Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]
























Era uma vez uma casa muito arrumada onde morava um rapaz muito desarrumado. 
E o rapaz tinha a impressão de que não era feito para morar naquela casa. 
Ali os relógios estavam sempre certos mas ele andava sempre atrasado. 
Ele esquecia-se da bola na sala e dos livros no jardim. Ele deixava a caneta na cozinha, os sapatos no corredor; o relógio no lavatório. Porque jogava à bola na sala, lia no jardim, escrevia em toda a parte, despia-se no corredor e só se lembrava de tirar o relógio quando já estava dentro do banho. 
Por isso todos ralhavam com ele e ele pensava: 
- Esta casa é um tribunal. 
Havia horas certas para tudo, leis, regras, lugares para pôr as coisas. (...) - reproduzido de Porto Editora.


Assim começou Sophia de Mello Breyner Andresen o conto intitulado Os ciganos. Mas o conto permaneceu inacabado e inédito no espólio de Sophia até 2009. Até que o neto, Pedro Sousa Tavares, aceitou terminar o conto à sua maneira. Danuta Wojciechowska encarregou-se das ilustrações. O livro foi apresentado ontem na Livraria Bertrand-Chiado, em Lisboa.

Os Ciganos
Texto: Sophia de Mello Breyner Andresen e Pedro Sousa Tavares
Ilustração: Danuta Wojciechowska
Porto Editora
64 págs., 18,80 euros



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor