Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogue RBE

Qua | 19.05.21

10 sugestões para criar uma biblioteca escolar inesquecível*

2021-05-19 school-children-being-read-to-16x9.jpg

Fonte das imagens: https://cutt.ly/TbVYWv1

*Publicado por Alison Tarrant, a 26 de abril de 2021

 

Na qualidade de parceiros do projeto «Life Changing Libraries» de Cressida Cowell, apoiamos seis escolas do 1.º ciclo no país, no sentido de transformarem as suas bibliotecas em lugares fantásticos que encorajam a criação do gosto pela leitura ao longo da vida. Eis 10 sugestões, de Alison Tarrant, diretora da School Library Association (Associação de Bibliotecas Escolares), para criar uma biblioteca escolar inesquecível.

 

MENOS É MAIS – ÀS VEZES

É essencial colocar livros em exposição, virados para o exterior, abertos, prontos para chamarem a atenção das crianças ao passarem por eles. Para fazer isto, vai ter de ser duro na gestão que faz da coleção, o que significa desfazer-se de livros velhos, livros gastos, livros que já tiveram melhores dias. Não quer ter as prateleiras a abarrotar; menos é realmente mais.

As crianças não vão às prateleiras procurar livros pouco atraentes, com as folhas dobradas nos cantos, a não ser que desejem muito alguma coisa  ̶   como disse a Cressilda, a biblioteca devia ser como uma loja de doçarias com guloseimas a chamar a atenção.

 

RESPONSABILIZE ALGUÉM PELA BIBLIOTECA … E ATRIBUA-LHE TEMPO PARA AS FUNÇÕES

Ter alguém responsável pela biblioteca, uma pessoa que se vai envolver e a vai gerir com paixão e entusiasmo, é o início de uma viagem em direção a uma cultura da leitura. Todos podemos achar que é agradável estar sentado numa carruagem antiga, mas é ainda melhor se formos a algum lado, se tivermos oportunidade de observar a paisagem, de cheirar o fumo do comboio e de o ouvir a apitar. Esta é a diferença que um elemento da equipa da biblioteca escolar pode fazer. Nomeie alguém que compreenda a diferença que uma biblioteca pode fazer e que possa comprovar isso  ̶  não alguém que pretenda estar sentado atrás de uma secretária.

 

AULAS NA BIBLIOTECA

Ter tempo para estar na biblioteca é fundamental. Este tempo inclui momentos para explorar a biblioteca, para fazer empréstimo e devolução de livros, mas também momentos para aprender a pesquisar e a selecionar livros, para adquirir competências digitais e de leitura e para aprender a participar em debates. Algumas escolas mostram-se relutantes em disponibilizar tempo nos horários dos alunos, porque consideram que atribuir uma aula «apenas» para ler pode ser um exagero, ou porque têm a sensação de que não é visível que a leitura esteja de facto a acontecer, parecendo apenas que os alunos estão a «virar as páginas».

Divida a aula na biblioteca em momentos para fazer a seleção de livros, ler e desenvolver atividades  ̶  se as atividades estiverem relacionadas com o que os alunos acabaram de ler é logo visível quem está a ler e quem não está, além de proporcionar momentos de contacto com livros e enriquecer a compreensão. Desta forma, é dada a todas as crianças a mesma oportunidade e estímulo  ̶  não apenas às crianças que desenvolveram competências de leitura mais cedo que os seus colegas. 

cl_libraries_quotes_1200x600-2.jpeg

 

A BIBLIOTECA NÃO É APENAS PARA A ÁREA DAS HUMANIDADES

Uma biblioteca implica um investimento significativo; utilizá-la apenas em articulação com algumas disciplinas significa restringir o seu valor e impacto.

Existe na biblioteca uma grande variedade de recursos para apoiar todas as áreas do currículo e disciplinas. As visitas à biblioteca não devem limitar-se a sessões de formação ou de literacia.  Às vezes, é boa ideia deixar que os livros conduzam o curso da aula  ̶  prémios como o «Information Book Award» ou o «Royal Society Young People’s Book Prize» podem ser extremamente úteis para abordar tópicos de literacia da informação relacionados com o público, os autores, a forma de utilizar um índice, a fiabilidade de um livro, o modo de funcionamento do Google  e formas de pesquisar na internet.

 

CRIE TEMAS DE CONVERSA

As exposições na biblioteca podem ser ótimas para destacar recursos ou dias de interesse especial, mas criar exposições em corredores, salas de aula ou cafetarias pode atingir um público diferente ou ter um impacto maior. Coloque mapas ou as primeiras frases de livros num local, ponha extratos de novelas gráficas noutro  ̶  as opões dependem das preferências do professor ou de qualquer outro critério.

 

OS PROFESSORES MAIS VELHOS TAMBÉM DEVEM GERIR A BIBLIOTECA

Pode ser difícil se for um cético em relação às bibliotecas ou se achar que sabe muito pouco sobre elas. Afinal, há muitas prioridades e cada professor está sobrecarregado com outras tarefas. No entanto, todos os professores mais velhos devem apoiar a biblioteca escolar. Há investigação suficiente que confirma o impacto que eles têm. Os professores precisam de sentir que o uso que fazem da biblioteca é legítimo, caso contrário param de a usar.

A biblioteca escolar deve ter um orçamento suficiente para poder disponibilizar recursos para todas as disciplinas, níveis de leitura, idades e géneros  ̶  é uma tarefa importante.

 

PONHA OS ALUNOS NO CENTRO

A biblioteca escolar deve ser a imagem da escola e dos seus alunos. Uma das melhores formas de conseguir isto é recorrer aos «Amigos da Biblioteca». Estes alunos podem apoiar a equipa da biblioteca, mas o mais importante é que, ao dar-lhes voz sobre a forma como a biblioteca deve ser gerida e como deve estar organizada, os alunos retribuem porque sentem que a biblioteca lhes pertence. Existe mais probabilidade de eles conversarem com os colegas sobre a biblioteca e o que andam a ler. Falar sobre livros é extremamente importante para o desenvolvimento da leitura, pelo que ninguém sai a perder. 

reading-fun-at-elmhurst-primary-school-16x9.jpg

 

ABRA A BIBLIOTECA NO TEMPO LIVRE DOS ALUNOS

É muito importante garantir a abertura da biblioteca além do horário das aulas, uma vez que proporciona oportunidade aos alunos de se envolverem  ̶  seja como voluntários, seja para escolherem livros. Algumas crianças podem querer utilizar os recursos da biblioteca, mas não os querer pedir emprestados em frente à turma. Muito alunos reagem de forma diferente quando vão à biblioteca fora do horário letivo, e outros encontram aqui um lugar especial para ler e fazer os trabalhos, o que, muitas vezes, não encontram em casa. A abertura da biblioteca também dá oportunidade aos pais e aos assistentes de se envolverem. Gostaria de partilhar este vídeo de Alec Williams com sugestões de como ler em casa. Vale mesmo a pena ver!

 

SABER É PODER

Esta frase já é antiga, mas aplica-se às bibliotecas de muitas maneiras; quanto mais conhecimento a equipa da biblioteca tiver, melhores recomendações poderá fazer. Em algumas escolas pode existir uma certa relutância em partilhar a informação no sentido que estamos aqui a assumir, e a privacidade da criança é seguramente o mais importante, mas se conseguirmos garantir que a equipa da biblioteca esteja atenta a problemas que possam surgir em casa, a questões pessoais que é necessário resolver, significa que a criança encontrará na biblioteca alguém que a pode ajudar, sugerindo recursos ou mantendo-se atento a comportamentos pouco habituais. Esta situação pode acontecer com um leitor voraz que de repente deixa de o ser, ou com uma criança que de um momento para a outro começa a ler outros recursos dentro da biblioteca.

Esta frase também se aplica à eficácia da equipa da biblioteca num sentido mais amplo: o trabalho em rede é vital para qualquer setor e os benefícios do trabalho em rede com os outros em contextos similares já foram comprovados. A maioria dos professores das equipas das bibliotecas são os únicos responsáveis pela biblioteca escolar, pelo que conversar com colegas da mesma área sobre desafios semelhantes e partilhar com eles os sucessos pode ser estimulante e pode capacitá-los para prestarem um serviço de maior qualidade a alunos e professores.

 

UMA COMUNIDADE LEITORA

Uma biblioteca pode ser o ponto central da comunidade leitora.

Os alunos, os pais e os assistentes devem ser convidados a conhecer a biblioteca, a participar em discussões e a explorar os novos recursos. A equipa da biblioteca pode ser fundamental na mudança de atitude em relação à leitura, passando de uma escola onde a leitura acontece para uma escola onde a leitura se torna visível, evidente mal se entra na porta da escola e fora dela, em toda a comunidade. Trazer a comunidade à escola e alargar a cultura de leitura, tornando-a inclusiva, pode evitar brechas culturais entre a escola e a família e garantir que os alunos recebem mensagens consistentes.

 

Notas

Alison Tarrant foi professora bibliotecária antes de ser CEO da School Library Assossiation. É atualmente membro da direção do grupo Life Changing Libraries. Pode saber mais sobre a SLA em www.sla.org.uk.

Para obter mais informação sobre os espaços das bibliotecas escolares e o desenvolvimento de uma cultura de leitura, assim como para receber atualizações sobre a ação do Life Changing Libraries, visite www.booktrust.org.uk/lifechanginglibraries

O artigo «Ten tips for creating an unforgettable school library»  foi originalmente publicado no sítio Booktrust. O texto foi traduzido livremente a partir do inglês, com autorização do autor.