Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue RBE

Qua | 07.06.23

VI Encontro Con.Raízes - Arte Con.Raízes

2023-06-07 pq.png

O Agrupamento de Escolas de Nisa acolheu, nos dias 10 e 11 de maio, o VI Encontro Con.Raízes. Trata-se de um projeto dos professores bibliotecários da Rede Interconcelhia de Alter do Chão, Castelo de Vide, Crato, Gavião, Marvão, Nisa, e Ponte de Sor que visa promover o conhecimento, a partilha e a divulgação das diferentes manifestações culturais dos seus concelhos, contando com o apoio da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo. O Agrupamento do Crato não participou este ano, por questões de saúde da professora bibliotecária, mas está incluído neste grupo de trabalho.

Este ano foi convidado o Agrupamento de Escolas de Abrantes nº1.

O projeto, este ano sob a temática “Arte Con.Raízes”, explora diferentes vertentes do currículo local, numa articulação entre as turmas e respetivos docentes e as Bibliotecas Escolares.

Foram apresentados os seguintes projetos:

Agrupamento de Escolas de Abrantes nº1 – Escola Convidada

O projeto foi realizado ao longo do ano letivo, em articulação com a Biblioteca Escolar. Partimos da oliveira milenar (3350 anos) existente em Mouriscas, freguesia do concelho de Abrantes. As turmas envolvidas foram o 1.º e 2.º anos do EB de Mouriscas.

Os alunos trabalharam o tema “Da Oliveira ao azeite”, apanharam azeitona, assistiram à fabricação de capachos (nos lagares tradicionais, servem para separar o caldo que vai dar origem ao azeite), fizeram uma visita de estudo à Sifameca, teceram no tear e fizeram uma exposição.

No 2.º ciclo da Escola Básica e Secundária D. Miguel de Almeida estiveram envolvidas as disciplinas de Português e de Educação Visual, trabalharam o livro “A Oliveira do Mouchão”, através da arte de entrelaçar produziram mandalas que embelezaram a escola. O 3.º ciclo em Teatro dramatizou o conto “A Oliveira do Mouchão” extraído do livro de José Luís Peixoto “Onde” e reinterpretaram a arte do renascimento, através de Pixéis – experiência da cor.

As turmas de Artes do ensino secundário da Escola Básica e Secundária Solano de Abreu trabalharam o elemento vegetal e a arte de entrelaçar dando novas funções aos capachos.

As raízes da arte fundam o trabalho colaborativo, movem a Biblioteca Escolar e permitem aprendizagens profundas e enriquecedoras para os alunos partindo daquilo que é o local há milénios e torna a vida mais bela.

Sem nome.png

Agrupamento de Alter do Chão

A escola de Alter apresentou a sua artesã popular a D. Salete Crespo. A artesã, presente no encontro, apresentou alguns exemplares representativos do seu artesanato: Lâminas/Registos, Pirogravuras em madeira e pinturas a óleo. As peças expostas tinham um cunho tanto profano como religioso. Os alunos apresentaram o estudo que fizeram das peças e partilharam com os colegas as suas descobertas.

Diapositivo1.JPG

 

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Alter do Chão

A apresentação “Riquezas da minha Terra” resultou da junção de vários projetos que decorreram na escola. No âmbito da disciplina de TTG os alunos do 12ºD deram continuidade à peça de teatro apresentada na edição anterior do Con.Raizes. A peça deste ano teve como únicas personagens D. João V, fundador da Coudelaria de Alter do Chão, e um aluno da EPDRAC. O diálogo que se estabeleceu entre ambos conduziu o público a refletir sobre o património material e imaterial do Alentejo e o papel da Mulher Alentejana na preservação das tradições.

Durante a peça de teatro foi possível assistir à atuação de um grupo coral composto por alunos de diversas turmas da escola que cantou 3 músicas alentejanas: Montinho, Ceifeira e Açorda. Durante a mesma foram apresentados os vídeos sobre o património alentejano e a mulher alentejana, desenvolvidos no âmbito da disciplina de Cidadania, da turma do 11º B, e o vídeo com que a turma do 12º C/D concorreu ao concurso GreenChef promovido pela DECO, o qual procurava promover o reaproveitamento de pão. A sua proposta incidia numa receita de migas com entrecosto.

Estiveram envolvidos neste projeto as disciplinas de Área de Integração, Inglês, Português, TTG e os alunos das turmas 10ºB, 11ºB, 11ºC/D e 12ºC/D

Diapositivo2.JPG

Agrupamento de Escolas de Gavião

A apresentação musical surge da longa tradição que o agrupamento tem na área da música. Sendo o tema do presente ano Artes e Ofícios, era importante mostrar um pouco do que se faz nesta área. Como a preocupação da escola vai sempre no sentido de trabalhar as temáticas de forma integrada e sem sobrecarregar os alunos, foi convidada esta turma (7ºano) que já estava a trabalhar a música tradicional no âmbito do projeto Etwinning, fazendo uma recolha centrada no Grupo de Cantares Terras de Guidintesta. Selecionada a canção, o trabalho da apresentação recaiu sobre o mentor de inglês e música.

Foi um trabalho construído ao longo das últimas semanas entre a biblioteca escolar, a disciplina de inglês, a mentoria de música e o projeto Etwinning.

Agrupamento de Marvão

O projeto Con.Raízes foi desenvolvido pelos alunos do 6.ºano, na disciplina de Português na qual elaboraram o guião da entrevista que iriam aplicar aos artesãos do concelho que os alunos decidiram entrevistar, pela sua importância e relevância. As entrevistas foram gravadas em vídeo e editadas e publicadas no youtube pela professora bibliotecária. Ainda na disciplina de Português, os alunos do 6.º ano escreveram textos poéticos reunidos na coletânea “Estas mãos”, em suporte papel e digital.

No Clube de Música, a partir da poesia popular marvanense, foram criadas canções populares. O projeto ainda não terminou, pois ainda se vai realizar um encontro, na biblioteca escolar, com todos os artesãos entrevistados e uma mostra dos seus trabalhos.

Agrupamento de Castelo de Vide

Os alunos do 6º ano do Agrupamento de Escolas de Castelo de Vide trabalharam nas disciplinas de Português (Expressão dramática no Ensino do Português) e Oferta Complementar/ Aprender com a Biblioteca Escolar, contando com a colaboração do Clube de Teatro e Dança do Agrupamento (orientado por Maria Belo Costa).

Depois de refletirem sobre o que é a Arte, prepararam diversas questões nas aulas de Português e entrevistaram duas artistas que já criaram raízes em Castelo de Vide: Raquel Salgueiro, vencedora da 8ª Edição do Prémio de Literatura Infantil do Pingo Doce, com o livro Assim como tu e Barbara Walraven, artista plástica holandesa que, neste ano letivo, é artista residente do Agrupamento de Escolas de Castelo de Vide, no âmbito do Plano Nacional das Artes.

Reunidas todas as informações, foi realizado o vídeo «À procura da Arte em Castelo de Vide».

Agrupamento de Escolas de Nisa

Com o projeto Os Artistas do Xisto o agrupamento partiu à descoberta da arte rupestre do vale do Tejo e da necessidade da sua preservação no concelho. Afinal, as suas raízes mais longínquas… estão aqui nas margens do rio Tejo! Esta ideia nasceu das conversas nas aulas de História e Geografia de Portugal – 5º ano de escolaridade - quando os alunos estudaram as primeiras comunidades humanas e as suas manifestações artísticas neste território!

Em DAC, enquanto área de confluência de trabalho interdisciplinar, e seguindo a metodologia de trabalho de projeto, os alunos partiram do que já sabiam e identificaram o que precisavam de saber melhor. Construiram um mapa de ideias, envolvendo as diferentes disciplinas (HGP, Mat., EdV, EdT, Port., CD, CN EdM e TIC).

Tendo a biblioteca escolar como parceria determinante, definimos os objetivos que nos propúnhamos atingir: compreender o conceito de património, pesquisar sobre a existência de gravuras rupestres nas margens do rio Tejo - freguesia de Montalvão; distinguir o tipo de gravuras; representar essas gravuras em diferentes materiais; estabelecer contactos com arqueólogos e historiadores que conheçam estas gravuras rupestres para os convidarmos a ir à escola; elaborar um questionário para compreender o conhecimento que as pessoas do concelho têm sobre este tipo de gravuras e, finalmente, dar a conhecer este tipo de arte à comunidade e alertar para a importância da sua preservação. Constituídos os cinco grupos de trabalho, foi tempo de deitar mãos à obra…

No final, avaliámos todo o processo e para enorme alegria de tod@s @s alun@s e

professor@s… o balanço não podia ser mais feliz!!

Diapositivo3.JPG

Agrupamento de Ponte de Sor

EB1/JI de Tramaga - “Do sobreiro à cortiça”

Os alunos da EB1/JI de Tramaga apresentaram um estudo sobre as potencialidades da cortiça, como matéria-prima do sobreiro, a árvore dominante no concelho. O currículo local como ponto de partida para as aprendizagens e a exploração do conhecimento junto dos mais velhos, são dois dos objetivos que nortearam o trabalho destes alunos do concelho de Ponte de Sor.

 

Diapositivo4.JPG

Escola Secundária de Ponte Sor

Ao longo do ano letivo 2022/23, o Grupo de Educação Especial da Escola Secundária de Ponte de Sor, em parceria com a Biblioteca Escolar, desenvolveu um trabalho interdisciplinar sobre a Orquestra de harmónicas de Ponte de Sor, com o objetivo de conhecer e dar a conhecer este grupo emblemático e “Con.Raízes” profundas na cidade de Ponte de Sor.

Diapositivo5.JPG

O Agrupamento de Escolas de Nisa agradece a representação da Rede de Bibliotecas Escolares. Um agradecimento também à União de Freguesias de Espírito Santo, Nª Srª da Graça e São Simão, a qual proporcionou um momento de convívio no final entre alunos e professores.

A todos os que, de diferentes formas, contribuíram para o sucesso do VI Encontro Con.Raízes, um enorme e sincero agradecimento.

O Agrupamento de Escolas de Ponte de Sôr prepara a 7ª edição desta partilha que já se consolidou nestes concelhos!

_____________________________________________________________________________________________________________________