. Existem lupas manuais e lupas digitais para facilitar a leitura por pessoas com baixa visão.
  9. Pessoas com deficiências cognitivas (se não muito severas) podem ler livros em Leitura Fácil, livros com pictogramas ou livros ilustrados.
  10. Também podem desfrutar de um filme convencional, com áudiodescrição ou com música que é oferecida em bibliotecas.

 

*Traduzido do espanhol.

Referência: Peix, V. (2019). Biblioteca inclusiva... ¿Por dónde empiezo? - BiblogTecariosBiblogTecarios. Retrieved 13 March 2019, from https://www.biblogtecarios.es/susanapeix/biblioteca-inclusiva-por-donde-empiezo-accesibilidad/

Autoria e outros dados (tags, etc)

rbe.PNG

As candidaturas RBE 2019 visam integrar novas bibliotecas na RBE, apoiar experiências inovadoras e consistentes no âmbito da promoção da leitura e do digital e difundir as boas práticas das bibliotecas.

 

Com o propósito de reconhecer o valor dos projetos aprovados pela Rede de Bibliotecas Escolares, no âmbito da Candidatura RBE 2019, e contribuir para a reflexão, disseminação de ideias e transformação da comunidade escolar e educativa, tendo por base a ação com as bibliotecas, a Rede de Bibliotecas Escolares promove um encontro intitulado “Novas dinâmicas em bibliotecas escolares: projetos inovadores”.

 

A cerimónia pública de apresentação das escolas selecionadas no âmbito das candidaturas 2019 terá lugar no auditório da Escola Secundária Eça de Queirós (Lisboa), no dia 22 de Março de 2019, entre as 14:00h e as 17:30 h.

Autoria e outros dados (tags, etc)

poesia.jpg

 

Hoje, dia 21 de março, celebra-se o Dia Mundial da Poesia. Este dia foi criado, em 1999, na 30.ª Conferência Geral da UNESCO.

Aqui pode ler a Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO para este dia, este ano.

 

Para assinalar o Dia Mundial da Poesia a Rede de Bibliotecas Escolares partilha um conjunto de poema de diversos autores da poesia portuguesa, um artigo e alguns e-books. 

 

 

E-books:

Autoria e outros dados (tags, etc)

mov_gentil.PNG

Ver o vídeo na fonte.

 

O que é a Gentileza? O que é ser solidário?

A ação da... e na biblioteca escolar: A importância da partilha. Ler , partilhar leituras, para quê?

 

Veja o vídeo. A Gentileza, a solidariedade e a leitura, na prática destes alunos!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Palmela_cartaz.jpg

Programa | Ficha de inscrição

 

A Biblioteca Municipal de Palmela recebe, nos dias 22 e 23 de março, o I Encontro de Bibliotecas Escolares do Concelho de Palmela, numa iniciativa da Câmara Municipal de Palmela com o apoio do Grupo de Bibliotecas Escolares do concelho.

 

Estruturado em três painéis, o programa deste Encontro integra um conjunto diversificado de comunicações e cinco workshops (Maletas da Sustentabilidade; Desperdício Zero! Vai tudo para o pop-Up!; Os Lugares que habitamos; Livros em Miniatura e Pegada Digital, uma problemática do nosso tempo), que convidam à reflexão sobre a temática da sustentabilidade, transversal aos vários setores da sociedade e onde as Bibliotecas Escolares assumem um papel importante de responsabilização. O programa integra, ainda, uma homenagem aos professores bibliotecários e coordenadores interconcelhios do concelho, uma mesa redonda com escritores e ilustradores e a conferência de abertura “Reflexões para uma cultura regenerativa”, por Gil Penha-Lopes (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa).

 

Mais informações e inscrições através do e-mail bibliotecas@cm-palmela.pt (indicar nome completo, entidade, profissão, contacto telefónico e e-mail). Cada inscrito pode participar num workshop na parte da manhã e noutro, no período da tarde.

 

Referência: CM Palmela / I Encontro das Bibliotecas Escolares do Concelho aborda Sustentabilidade. (2019). Cm-palmela.pt. Retrieved 17 March 2019, from https://www.cm-palmela.pt/pages/1717?news_id=5637

 

NOTA: para preenchimento do ficheiro Ficha de inscrição - I Encontro de Bibliotecas Escolares.pdf devem ser observados os seguintes passos:

- Utilizadores do Adobe Reader: devem clicar no botão “Submeter” existente no fim do questionário, e enviar o email usando o aplicativo padrão de email (Outlook);

- Utilizadores do Foxit Reader: podem fazer o envio do questionário de duas formas:

1 - Gravar o questionário depois de preenchido, enviando-o depois por Outlook (como anexo) para o endereço bibliotecas@cm-palmela.pt;

2 - Desativar a predefinição de segurança (Menu Arquivo/ Gerenciador de Confiança/ desativar o modo de leitura seguro) e submeter usando o botão existente no questionário. Para esta segunda forma podem, caso seja necessário, pedir apoio ao Helpdesk.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ken Robinson | Educador e escritor

 

 

Referência: "Tenemos una poderosa imaginación". (2019). BBVA Aprendemos Juntos. Retrieved 15 March 2019, from https://aprendemosjuntos.elpais.com/especial/que-hace-falta-para-ser-un-buen-profesor-ken-robinson/

Autoria e outros dados (tags, etc)

miudos.png

 

Depois da animada campanha eleitoral que se realizou entre 28 de janeiro e 13 de março de 2019, têm hoje lugar as eleições para eleger os "Livros mais fixes".

 

A VISÃO Júnior e a VISÃO fizeram a cobertura da campanha eleitoral e deram espaço aos candidatos, tanto nas suas edições impressas como nos seus sítios web e nas redes sociais.

 

Para rever os momentos especiais da campanha, consultar o sítio da Visão Júnior.

 

A transmissão dos tempos de antena pela Rádio Miúdos ainda pode ser ouvida em podcast.

 

A Comissão Nacional de Eleições acompanha todo o processo eleitoral e esclarece dúvidas aqui>>.

 

Os resultados nacionais serão divulgados no dia 31 de maio, na cerimónia que terá lugar na Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa.

 


Veja também: Miúdos a votosLivros nomeadosComo votarInstruções para a contagem dos votos

Autoria e outros dados (tags, etc)

foto_dar.png

Dar a Ler.

 

Aconteceu ontem na livraria Menina e Moça, em Lisboa. Teresa Calçada e Isabel Alçada mostr(ar)am-nos como as suas vidas estão indissociavelmente ligadas e marcadas pelos livros, pelas leituras e pelas bibliotecas. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um comício em que se falou d' Os Maias, «aquele calhamaço que nos obrigam a ler na escola», e de Harry Potter, uma grande metáfora da II Guerra Mundial. Bem-vindos ao comício final de «Miúdos a Votos» na Escola Braamcamp Freire, em Lisboa, que teve um convidado especial, o secretário de Estado da Educação

 

 

A biblioteca da Escola Braamcamp Freire, na Pontinha, arredores de Lisboa, está completamente a abarrotar. As cadeiras não chegam para os adolescentes que vieram assistir ao comício final de Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?, uma iniciativa da VISÃO Júnior e da Rede de Bibliotecas Escolares, que cruza leitura com cidadania.

 

Há um convidado especial, o secretário de Estado da Educação, João Costa, sentado na primeira fila, bem perto de Diogo e Ana, os apresentadores da sessão, alunos do 10º ano, e à frente da mesa onde se sentam os partidários de cada livro. Para chegar à biblioteca, o secretário de Estado passara pelos corredores forrados com cartazes e propaganda eleitoral dos livros que recrutaram apoiantes em turmas de 8º, 10º, 11º e 12º anos, deixando adivinhar que o comício ia ser muito concorrido. É a segunda vez que a escola participa em «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?».

 

 
A professora responsável pela biblioteca, Fátima Pinto, começa por esclarecer que desenvolver este trabalho só foi possível graças à articulação curricular, ou seja, ao facto de professores de várias disciplinas terem trabalhado em conjunto. A apresentação feita no comício será também um elemento de avaliação dos alunos.

 

Seguem-se os 'tempos de antena' dos 11 grupos de apoiantes de livros, muito bem preparados (e das quais o vídeo mostra excertos).

 

No final, o secretário de Estado da Educação, João Costa, dá os parabéns a todos os alunos. «Parabéns sobretudo por tentarem contagiar os vossos colegas com a leitura. Fiquei muito emocionado e contente com, mais do que os livros, terem abordado os temas de que as histórias falam, e que são histórias de pessoas que sofreram. Através da leitura, tornamo-nos mais sensíveis ao valor da liberdade, da importância da luta contra as guerras; o Harry Potter, por exemplo, é uma grande metáfora da II Guerra Mundial. O mais valioso que temos é a nossa liberdade. E quanto mais lemos, mais livres somos.»

 

A campanha está ao rubro em todo os país. Podem acompanhá-la aqui:  http://visao.sapo.pt/visaojunior/miudos-a-votos
 
Porque as eleições são já esta 6ª feira, dia 15, ficam aqui as instruções para a contagem dos votos.
 
 
Referência: «Quanto mais lemos, m., & Na Escola Básica Manuel António Pina, j. (2019). «Quanto mais lemos, mais livres somos»Jornal visao. Retrieved 13 March 2019, from http://visao.sapo.pt/visaojunior/2019-03-13-Quanto-mais-lemos-mais-livres-somos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:

Pág. 1/3



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor