Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



desafio.PNG

 

Pelo segundo ano, o Porvir e o IBFE (Instituto Brasileiro de Formação de Educadores) oferecem o ebook gratuito Desafio Diário de Inovações. Nesta edição, a publicação reúne 19 relatos de professores que estão a inovar nas suas práticas para transformar o processo de aprendizagem.

 

– Clique para baixar o ebook Desafio Diário de Inovações

 

Da educação infantil ao ensino superior (incluindo modalidades como Educação de Jovens e Adultos e Educação Profissionalizante), cada projeto é relatado pelo autor com um texto em que ele relembra as suas motivações, as principais etapas de aplicação e os resultados obtidos na sua escola.

 

A obra também traz dicas de como replicar em outro ambiente a mesma metodologia (materiais necessários, tempo, fase de preparação e sequência de atividades).

 

Participaram da segunda edição do Desafio Diário de Inovações 335 professores de 21 estados, de todas as regiões do país (Brasil).

 

Texto adaptado e com pequenas alterações.

 

ReferênciaBaixe ebook gratuito Desafio Diário de Inovações 2018 - PORVIR. (2018). PORVIR. Retrieved 16 October 2018, from http://porvir.org/baixe-ebook-gratuito-desafio-diario-de-inovacoes-2018/

Autoria e outros dados (tags, etc)

ciber.PNG

 Fonte | Download |

 

Os menores e os jovens de hoje, os chamados “nativos digitais”, fazem uso constante da Internet e beneficiam das inúmeras vantagens que ela traz. Informações na ponta dos dedos, possibilidade de comunicação com os amigos, vídeos, jogos ... Educação em aspectos de segurança, privacidade, proteção dos direitos das pessoas etc. é algo que deve ser ensinado desde a infância, já que os menores acedem desde muito jovens ao mundo digital, redes sociais, telefones celulares, aplicativos em smartphones, etc.


O trabalho dos pais e educadores é primordial na prevenção de riscos. O seu trabalho deve ser ensinar e orientar os filhos / alunos quando eles começam a sua jornada on-line. No entanto, às vezes são os próprios pais que desconhecem os perigos reais que os seus filhos enfrentam, como evitá-los e educar os filhos para que não sejam afetados por eles ou conhecer os passos a seguir no caso de terem sido vítima de um deles.

 

Ler mais >>

 

ReferênciaGuía de actuación contra el ciberacoso | EnFamilia. (2018). Enfamilia.aeped.es. Retrieved 11 October 2018, from https://enfamilia.aeped.es/lecturas-recomendadas/guia-actuacion-contra-ciberacoso

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Rafael Guerrero | Psicólogo

Visualizar o Programa completo

 

Licenciado em Psicologia Clínica e da Saúde da Universidade Complutense de Madrid e Doutor em Educação, Rafael Guerrero dedicou grande parte de sua carreira profissional à investigação, à prática clínica e ao ensino na Faculdade de Educação da Universidade Complutense de Madrid e no Centro Universitário Cardenal Cisneros.

 

Palestrante em conferências e formador de professores e pais em muitas faculdades e escolas nacionais e internacionais, Guerrero acaba de publicar 'Educação e apego emocional', um manual para transformar crianças e jovens em especialistas emocionais. Como promover segurança, autoestima e empatia em crianças e estudantes?

 

No seu último livro, propõe chaves práticas para implementar a empatia em casa e na sala de aula. "Existem várias ferramentas que podemos dar à criança para que ela possa identificar, nomear e exprimir as suas emoções. Temos que legitimá-los: se o nosso filho nos fala sobre algo que lhe diz respeito, não podemos racionalizar, mas ouvir e escutar até que ele encontre o equilíbrio emocional ", diz o psicólogo.

 

E alerta para a importância do "outro" na aprendizagem de habilidades sociais. "A empatia não é apenas possível, deve ser ensinada. E para isso é importante não só o que dizemos, mas o que fazemos ", conclui.

 

 

Tradução livre do espanhol.

 

Referência: Qué es la empatía y cómo desarrollarla en los niños. (2018). BBVA Aprendemos Juntos. Retrieved 6 October 2018, from https://aprendemosjuntos.elpais.com/especial/que-es-la-empatia-y-como-desarrollarla-en-los-ninos-rafael-guerrero/

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

alg.jpg

 por Sergio C. FanjulEl País

 

É a palavra tecnológica da moda, embora seja usada com grande ignorância. Nós tentamos explicar o que isso significa ... e como se complica quando lhe adicionamos computação

 

Algoritmo é a palavra tecnológica da moda: algoritmos fazem isto e aquilo, eles conhecem as nossas paixões mais íntimas, eles vão assumir os nossos empregos, eles estão prontos para destruir a sociedade e o mundo ... Na linguagem quotidiana eles são referidos como se fossem génios do mal, demiurgos desobedientes ou a espinha dorsal de megacorporações sem escrúpulos. Na verdade, um algoritmo é algo mais simples, um mecanismo cego e sem vontade, mas que, como veremos, está a mudar o mundo de forma definitiva e merece a máxima atenção...

O que é um algoritmo? Simplesmente uma série de instruções simples que são realizadas para resolver um problema. A regra de multiplicação que aprendemos na escola e que permite obter o produto de dois números, com papel e lápis, é um algoritmo simples. Mas podemos dar uma definição um pouco mais rigorosa:

Na verdade, [...] o que é exatamente um algoritmo?
Getty Images
 

" Um conjunto de regras sistematicamente aplicadas a alguma entrada apropriada de dados, resolvem um problema num número finito de passos elementares", como afirma o professor da Faculdade de Informática da Universidade Complutense Ricardo Peña Marí, autor no momento do livro De Euclid para Java, a história dos algoritmos e linguagens de programação (Nívola). " É importante notar que o algoritmo tem que ser finito e executa as instruções de forma sistemática, ou seja, ele é cego ante o que está a fazer, e que os passos com que opera são elementares , " diz o professor.

 

 

 

 

Assim, um algoritmo poderia ser uma receita para cozinhar ou as instruções para fazer um avião de papel a partir de uma folha. Os algoritmos possuem uma entrada (input) e uma saída (output)) Entre ambas estão as instruções: a entrada poderia ser como carne moída, a folha de polpa de tomate e de saída a lasanha perfeitamente gratinada. "Ainda que nestas tarefas muitas vezes influa a capacidade das pessoas que as criam: não é o mesmo uma receita preparada por um grande chef, que pode até melhorá-la ou por um principiante," enfatiza Miguel Toro, professor do Departamento de Idiomas e Sistemas de Computação da Universidade de Sevilha. Na realidade, os algoritmos executam operações tão simples que podem ser realizadas com sucesso por qualquer pessoa. Até pelas máquinas. Aqui está o cerne da questão.

 

  • Algoritmos + computadores = revolução

Porque embora os algoritmos existam pelo menos desde os tempos dos babilónios, com a chegada dos computadores eles assumem muito mais destaque. A união de máquinas e algoritmos é o que está a mudar o mundo. O matemático britânico Alan Turing famoso por ter descoberto a máquina Enigma de mensagens cifradas nazis e por se ter matado mordendo uma maçã envenenada depois de sofrer uma severa perseguição por causa da sua homossexualidade, foi o primeiro que ligou algoritmo e computadores. Alan Turing na verdade foi um dos primeiros a imaginar um computador como o conhecemos. Ele até pensou que as máquinas poderiam pensar e até escrever poemas de amor.

 

 

A máquina de Turing não é uma máquina que exista no mundo físico, mas uma construção mental.Consiste numa fita infinita na qual são executadas operações repetitivas até que sejam dadas soluções, torna-se uma definição computacional do algoritmo e um computador, o primeiro conceptualizado: "Na essência, é o precursor dos computadores: tem uma memória, algumas instruções (um programa), algumas operações elementares, uma entrada e uma saída", explica o professor Peña. O mais interessante é que é uma máquina universal, que pode executar qualquer programa que seja ordenado. Dentro dos problemas do mundo existem dois tipos: aqueles que podem resolver uma máquina de Turing (chamada computável) e aqueles que não podem (não computáveis), como vemos nas tarefas do mundo real que as máquinas podem executar (cada vez mais) e outras que apenas humanos podem executar. Todos os computadores, tabletssmartphones, etc., que conhecemos são máquinas de Turing.

 

"Em definitivo, o trabalho dos programadores de computador é traduzir os problemas do mundo para uma linguagem que uma máquina possa entender", diz Peña. Isto é, em algoritmos que a máquina manipula: para isto é necessário partir a realidade em pequenos problemas em sucessão e pôr o computador executá-los. Um programa de computador é um algoritmo escrito numa linguagem de programação que no final acaba convertido em milhares de operações simples que são realizadas com correntes elétricas no processador, correntes representadas pelos célebres uns e zeros, os dígitos que caracterizam o digital. Quando jogamos um videojogo tridimensional, olhamos para o Facebook ou usamos um processador de texto, a máquina na verdade está realizando inúmeras operações com pequenas correntes elétricas, sem saber que de tudo isso sai Lara Croft com duas pistolas. A chave é que são muitas operações ao mesmo tempo: um computador de 4 GHz pode fazer 4.000 milhões de operações em apenas um segundo. Em essência, isso são algoritmos e isso é a informática.

 

  • Meus problemas com algoritmos

Apesar da longevidade dos algoritmos e da maturidade dos computadores, a palavra algoritmo tornou-se moda nos últimos anos. A que se deve? "Os computadores podem calcular muito mais rápido que um cérebro humano e, desde o surgimento da Internet, há um salto e coisas que pareciam impossíveis a serem alcançadas", diz Miguel Toro. Por exemplo, em disciplinas em plena ebulição, como o big data ou a inteligência artificial.

"Algoritmos são usados ​​para prever resultados eleitorais, conhecer os nossos gostos e o mundo do trabalho é algorítmico : as diferentes tarefas são convertidas em algoritmos e o trabalho é automatizado", explica o professor. As únicas tarefas não algorítmicas, no momento, são aqueles relacionados com a criatividade e as emoções humanas, essa é a nossa vantagem. Embora se defenda com frequência que a Revolução Tecnológica criará novos empregos, Toro acredita que nunca haverá tantos empregos destruídos e concentrados em pessoas e países com a adequada preparação. "É por isso que uma ideia que parecia típica da esquerda, como a renda básica universal, está sendo proposta por Bill Gates e experimentada em lugares como a Califórnia ou a Finlândia. É necessário que haja consumidores para que o sistema económico não desmorone."

 

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

roteiro.png

 Download |

 

Cada agrupamento conta com uma ou mais bibliotecas escolares (BE) que facultam recursos capazes de apoiar o percurso formativo e curricular das crianças/ alunos.

 

Aos professores bibliotecários (PB) cabe gerir, de forma integrada, as bibliotecas escolares e os serviços de biblioteca dirigidos a toda a população escolar do agrupamento, apoiando-se num trabalho colaborativo com os docentes das várias escolas.

 

Com este documento, a RBE pretende apoiar os professores bibliotecários na organização, gestão e dinamização das bibliotecas escolares nas escolas do primeiro ciclo e nos jardins-de-infância, convocando os docentes para uma melhor apropriação desta estrutura, através da apresentação de propostas facilitadoras da utilização da BE por todos.

 

Apresenta-se como um instrumento de operacionalização de trabalho colaborativo entre o professor bibliotecário e os docentes, visando apoiar o desenvolvimento de um conjunto de competências gerais e transversais às diferentes áreas curriculares e conteúdos programáticos, em contextos diversificados, promovendo a biblioteca escolar como um ambiente de aprendizagem transdisciplinar e dinâmico.

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Agora que o novo ano lectivo começou, deixamos aqui um texto escrito e lido por Eduardo Sá, sobre "As Crianças e a Leitura".

"As histórias fazem mal às crianças"

Texto apresentado, no passado dia 19 de Abril, no "10 de letra - jornadas literárias", que se realizou no Auditório Maestro Frederico de Freitas (SPAUTORES)

 

 

 

Ou, se preferir, oiça o podcast: 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

O que é um clássico? O que é que as grandes obras da literatura e do pensamento mundial têm para nos ensinar? Agora que as aulas estão quase a começar, Miguel Monjardino, professor universitário especialista em Relações Internacionais, e Isabel Alçada, escritora e ex-ministra da Educação, olham de novo para a importância dos clássicos na educação.

 

Referência: O que nos ensinam os clássicos?. (2018). SoundCloud. Retrieved 5 September 2018, from https://soundcloud.com/user-48668146/o-que-nos-ensinam-os-classicos

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

mdias.jpg

 

Todos os anos, milhares de estudantes tomam a palavra e, com a ajuda dos seus professores, produzem jornais impressos e / ou online, programas de rádio e vídeos. 

 

Os projetos de Media escolar oferecem situações de aquisição pedagógica de acordo com os objetivos da Common Knowledge Base: fluência na língua portuguesa, técnicas comuns de informação e comunicação, habilidades sociais e cívicas, autonomia e iniciativa. Além disso, a conceção e a criação de um Media construído na escola requer a interseção de abordagens técnicas, legais, reguladoras, financeiras e organizacionais que permitem aos jovens adquirir competências que vão além do conhecimento tradicional.

 

Traduzido do francês com adaptações.

 

Referência: Médias scolaires - CLEMI. (2018). CLEMI. Retrieved 28 August 2018, from https://www.clemi.fr/fr/medias-scolaires.html

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

wiki.jpeg

Wikipedia + Libraries: Better Together de OCLC. 

WebJunction, 2018 

 

Materiais do curso

Este curso de formação ajuda os bibliotecários a começar a usar, editar e ensinar a Wikipédia. Os materiais foram criados durante a sessão da Wikipedia + Bibliotecas da OCLC: Better Together Project para fortalecer asligações entre bibliotecas públicas e a Wikipedia. O projeto foi realizado de dezembro de 2016 a maio de 2018 e foi financiado pela Fundação John S. e James L. Knight, pela Wikimedia Foundation e pela OCLC.

 

Os materiais são o produto da pesquisa e da experiência reunidos para projetar, entregar e avaliar o curso online de nove semanas da OCLC / WebJunction para funcionários de bibliotecas públicas nos Estados Unidos. Os participantes aprenderam o seguinte:

  • A ter uma compreensão mais profunda da Wikipedia
  • Adquiriram competências em avaliação e edição na Wikipedia
  • A desenvolver um plano para implementar a  Wikipédia nas suas bibliotecas
  • A promover o papel das bibliotecas como líderes na aquisição de habilidades básicas em informações, nas suas comunidades.

 

É possível baixar e reutilizar todos os materiais de formação disponíveis num arquivo .zip, que inclui o currículo, os slides dos cursos, os folhetos e as listas de leitura.

 

Também pode baixar cada parte dos materiais de formação separadamente.

Baixe apenas o currículo (arquivo .docx)  
Faça  o download dos slides do PowerPoint 
Faça o download dos folhetos

 

Referência: Arévalo, J. (2018). Curso para bibliotecarios sobre capacitación en edición en WikipediaUniverso Abierto. Retrieved 22 August 2018, from https://universoabierto.org/2018/08/22/curso-para-bibliotecarios-sobre-capacitacion-en-edicion-en-wikipedia/

 

Conteúdo relacionado:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

exe.jpg

eXeLearning.net | 

 

Manual de Exe Learning

 

O eXeLearning é um programa criado pela Universidade de Tecnologia de Auckland e pelo Instituto Politécnico Tairawhiti para criar recursos educacionais de forma simples e intuitiva, sem necessidade de grande conhecimento técnico. 

 

O eXeLearning gera o seu conteúdo em páginas da web ou em pacotes compactados IMS, SCORM 1.2 ou COmmon Cartridge. É um software livre e aberto. 

 

O eXeLearning permite a criação de um tutorial da web com uma página com um menu lateral dinâmico, além de editar páginas com conteúdo multimídia, personalizar o tutorial por meio de diferentes folhas de estilo e exportar como um site. O tutorial desenvolvido pode ser integrado ao Moodle através do Scorm.

 

Referência: Arévalo, J. (2016). eXelearning: programa open source para crear recursos educativosUniverso Abierto. Retrieved 21 August 2018, from https://universoabierto.org/2016/09/29/exelearning-programa-open-source-para-crear-recursos-educativos/

Autoria e outros dados (tags, etc)


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Ligações

Sítios Institucionais


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Twitter_