Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




























Ainda vai a tempo: a feira Livrices e Leituríadas, em Arruda dos Vinhos, só termina a 22 de dezembro.

Autoria e outros dados (tags, etc)



(...) A avaliação em leitura feita pelo PIRLS é suportada por uma framework que contempla finalidades e processos de compreensão da leitura, para o 4.º ano. São duas finalidades abrangentes da leitura: literária - ler como experiência literária e informativa - ler para adquirir e utilizar informação. Estas finalidades são cruzadas na análise do desempenho dos alunos com os principais processos de compreensão da leitura – Reter e fazer inferências diretas e Interpretar e integrar e avaliar. (...)

O PIRLS estabeleceu 4 níveis de desempenho a partir das seguintes benchmarks: Advanced international benchmark (625), High international benchmark (550), Intermediate international benchmark (475), and Low international benchmark (400). Estes quatro pontos na escala internacional originaram uma descrição de quatro níveis de desempenho (...) 



Os quatro países com melhor desempenho global – Hong Kong, Federação Russa, Finlândia e Singapura-, juntamente com a Irlanda do Norte, a Inglaterra e os Estados Unidos, são também os que têm uma distribuição mais elevada pelos dois níveis superiores de benchmark: entre 17% e 24% dos seus alunos alcançam o nível avançado e são entre 54% e 67% os alunos que atingem o nível elevado (...). 

Em Portugal 9% dos alunos do 4.º ano atingem o nível avançado e 47% o nível elevado, o que se insere no intervalo de 8% a 15% que enquadra a distribuição dos alunos que atingem o nível avançado nos países que tiveram um desempenho semelhante ao de Portugal e no intervalo de 44% a 49% para os que atingiram o nível elevado (...)




Há 98% dos alunos portugueses do 4.º ano que atingem o nível mais baixo de benchmark (≥400 pontos), i.e., conseguem localizar e retirar informação de diferentes partes de um texto, 84% alcançaram o nível intermédio, o que significa que mais de 4/5 dos alunos portugueses são capazes de fazer inferências diretas a partir de um texto, e 47% atingem o nível elevado, que corresponde a serem capazes de fazer inferências e interpretações baseando-se no texto; há 9% dos alunos que atingem o nível avançado, o nível de maior complexidade da escala, que envolve integrar ideias e informação para apresentar argumentos e explicações. (...)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:



(...) São 33 os países (ou regiões) que desempenham acima do ponto médio da escala PIRLS (500 pontos) e são 12 aqueles cujo desempenho é inferior a 500 pontos. A pontuação máxima foi de 571 pontos (Hong Kong) e a pontuação mínima de 310 pontos (Marrocos). Os países que têm melhor desempenho são Hong Kong, Federação Russa, Finlândia e Singapura (cf. Figura 1). Depois destes quatro países do topo da tabela, que se destacam em quase 10 pontos do quinto país da lista, são sete os que têm um desempenho superior a 550 pontos: Irlanda do Norte (558), Estados Unidos da América (556), Dinamarca (554), Croácia (553), Taipé Chinesa (553), Irlanda (552) e Inglaterra (552) (...).




















(...) Portugal participou apenas em 2011 pelo que não figura na análise das tendências ao longo dos três ciclos do estudo. (...)

Fonte: PIRLS 2011: desempenho em leitura

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:













(...) São 27 os países (ou regiões) que têm desempenho acima do ponto central da escala TIMSS (500 pontos) e são 23 aqueles cujo desempenho lhe é inferior. A pontuação máxima foi de 606 pontos (Singapura) e a pontuação mínima de 248 pontos (Iémen). Os países da Ásia Oriental são os que têm melhor desempenho – Singapura, Coreia, Hong Kong, Taipé chinesa e Japão (...).






















(...) Portugal encontra-se entre os 12 países que melhoraram o seu desempenho em 2011, relativamente a 1995 (...).


Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:












(...) São 30 os países (ou regiões) que têm desempenho acima do ponto médio da escala TIMSS (500 pontos) e são 20 aqueles cujo desempenho é inferior a 500 pontos. A pontuação máxima foi de 587 pontos (República da Coreia) e a pontuação mínima de 209 pontos (Iémen). Os países que têm melhor desempenho são Coreia, Singapura, Finlândia, Japão, Federação Russa e Taipé Chinês. Quatro dos seis países com melhor desempenho pertencem à Ásia Oriental, incluindo os dois que encabeçam a lista do ranking – Coreia e Singapura (583) - que se destacam em mais de 10 pontos do terceiro país da lista, a Finlândia (570) (...).


















(...) Portugal encontra-se entre os 8 países que melhoraram o seu desempenho em 2011, relativamente a 1995 (...).


Fonte: TIMSS 2011: desempenho em ciências

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:











Desde finais da década de 90 que Portugal participa em estudos internacionais que avaliam o desempenho dos alunos em matemática, leitura e ciências. Um dos programas mais conhecidos é o PISA, dirigido a alunos com 15 anos de idade  e que se realiza de 3 em 3 anos. Os resultados portugueses no último PISA (2009) podem ser conhecidos aqui.

Outros estudos de âmbito internacional são o TIMSS - Trends in International Mathematics and Science Study, que se efetua com intervalos de 4 anos e o PIRLS - Progress in International Reading Literacy Study, com um ciclo de 5 anos e ambos tendo por sujeitos alunos do ensino básico. Foram recentemente  divulgados os resultados destes últimos estudos, aplicados ao 4º ano de escolaridade. Em qualquer um dos domínios – matemática, ciências ou leitura - Portugal pode sentir-se orgulhoso do desempenho obtido:

Matemática - 532 pontos - 15º lugar (em 50)
Ciências - 541 pontos – 19º lugar 
(em 50)
Leitura - 541 pontos – 19º lugar (em 45)

Em 1995, Portugal também integrou o TIMSS. Comparando os resultados verificamos que, em  Matemática,  Portugal foi o país onde a melhoria dos resultados foi mais acentuada, passando de 442 pontos em 1995 para 532 em 2011. No domínio das Ciências, também houve uma  melhoria significativa de 70 pontos.

Relativamente ao PIRLS, foi a 1ª vez que os alunos portugueses participaram. Mas registe-se que a pontuação obtida é igual á dos 3 países nos lugares imediatamente acima – Itália (541 pontos); Alemanha (541 pontos);  e Israel (541pontos).

Congratulamo-nos, pois, com os resultados obtidos e endereçamos os nossos parabéns a todos os responsáveis, muito particularmente aos que dia a dia, no terreno, mais se esforçam por bons desempenhos escolares: os professores e os alunos.

Pode consultar as sínteses, em português, do TIMSS & PIRLS 2011:  MatemáticaCiênciasLeitura.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Autoria e outros dados (tags, etc)

























Autores presentes na sessão de autógrafos: Adelina Velho da Palma; Carlos Oliveira; Fátima Santos; José Luís Vieira; Maria João Gomes; Rafael Santos; Rita Cardoso.

Autoria e outros dados (tags, etc)










O Pavilhão do Conhecimento-Ciência Viva organiza no próximo dia 20 de Dezembro, quinta-feira, às 17.30, a 1.ª Conferência de Natal, este ano em parceria com o Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP)

Os convidados serão o físico português João Magueijo e Sergio Bertolucci, Director de Investigação e Computação Científica do CERN

Entrada gratuita


Ler mais >>

Autoria e outros dados (tags, etc)















Estão abertas inscrições, até 7 de janeiro de 2013, para o 19º Colóquio da Lusofonia, que decorrerá de 14 a 17 de março em São Miguel, Açores. Já estão confirmadas as presenças de: Dom Ximenes Belo, Prémio Nobel da Paz 1996; Dr. Gilvan Muller de Oliveira, Diretor Executivo do Instituto Internacional da Língua Portuguesa; Dra Ana Paula Laborinho, Presidente do Instituto de Cooperação e Língua (ex Instituto Camões); e  Dr Luiz Fagundes Duarte, Secretário Regional da Educação, Ciência, Cultura dos Açores. 
Será homenageado o escritor Álamo Oliveira.

Programa e inscrições >>

Autoria e outros dados (tags, etc)



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor