Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



blogue.png

 

O Projeto “D’ÁQUEM, ALÉM-MAR,” nasceu de uma candidatura ao projeto “LER+MAR”.


A escola, que integra o  Programa “Territórios Educativos de Intervenção Prioritária”, TEIP3, está inserida numa comunidade com contexto socio-cultural  carenciado e com uma população reduzida.


O projeto "D’AQUÉM, ALÉM-MAR,” convocou saberes e competências na construção e comunicação de conhecimentos sobre o MAR – intrinsecamente ligado ao nosso concelho e cultura, mas distante das vivências dos alunos.


Implementou dinâmicas de trabalho cooperativo e colaborativo, desenvolvendo competências a partir do tema estruturante, numa perspetiva multidisciplinar, articulada e transversal que associou as dimensões: literária, ambiental, científica e tecnológica, geográfica, histórica, cultural e artística.


Com o desenvolvimento deste projeto, explorou-se o tema "Mar" nas suas múltiplas potencialidades não só como elemento natural, fonte de vida, bem estar, sua defesa e subsistência, mas também como presença forte na literatura, pintura e demais expressões artísticas.

Fátima Bonzinho
Coordenadora Interconcelhia da RBE

[Texto e locução da professora bibliotecária e coordenadora do projeto, Ana Sequeira]

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

O currículo local: ponto de partida para novas aprendizagens? pelo professor António Camões Gouveia.

 

 

Evento con.Raízes. 2.ª edição. Dia 11 de maio de 2019. Conferência de abertura.

 

O con.Raízes é um projeto dos professores bibliotecários da Rede Interconcelhia de Alter do Chão, Castelo de Vide, Crato, Gavião, Nisa, Marvão e Ponte de Sor que visa promover o conhecimento, a partilha e a divulgação das diferentes manifestações culturais dos seus concelhos.

 

Esta segunda edição do encontro con.Raízes teve lugar no concelho do Crato, nos dias 10 e 11 de maio de 2019

 

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

app.png

Regulamento |

 

Trata-se de uma iniciativa do Coordenador Nacional do AEPC 2018, em parceria com o Centro de Investigação para Tecnologias Interativas (CITI-UNL) e Centro de Informação Europeia Jacques Delors (CIEJD), Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), que conta com a participação das seguintes entidades: Ministério da EducaçãoMinistério da CulturaFundação Calouste GulbenkianPlano Nacional de Leitura 2027, Rede de Bibliotecas Escolares e Representação da Comissão Europeia em Portugal.

 

A edição de 2019 do Prémio Escolar AEPC pretende, no seguimento das celebrações do Ano Europeu do Património Cultural de 2018, continuar a dar relevo à divulgação do Património Cultural Europeu nas escolas.

 

O Prémio propõe aos docentes do 3.º ciclo do Ensino Básico e dos Ensinos Secundário e Profissional que realizem, com os seus alunos, atividades pedagógicas de pesquisa, seleção e análise de aspetos do Património Cultural Europeu (material ou imaterial) que os levem a produzir duas apresentações em formato digital:
• Uma apresentação de um(a) aspeto/ vertente do património cultural da sua comunidade local ou do património cultural português;
• Uma apresentação de um(a) aspeto/ vertente do património cultural europeu.

 

As escolas são convidadas a participar, contando, como sempre, com o apoio das bibliotecas escolares.

 

Os trabalhos candidatos deverão ser submetidos por docentes. Cada docente poderá submeter um ou vários trabalhos de grupo (equipas com um máximo de cinco elementos) ou individuais.

 

Os prémios serão divididos em duas categorias (3.º ciclo e Ensino Secundário e Profissional). O prémio a atribuir às equipas vencedoras será uma viagem a Bruxelas.

Para saber mais consulte o regulamento e visite a página Web e o Facebook do prémio.

Pode consultar o regulamento da 2.ª edição (em anexo).

Autoria e outros dados (tags, etc)

europa.PNG

No dia 4 de dezembro, no Arquivo Nacional Torre do Tombo, foi inaugurada a exposição "A Europa começa Aqui! Marca do Património Europeu".

A presente exposição, integrada na programação do Ano Europeu do Património Cultural, mostra os 38 sítios Marca do Património Europeu, três do quais portugueses:

 

Saber mais: A Europa Começa Aqui! Marca do Património Europeu

Autoria e outros dados (tags, etc)

Captura de ecrã 2018-06-11, às 19.25.08.png

 Ver trabalhos premiados | Ver escolas premiadas |

 

Este concurso visou promover o conhecimento do património cultural europeu nas suas múltiplas dimensões e mutações, dinamizando  iniciativas que garantam a sua sustentabilidade, proteção e diálogo entre diferentes realidades culturais.

 

Parabéns aos vencedores!

 

Conteúdo relacionado:

Entrega do Prémio Escolar AEPC 2018 | blogue RBE

Autoria e outros dados (tags, etc)

premio.png

 RegulamentoEnvio de trabalhos

 

O Prémio Escolar AEPC 2018 insere-se no âmbito da celebração de 2018 como Ano Europeu do Património Cultural, o qual recebeu o Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República. 

 

Trata-se de uma iniciativa do Coordenador Nacional do AEPC 2018, em parceria com o Centro de Investigação para Tecnologias Interativas (CITI-UNL) e Centro de Informação Europeia Jacques Delors (CIEJD), Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), que conta com a participação das seguintes entidades: Ministério da EducaçãoMinistério da CulturaFundação Calouste GulbenkianPlano Nacional de Leitura e Rede de Bibliotecas Escolares.

 

Este concurso visa promover o conhecimento do património cultural europeu nas suas múltiplas dimensões e mutações, dinamizando iniciativas que garantam a sua sustentabilidade e proteção, assim como o diálogo entre diferentes realidades culturais.

 

As escolas com 3º ciclo, ensino secundário e profissional são convidadas a participar, contando, como sempre, com o apoio das bibliotecas escolares. Os prémios serão divididos em duas categorias (3.º Ciclo e ensino secundário e profissional). A escola vencedora, em cada categoria, receberá tablets e livros para a sua biblioteca.

 

Para saber mais consulte o regulamento e visite o site e o Facebook do prémio.

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

programa.png

 

Clássicos em rede é um programa de atividades para alunos dos ensinos básico e secundário, com o objetivo de aumentar os seus conhecimentos sobre a Cultura Clássica e, sobretudo, levá-los a descobrir a sua presença na atualidade: na língua e etimologia, na herança patrimonial, nos modelos estéticos e na arte, no imaginário coletivo, no ideário que está na base das nossas sociedades e em tantas outras áreas.

 

Este programa é desenvolvido, em parceria, pela Rede de Bibliotecas Escolares, pelo Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (CEC-FLUL) e pelas autoras do projeto Olimpvs.net.

 

O projeto desenvolve-se em três linhas de atividade:

 

Olimpíadas

           
Reucursos
Brevemente
            Sessões de exploração

 

Ler mais >>

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

romanico.png

O projeto a Rota do Românico decorre em parceria com as Bibliotecas Escolares dos doze concelhos que abrange, por terras dos vales do Sousa, Douro e Tâmega.

Uma das ações decorrentes desta parceria é a formação de professores denominada Na rota das aprendizagens... que, valendo-se dos materiais de qualidade pedagógica colocados ao dispor das escolas pelo projeto, abrange os professores bibliotecários e as equipas das bibliotecas escolares, perseguindo os seguintes objetivos:

  • Reconhecer a pertinência pedagógica das propostas da Rota do Românico
  • Conhecer os recursos materiais da Rota do Românico (nomeadamente os jogos)
  • Dominar a utilização dos jogos da Rota do Românico enquanto ferramenta pedagógica transdisciplinar
  • Utilizar os jogos da Rota do Românico como estratégia de trabalho colaborativo Biblioteca Escolar/ currículo

 

Datas da formação:

Formação A: Dia 5 de julho: Local: Escola Secundária da Lixa  (9.30-12.30   |14h00 – 17h00)

Formação B: Dia 12 de julho: Local: Escola Secundária de Paredes  (9.30-12.30   |14h00 – 17h00)

Formação C: Dia 13 de julho: Local: Escola Secundária do Marco  (9.30-12.30   |14h00 – 17h00)

 

Ficha de inscrição e mais informação.

 

Sobre o projeto: 

Ancorada num conjunto de 58 monumentos de grande valor e de excecionais particularidades, esta Rota pretende assumir um papel de excelência no âmbito do turismo cultural e paisagístico, capaz de posicionar a região como um destino de referência do românico, estilo arquitetónico que perdurou entre os séculos XI e XIV. (...)

 

Ler mais >>

 

Conteúdo relacionado:

APPS:

  • Rota do Românico - de InfoPortugal S.A. - Free download - Descarregue a aplicação para dispositivos móveis ("smartphone" e "tablet"), acessível para iOS, android, Windows 8 e Windows Phone (em quatro idiomas), onde encontrará uma vasta informação sobre a Rota do Românico e a oferta turística (alojamento, restauração, eventos...) dos doze municípios que constituem o seu território de influência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

ideario.png

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O  presente  volume  expressa  algum  do  conhecimento  atual  acerca  de  práticas  educativas em  lugares  de  património,  sobretudo  os  das  bibliotecas.  Para  além  deste  objetivo  que é  o  da  partilha, aqui  se  convoca  o leitor a  uma  reflexão aprofundada e  abrangente  sobre  leituras,  memórias,  história  e  património.  Um  aspeto  essencial  e  agregador desta reflexão é exatamente a potencialidade educativa a que o património,  enquanto fonte de memória, permite aceder. Digamos que é a partir da compreensão  da  memória  histórica,  visível  e  palpável,  porque  feita  presente,  nos  lugares  e  materialidades  patrimoniais,  mas  também  dos  documentos  impressos  e  digitais  do  presente,  que  a  educação  dialoga  com  a  história,  concedendo  uma  ampla  gama  de  recursos para qualificar a experiencia educativa.  (...)
 
in Nota introdutória por Tatiana Sanches. Dezembro de 2015.
 
Uma publicação do Instituto Politécnico de Tomar.
 
Descarregar o livro completo em formato PDF

Autoria e outros dados (tags, etc)

Clique para visitar o sítio na web

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para além da distinção Marca Património Europeu atribuída à  Carta de Lei de Abolição da Pena de Morte em Portugal (1867), 19 outros lugares / documentos obtiveram igualmente esta distinção.

A atribuição da Marca do Património Europeu tem por objetivo fortalecer o sentimento de pertença entre os cidadãos europeus sensibilizando-os  para lugares/documentos  que tenham desempenhado um papel significativo na história, cultura e desenvolvimento da União Europeia. Conheça-os aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor