Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



mapeamento.jpg

 

A proposta de lei para a Idade de consentimento RGPD em Portugal: 13 anos

 

Quando faltam menos de dois meses para a aplicação do RGPD, muitos dos Estados-Membros estão ainda no limiar do processo legislativo de implementação. Esta atualização do mapeamento da implementação do artigo 8º do RGPD reflete os desenvolvimentos mais recentes em relação à idade de consentimento que foi escolhida em 19 dos 28 Estados-Membros da UE.     

 

O Artigo 8 do Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) contém requisitos específicos relativos ao consentimento para o processamento de dados pessoais de crianças. A regra geral prevê um requisito de consentimento parental para todos os jovens com menos de 16 anos em situações em que os serviços da sociedade da informação lhes são oferecidos diretamente, e o consentimento é o fundamento de legitimação em que se confia. 1No entanto, os Estados-Membros podem optar por desviar-se e decidir reduzir o limiar de idade para 15, 14 ou 13 anos. Em preparação para a implementação do GDPR, foram publicados em toda a UE os atos nacionais de implementação (draft), consultas nacionais ou orientações de Autoridades de Proteção de Dados (DPAs). Embora ainda em muitos países nenhuma decisão final tenha sido tomada, a nossa pesquisa sobre uma seleção de abordagens nacionais, baseada em documentos oficiais e públicos, mostra que uma paisagem fragmentada continua a emergir.    

 

Desde a última atualização do mapeamento em fevereiro de 2018, vários desenvolvimentos foram observados. Na Bélgica , Finlândia e Grécia, as propostas sobre a idade de consentimento para crianças foram apresentadas. Além disso, a República Checa mudou a sua decisão anterior e aumentou a idade escolhida para 15. Em França , as discussões entre a Assembleia Nacional e o Senado estão em curso. Os desenvolvimentos em Chipre devem ser incluídos na próxima edição do mapeamento quando os documentos oficiais forem publicados.

 

Bélgica
Em fevereiro de 2018, o Secretário de Estado belga para a privacidade propôs estabelecer a idade de consentimento em 13 anos. Referindo-se ao RGPD e à possibilidade de os Estados-Membros derrogarem a partir de 16 anos no artigo 8 RGPD, o Secretário de Estado da Privacidade afirmou que "digital é o novo normal" e que a idade de 13 para o consentimento das crianças em relação ao os serviços da sociedade da informação correspondem à realidade do uso da internet pelas crianças.

 

A Comissão Belga de Privacidade, a autoridade nacional de proteção de dados, manifestou o seu apoio à decisão de definir 13 como a idade de consentimento para as crianças. 

 

De acordo com a Comissão de Privacidade, redes sociais e outros serviços fazem parte do desenvolvimento social das crianças, mas esforços adicionais para ensinar as crianças desde cedo sobre os riscos de partilhar informações devem ser empreendidas. Como as crianças são mais vulneráveis, o processamento dos seus dados devem continuar a ser objeto de atenção especial para empresas que oferecem serviços digitais para crianças. Atualmente, o trabalho sobre o projeto de lei belga sobre a implementação do RGPD continua e ainda precisa ser discutido no Parlamento.

(...)

 

Ler mais >>

 

Better Internet for Kids - Mapping the GDPR age of consent across the EU: April 2018 update

Referência: Better Internet for Kids - Mapping the GDPR age of consent across the EU: April 2018 update. (2018). Betterinternetforkids.eu. Retrieved 24 April 2018, from https://www.betterinternetforkids.eu/web/portal/practice/awareness/detail?articleId=3017751

Autoria e outros dados (tags, etc)

intelligenceartificielle-300x201.jpg

 in NetPublic |

 

O quotidiano económico Les Echos consagrou uma das suas séries de verão de 10 artigos, a um dossiê informativo sobre a inteligência artificial sob o prisma de uma saga : Petite histoire de l’intelligence artificielle, publicado em agosto de 2017.

 

A inteligência arificial explicitada

 

Através de invenções que pontuam ritmos e avanços tecnológicos, retratos de grandes nomes da IA (pesquisadores ...), atores económicos que investiram em inovações no campo (IBM, Facebook , Google, Amazon ...), Les Echos disponibiliza uma série de artigos fascinantes para entender melhor, através de datas-chave, o que fundou e o que é inteligência artificial para melhor refletir sobre seu futuro.

 

A História da Inteligência Artificial em 10 artigos

1950 : Alan Turing imagine la machine intelligente

1956 : Et l’intelligence artificielle devint une science

1957 : Le Perceptron, première machine apprenante

1968 : Avec Kubrick, l’IA devient star de cinéma

1973 : Le premier « hiver » arrive sur l’IA

1997 : Kasparov s’incline face à Deep Blue

2011 : Avec Watson, IBM remporte « Jeopardy ! »

2013 : Les GAFA se ruent sur le « machine learning »

2016 : Google devient maître du go

2017 : Alexa, la voix d’Amazon

 

Licence : Lire la licence dans une nouvelle fenêtre Creative Commons by-nc-sa
Géographie : France

 

Referêrencia: NetPublic » Petite histoire de l’intelligence artificielle : 10 dates et articles clésNetPublic » Petite histoire de l’intelligence artificielle : 10 dates et articles clés. (2018). Netpublic.fr. Retrieved 23 April 2018, from http://www.netpublic.fr/2017/08/petite-histoire-de-l-intelligence-artificielle/ 

 

Conteúdo relacionado:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

votos.jpeg

 foto de Marcos Borga |

 

Finda a campanha eleitoral e após um dia de reflexão, realizam-se hoje, Dia Mundial do Livro, as eleições em que os alunos portugueses, do 1.º ao 3.º ciclo vão escolher os seus livros favoritos.

 

Depois de todas as ações que levaram a cabo para defendederem os "seus" livros, chegou o dia aguardado com grande expectativa. Em cada escola, os resultados podem ser conhecidos logo que o apuramento esteja feito, mas, a nível nacional, oe eleitos só serão conhecidos na cerimónia pública que terá lugar no dia 30 de maio, na Feira do Livro de Lisboa. O escrutínio será feito pela Pordata.

 

Todos os materiais para a votação e contagem dos votos, bem como as orientações necessárias estão disponíveis aqui >>.

Autoria e outros dados (tags, etc)

alunos.jpeg

Os cinco alunos do 4.B que defendem «O Tubarão na Banheira»

foto de Diana Tinoco

 

 

Na Escola Básica Quinta das Flores, em Coimbra, os alunos no 4.ºB fizeram dramatizações das suas histórias preferidas para convencerem os colegas a lê-las e votarem nelas. Uma tarde que incluiu gomas, balões e confetti

 

Ao nono dia de campanha eleitoral da iniciativa «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?», os alunos do 4.º ano e do 3.ºano juntaram-se todos na biblioteca. O motivo? Os mais velhos iam apresentar aos mais novos dramatizações dos livros que apoiam nesta iniciativa.

«O Tubarão na Banheira» foi a primeira história a ser dramatizada. Caracterizados como as personagens do livro, Catarina, Cristiana, Júlia, Lara e Miguel contaram a história com recurso a alguns objetos - e até uma banheira levaram para a biblioteca! No final, apelaram ao voto com gritos dignos de um comício político e ofereceram gomas em forma de tubarão que os próprios tinham comprado.

 

Seguiu-se o «Diário de um banana 11: Tudo ou Nada», com uma dramatização organizada por um grupo que demonstrou muita atenção ao detalhe: estavam todos vestidos de branco, os cartazes eram pretos e brancos e no fim ofereceram balões com a cara do Greg (a personagem principal) com as mesmas cores, desenhados por um dos membros do grupo.

(...)

 

Ler mais >>

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Aconteceu no dia 18 de abril na Escola Secundária Eça de Queirós, no evento  "Novas dinâmicas em Bibliotecas Escolares: projetos inovadores", da Rede de Bibliotecas Escolares, naturalmente.

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

fale.png

 “Fale com livros”

 

"Fale com livros" é um projeto da Google que permite encontrar respostas em livros usando linguagem natural e Inteligência Artificial.

 

Esta nova ferramenta de pesquisa da Google responderá a qualquer pergunta lendo milhares de livros. É uma nova maneira de encontrar respostas sobre o que é perguntado na Internet, recuperando informações diretamente dos livros. Basta escrever uma pergunta no "Talk to Books" e a ferramenta, que funciona com AI, verificará cada frase de 100.000 volumes da Pesquisa de Livros do Google e gerará uma lista de possíveis respostas com a passagem correspondente em negrito.

 

A compreensão da linguagem natural evoluiu substancialmente nos últimos anos, em parte devido ao desenvolvimento de vetores de palavras que permitem que os algoritmos aprendam sobre as relações entre palavras, com base em exemplos de uso real da linguagem. Esses modelos vetoriais mapeiam frases semanticamente semelhantes aos pontos próximos com base na equivalência, similaridade ou parentesco de ideias e linguagem.

 

" Talk to Books " é uma maneira completamente nova de explorar livros que começam com o nível de oração, em vez de autor ou assunto. O sistema - na experimentação - é capaz de descobrir livros de citações que respondem às questões colocadas por um leitor em potencial, obtendo melhores resultados do que usando palavras-chave.

 

Como funciona?

O sistema usa biliões de linhas de diálogo para ensinar a uma IA como as conversas humanas reais fluem. Uma vez que a IA tenha aprendido com esses dados, ela é capaz de prever a probabilidade de uma declaração seguir outra como resposta. A técnica que ele usa para ensinar a linguagem dos computadores é chamada "aprendizagem de máquina", de modo que o programa constrói um modelo preditivo a partir de dados de entrada. A IA simplesmente leva em conta o que está escrito e analisa um conjunto de muitas respostas possíveis para encontrar as que provavelmente se seguiriam. Assim, quando uma pergunta ou declaração é escrita, o modelo examina cada frase em mais de 100.000 livros para encontrar as respostas que provavelmente seriam as seguintes numa conversa.

 

As respostas em português parecem-nos ainda limitadas.

 

Conteúdo relacionado:

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

ifla.png

 The right to privacy in the digital age. Paris: IFLA, 2018

 

Em resposta a um pedido de evidências sobre o direito à privacidade na era digital, a Conferência das Nações Unidas sobre privacidade (IFLA) respondeu salientando a importância da privacidade para a liberdade intelectual e o papel que as bibliotecas podem desempenhar na consecução deste objetivo.

 

O relatório destaca o valioso papel que as bibliotecas podem desempenhar na promoção e proteção do direito à privacidade na era digital.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:

 

O Conselho de Ministros aprovou na generalidade, a 5 de abril de 2018, o Decreto-Lei que define os princípios de organização do currículo dos ensinos básico e secundário.

 
O programa do XXI Governo Constitucional, no seu capítulo IV, «Prioridade às pessoas», em particular no que respeita ao combate ao insucesso escolar, ao longo dos 12 anos de escolaridade obrigatória, veio estabelecer um conjunto de orientações, assumindo como prioridade a concretização de uma política educativa que garanta a igualdade de acesso à escola pública, promovendo o sucesso educativo e, por essa via, a igualdade de oportunidades.
 
Estas orientações e esta prioridade assentam no compromisso continuado com a Lei de Bases do Sistema Educativo, que inscreve como princípio fundamental a organização de um sistema educativo que assegure aprendizagens de qualidade para todos os alunos. Os dados disponíveis mostram que esse objetivo não está ainda plenamente atingido, na medida em que nem todos os alunos veem garantido o direito à aprendizagem e ao sucesso escolar.
 
A promoção de uma escola inclusiva onde todos e cada um dos alunos, independentemente da sua situação pessoal e social, encontram respostas que lhes possibilitam a aquisição de um nível de educação e formação que permita a sua plena integração social, constitui uma aposta deste Governo. 
(...)
 
Neste sentido, convidam-se todas as escolas e seus professores, as famílias, alunos e demais interessados a analisar o Documento Síntese do Decreto-Lei, podendo os contributos serem inscritos até ao dia 30 de abril de 2018, no formulário disponível para o efeito.
 
Ler mais >>
 


Currículo dos ensinos básico e secundário - documento síntese
ficheiro para descarregar

Currículo dos ensinos básico e secundário - Revisão do Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho
ficheiro para descarregar
 
Aceda aqui ao formulário para registo dos seus contributos
 
 
Conteúdo relacionado

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

estarreja.jpg

 

 InformaçõesInscrições (até 17 de abril)

 

Novas Leituras: abrindo caminhos na era digital, eis a temática nodal do 8º Encontro de Literatura Infantojuvenil, promovido pela Rede de Bibliotecas de Estarreja (RBEstarreja) e a realizar no dia 21 de abril de 2018 na Biblioteca Municipal de Estarreja.

 

Alicerçando o prazer de ler, desenvolver-se- ão, de igual modo, competências digitais, tendo em consideração que a leitura se tornou multimodal. Assim, serão apresentados alguns pressupostos no âmbito da literatura infantil e das múltiplas possibilidades de leitura em dispositivos digitais e exercitadas competências na área da Internet; e da elaboração de um livro digital interativo.

 

Local: Biblioteca Municipal

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

III_Jornadas_Espinho.png

 Programa |

 

A Rede de Bibliotecas de Espinho, em parceria com os Agrupamentos de Escolas Dr. Manuel Laranjeira, Dr. Manuel Gomes Almeida e Centro de Formação Aurélio da Paz dos Reis, irá realizar nos dias 20 e 21 de abril 2018 as III Jornadas da Rede, subordinadas ao tema “Da tradição oral à leitura digital".


Estas jornadas, que decorrerão no Centro de Multimeios de Espinho, junto à Biblioteca Municipal, têm como destinatários os professores de todos os ciclos, professores bibliotecários e bibliotecários municipais. Estas jornadas, estão acreditadas como Ação de Formação de 14 horas.

 

Parceiros: 
AE Dr. Manuel LaranjeiraAE Dr Manuel Gomes AlmeidaCentro de Formação Aurélio da Paz dos ReisRede de Bibliotecas Escolares

Autoria e outros dados (tags, etc)


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Ligações

Sítios Institucionais


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Twitter_