Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogue RBE

Seg | 08.11.21

Bibliotecas Verdes: edifício e gestão

2021-11-08.png

De acordo com o Online Dictionary for Library and Information Science [Dicionário em Linha para Biblioteca e Ciência da Informação]1, Biblioteca Verde (Green Library) ou Sustentável (Sustainable Library) é:

- “Uma biblioteca concebida para minimizar o impacto negativo no ambiente natural e

- maximizar a qualidade ambiental interior através de

  • cuidadosa seleção do local,
  • utilização de materiais de construção naturais e produtos biodegradáveis,
  • conservação dos recursos (água, energia, papel)
  • e eliminação responsável dos resíduos (reciclagem, etc.).”

Porém, de acordo com a International Federation of Library Associations and Institutions [Federação Internacional de Associações e Instituições Bibliotecárias] (IFLA), cuja estratégia orienta a ação da Rede de Bibliotecas Escolares, para que uma biblioteca possa ser sustentável não basta o edifício e gestão, é necessário “serviços, atividades e projetos relacionados, demonstrando o papel social e a responsabilidade das bibliotecas como exemplos, capacitadores e educadores na comunidade2 e estes serão objeto dos próximos artigos desta série.

Na IFLA é a ENSULIB (Environment, Sustainability and Libraries) a secção responsável por “encorajar os bibliotecários a inspirarem as suas comunidades para uma forma de ação ambientalmente mais sustentável, fornecendo materiais sobre biblioteconomia verde, dando voz aos bibliotecários verdes e aos projetos de bibliotecas em todo o mundo, liderando pelo exemplo e oferecendo um fórum de discussão” 3.

Sobre edifícios, equipamentos e gestão sustentáveis a IFLA criou lista de verificação 4, em diversos idiomas, entre os quais português, que baseia as decisões da biblioteca em 12 critérios, nos quais destacamos alguns aspetos:

 

1. Planeamento e finanças

2. Procedimentos

- Desenvolver uma visão holística das questões de sustentabilidade;

- Definir a pegada ecológica e objetivos específicos ambientais da biblioteca.

3. Localização

Considerar condições climáticas, ruído, acessos, possibilidade de utilização de transportes públicos e pessoais (bicicletas, trotinetes).

4. Construção

Usar matérias-primas renováveis, duráveis, reparáveis, de abastecimento local.

5. Edifício

Minimizar o consumo de energia usando exposição solar indireta e vidros baços para proteção solar, delimitando zonas com diferentes finalidades, usando sistema de iluminação com sensores de movimento e controlo individual de luz nos lugares de leitura; proporcionar manutenção fácil, ventilação natural evitando ar condicionado, isolamento térmico, equipamento para diminuição de uso de água e energia e conceber soluções inovadoras.

6. Acessórios de interiores

Utilizar para os móveis da biblioteca materiais renováveis e reutilizáveis, móveis modulares e que permitam uma gestão flexível do espaço.

7. Tecnologia verde de informação e comunicação (Green IT)

Usar tecnologia que reduza o impacto dos recursos digitais no ambiente, mediante consumo de menos energia (stand-by), de matérias-primas menos tóxicas, reutilizáveis, reparáveis, sem gasto de papel (arquivo digital) e tinteiros.

8. Serviços ao utilizador

Proporcionar serviços de reprografia que deem primazia ao digital em vez do impresso e à impressão frente e verso e a preto e branco. Usar alternativas do comércio justo para objetos de plástico (sacos, copos), emprestar outros objetos para além do livro (computadores portáteis e tablets, calculadoras, tesouras…).

9. Gestão da biblioteca

Na gestão das instalações fomentar redução, separação e reciclagem de lixo (papel e embalagens, pilhas…), uso parcimoniosa e ecológica de lâmpadas LED e materiais de limpeza e desinfeção que preservem a saúde humana e ambiental, abastecimento através de fornecedores locais certificados e formação dirigida a trabalhadores e utilizadores.

10. Objetivos estratégicos

Promover a transparência do custo de energia e outros recursos que gera consciencialização, controlo e redução do consumo.

11. Marketing e relações públicas

Sob a divisa: “uma imagem verde é uma boa imagem”, as bibliotecas devem informar e comunicar com e para parceiros e atividades ecológicas, dar o exemplo, antecipar soluções criativas e influenciar utilizadores e parceiros (livreiros, editores, fornecedores, autarquia) e nos seus documentos, notícias e relatórios informar sobre progressos alcançados e desafios.

12. Certificados

Para além dos edifícios serem em Portugal obrigatoriamente avaliados através do Sistema de Certificação Energética (SCE), há sistemas de gestão e certificação internacionais voluntários, por exemplo:

- LEED (Leadership in Energy and Environmental Design [Liderança em Energia e Design Ambiental] - USA): o sistema de classificação mais utilizado em todo o mundo, desenvolvido e administrado pelo United States Green Building Council para avaliar a sustentabilidade em diversas áreas;

- ISO [International Organization for Standardization / Organização Internacional de Normalização] 14000, norma que estabelece diretrizes sobre gestão ambiental nas empresas 5.

Os certificados e prémios de sustentabilidade obtidos devem ser tornados públicos na biblioteca física e digital.

Em síntese, apesar do professor bibliotecário focar habitualmente a sua ação nas atividades e projetos sustentáveis com e para as crianças e jovens, estes 12 critérios são áreas em que pode sensibilizá-los a colaborar, criar, discutir, pôr em prática e contar a experiência para disseminar e recolher contributos para melhorar. A visão da sustentabilidade para os desafios do século XXI deve ser ampla e multissectorial, podendo os parceiros ajudar a identificar problemas e implementar soluções que exijam conhecimento especializado.

Na gestão e dinamização da biblioteca escolar incorpora e mobiliza ações nestas áreas? Há outros critérios a ter em conta na criação de uma biblioteca verde? Partilhe com todos a sua experiência e conhecimento, através deste formulário.

 

Referências

1. ABC-CLIO, LLC. (2021). Online Dictionary for Library and Information Science. https://products.abc-clio.com/ODLIS/odlis_s.aspx#sustainablelib

2. International Federation of Library Associations and Institutions. (2021, 19 August). WLIC 2021 Virtual Conference Open Programme by the ENSULIB Section. http://origin-www.ifla.org/node/94104?og=479

3. International Federation of Library Associations and Institutions. (2021, 2 March). Environment, Sustainability and Libraries Section. http://origin-www.ifla.org/environment-sustainability-and-libraries

4. Werner, K. (2013). Sustainable buildings, equipment, and management. A checklist. https://www.ibi.hu berlin.de/de/studium /studprojekte/buchidee/bi12/ checklist

5. Les normes les plus connues: ISO 14000 - Management Environnemental. https://www.iso.org/fr/iso-14001-environmental-management.html

 

Fonte: International Federation of Library Associations and Institutions. (2021). Environment, Sustainability and Libraries Section. http://origin-www.ifla.org/environment-sustainability-and-libraries