Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Quase 700 alunos e professores participaram na festa final de apresentação dos resultados nacionais da eleição de «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?». Vê o vídeo com os melhores momentos!

Vídeo Visão Júnior.

Manuela Silva - Coordenadora Nacional da RBE nos «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?»

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:

O dia foi em cheio na Fundação Calouste Gulbenkian. Centenas de crianças de escolas de todo o país vieram à capital para participar na festa dos «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?»

 
As imagens de um dia em cheio: perto de 700 alunos de 26 escolas estiveram na Fundação Calouste Gulbenkian, esta sexta-feira, 31, para a festa final de «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?», em que foram apresentados os resultados nacionais desta iniciativa em que participaram mais de 78 mil alunos.

 

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Rede de Bibliotecas Escolares (@rbe_pt) a

Fotos: Visão Júnior

Referência: Fotogaleria: A festa final dos «Miúdos a Votos» foi uma animação. (2019). Jornal visao. Retrieved 2 June 2019, from http://visao.sapo.pt/visaojunior/miudos-a-votos/2019-05-31-Fotogaleria-A-festa-final-dos-Miudos-a-Votos-foi-uma-animacao

Autoria e outros dados (tags, etc)

livros.jpg

Foto: Rafael Marchante

 

"A culpa é das estrelas" é o livro preferido dos alunos do ensino secundário.

 

"Não abras este livro" e as aventuras de Harry Potter são alguns dos livros preferidos dos alunos do ensino básico e secundário que participaram numa eleição nacional em que estiveram 70 obras a votos.

 

"Não abras este livro" foi a obra com mais votos entre os alunos do 1.º ciclo, conseguindo o primeiro lugar com 13,9% dos 33.733 votos, graças à iniciativa "Miúdos a votos".

 

Este é o resultado da participação de mais de 15 mil alunos de cerca de 500 escolas de todo o país que fizeram parte da terceira edição da iniciativa, em que foram contabilizados 78.382 votos.

 

Os alunos mais novos foram os mais entusiastas, com 33.733 votos, segundo os dados disponibilizados pela organização que mostram que à medida que os alunos vão crescendo a adesão vai diminuindo.

 

No 2.º ciclo participaram 22.479 alunos, no 3.º ciclo foram 19.229 e, no ensino secundário, a iniciativa só conseguiu mobilizar a participação de 2.941 eleitores.As regras eram simples: As turmas escolhiam um livro a seu gosto, depois faziam campanha, tentavam angariar votantes e os que conseguiam ter 50 votos passavam a integrar a lista de finalistas.

 

Este ano foram a concurso 70 obras, através da iniciativa da Rede de Bibliotecas Escolares e a Visão Júnior, em parceria com outras entidades como o Plano Nacional de Leitura.Assim, os livros preferidos entre os mais novos são "Não abras este livro" (13,9%), "O Diário de um Banana" (13,5%), o "Cuquedo" (9,3%), "Tubarão na Banheira (8,9%) e "A girafa que comia estrelas" (7,4%).

 

No segundo ciclo, a "Avozinha Gansgster" foi a que angariou mais votos (16,2%), seguindo-se "Harry Potter e a Pedra Filosofal" (8%) e "Harry Potter e a câmara dos segredos" (7,3%).

 

Os livros de aventuras de J. K. Rowling também estão entre os preferidos dos alunos do 3.º ciclo que elegeram "Harry Potter e a Pedra Filosofal" como o melhor de todos, com 14,8% dos votos, seguindo-se dois livros que remetem para o tempo do holocausto: o "Diário de Anne Frank" (14,4%) e "O Rapaz do pijama às riscas" (12,6%).

 

"A culpa é das estrelas" é o livro preferido dos alunos do ensino secundário, segundo a votação hoje divulgada que mostrou que 20% dos votantes o escolheram.

 

"A rapariga que roubava livros" e o "Diário de Anne Frank" foram as outras duas obras preferidas pelos mais velhos, com 16,2% e 14,1% dos votos, respetivamente.

 

O objetivo principal do "Miúdos a Votos" é escolher os livros preferidos, mas acaba por ser também uma forma de aproximar os mais novos dos métodos de eleição e processos democráticos, sublinhou o ministro da Educação em declarações à Lusa. Um objetivo sério que conta com a participação da Comissão Nacional de Eleições: A CNE está presente "para ajudar em todo o processo e para poder esclarecer as crianças que tenham dúvidas relativas ao processo de eleição", disse Tiago Brandão Rodrigues.

 

Além da "promoção da leitura e aproximação ao objetivo livro", é também uma forma de "aumentar a literacia para os métodos de eleição e processos democráticos", acrescentou o ministro, à margem do lançamento de um livro dos alunos da Escola Secundária de Ponte da Barca.Os mais novos passam a "entender verdadeiramente os métodos de eleição e o que é isso de votar mas também para que servem as nossas eleições", acrescentou.

 

Portugal foi um dos países com as mais baixas taxas de participação nas eleições europeias, com uma taxa de abstenção próxima dos 70%.

 

As escolas têm vários projetos para promover uma cultura de cidadania e participação democrática desde as idades mais precoces, como é o caso do Orçamento Participativo das Escolas, em que os alunos podem apresentar uma ideia para melhorar a sua escola, ou a Voz do Aluno, em que os estudantes debatem internamente questões que os preocupam.

 

O ministro da Educação esteve hoje numa outra iniciativa que considerou ser também essencial neste processo: A apresentação do livro "Opiniões de Segunda", com os artigos de opinião dos alunos da Escola Secundária de Ponte da Barca escritos durante o ano letivo.

 

Trata-se de um "exercício de cidadania e de debate plural, potenciando o espírito crítico, a capacidade argumentativa e a expressão escrita", sublinhou em declarações à Lusa.

 

Neste caso, a iniciativa partiu da Associação de Estudantes da escola e a receita da venda do livro reverterá a favor da organização não governamental Helpo, que promove projetos educativos em Moçambique.

Lusa

 

Referência: Quais são os livros preferidos dos alunos portugueses?SIC Notícias. Retrieved 2 June 2019, from https://sicnoticias.pt/cultura/2019-05-31-Quais-sao-os-livros-preferidos-dos-alunos-portugueses-

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A festa final de divulgação do resultado das eleições dos livros mais fixes é já na sexta-feira, 31, na Gulbenkian. O espetáculo vai ser apresentado por dois alunos da Escola Braancamp Freire, cheios de energia. Fomos conhecê-los!

Inês Santos e Pedro Pires são alunos da Escola Braamcamp Freire, na Pontinha, mesmo às portas da cidade de Lisboa. Na campanha eleitoral de «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?», fizeram campanha pelo livro Os Maias, de Eça de Queirós.

 

Na sexta-feira, 31, vão estar, a partir das 2 da tarde, no palco do Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, para apresentar a cerimónia final de «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?». Serão divulgados os resultados da votação nacional, em que participaram quase 79 mil alunos de 473 escolas de todo o país - e até de Angola, Moçambique e França!

 

Tal como tudo nesta iniciativa, promovida pela VISÃO Júnior e pela Rede de Bibliotecas Escolares, a cerimónia será feita para os alunos, e com os alunos: estudantes de 24 escolas vêm até Lisboa, Açores incluído, e dois alunos do 12.º ano serão os apresentadores. Estará presente o secretário de Estado da Educação, João Costa.

João Costa, secretário de Estado da Educação, estará presente na festa final de Miúdos a Votos
Fotografia de: Marcos Borga
 

Referência: Vídeo: os apresentadores de Miúdos a Votos!. (2019). Jornal visao. Retrieved 27 May 2019, from http://visao.sapo.pt/visaojunior/2019-05-27-Video-os-apresentadores-de-Miudos-a-Votos

Autoria e outros dados (tags, etc)

visaojunior.jpg

 

A Rede de Bibliotecas Escolares e a revista Visão Júnior, realizam, pelo terceiro ano consecutivo, a iniciativa “Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?”.

Este projeto visa cumprir um duplo objetivo: estimular o gosto pela leitura e promover o exercício da cidadania, valorizando a importância do voto como forma de expressão da opinião e de intervenção cívica.

 

Comissão Nacional de Eleições, o Plano Nacional de Leitura 2027, a Pordata e a Rádio Miúdos são parceiros da iniciativa. 

 

Pretende-se que os alunos (do 1.º ciclo do ensino básico ao secundário) entendam e participem na organização de um processo eleitoral. Os estudantes começam por nomear o livro que quiserem como candidato a estas eleições, numa espécie de primárias. Os títulos que reúnem maior número de candidaturas integram as listas da votação nacional, que este ano decorreu a 15 de março. Entre o final de janeiro e a votação, os alunos fizeram campanha eleitoral, incluindo comícios, debates, cartazes e até tempos de antena, seguindo exatamente as mesmas regras de umas eleições políticas. 

 

Este ano letivo, 78 382 crianças e jovens votaram nas eleições nacionais, envolvendo mais de 700 escolas. Assim, esta iniciativa abrangeu mais 18 719 alunos do que no ano passado. Os resultados são, como habitualmente, trabalhados pela Pordata. 

Nº de escolas que votaram:

  • 1º ciclo – 294
  • 2º ciclo – 196
  • 3º ciclo – 188
  • Secundário – 49 

Nº de votos:

  • 1º ciclo – 33733
  • 2º ciclo – 22479
  • 3º ciclo – 19229
  • Secundário – 2941

 

Os livros considerados "mais fixes" pelos alunos portugueses serão revelados numa cerimónia, em que participam alunos vindos de escolas de todas as regiões do país. Este ano será a Fundação Calouste Gulbenkian a acolher este evento, no dia 31 de maio, entre as 10 e as 17:30 horas.
A cerimónia final ocorrerá a partir das 14:00h, no Auditório 2 e incluirá a apresentação de uma seleção dos melhores momentos da campanha eleitoral, encontro com escritores portugueses, uma homenagem a Sophia de Mello Breyner Andresen, no centenário do seu nascimento e o anúncio dos livros mais votados. Estarão presentes mais de 400 alunos de todos os ciclos de ensino.

 

Como o contributo de quem operacionaliza todo este processo é fundamental para melhorar os procedimentos e perceber o seu impacto nas escolas participantes, os professores responsáveis estão convidados a responder a um breve questionário, disponível em: https://forms.gle/NpPdQyiq4jhiQjhE8

Autoria e outros dados (tags, etc)

miudos.png

 

Depois da animada campanha eleitoral que se realizou entre 28 de janeiro e 13 de março de 2019, têm hoje lugar as eleições para eleger os "Livros mais fixes".

 

A VISÃO Júnior e a VISÃO fizeram a cobertura da campanha eleitoral e deram espaço aos candidatos, tanto nas suas edições impressas como nos seus sítios web e nas redes sociais.

 

Para rever os momentos especiais da campanha, consultar o sítio da Visão Júnior.

 

A transmissão dos tempos de antena pela Rádio Miúdos ainda pode ser ouvida em podcast.

 

A Comissão Nacional de Eleições acompanha todo o processo eleitoral e esclarece dúvidas aqui>>.

 

Os resultados nacionais serão divulgados no dia 31 de maio, na cerimónia que terá lugar na Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa.

 


Veja também: Miúdos a votosLivros nomeadosComo votarInstruções para a contagem dos votos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um comício em que se falou d' Os Maias, «aquele calhamaço que nos obrigam a ler na escola», e de Harry Potter, uma grande metáfora da II Guerra Mundial. Bem-vindos ao comício final de «Miúdos a Votos» na Escola Braamcamp Freire, em Lisboa, que teve um convidado especial, o secretário de Estado da Educação

 

 

A biblioteca da Escola Braamcamp Freire, na Pontinha, arredores de Lisboa, está completamente a abarrotar. As cadeiras não chegam para os adolescentes que vieram assistir ao comício final de Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?, uma iniciativa da VISÃO Júnior e da Rede de Bibliotecas Escolares, que cruza leitura com cidadania.

 

Há um convidado especial, o secretário de Estado da Educação, João Costa, sentado na primeira fila, bem perto de Diogo e Ana, os apresentadores da sessão, alunos do 10º ano, e à frente da mesa onde se sentam os partidários de cada livro. Para chegar à biblioteca, o secretário de Estado passara pelos corredores forrados com cartazes e propaganda eleitoral dos livros que recrutaram apoiantes em turmas de 8º, 10º, 11º e 12º anos, deixando adivinhar que o comício ia ser muito concorrido. É a segunda vez que a escola participa em «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?».

 

 
A professora responsável pela biblioteca, Fátima Pinto, começa por esclarecer que desenvolver este trabalho só foi possível graças à articulação curricular, ou seja, ao facto de professores de várias disciplinas terem trabalhado em conjunto. A apresentação feita no comício será também um elemento de avaliação dos alunos.

 

Seguem-se os 'tempos de antena' dos 11 grupos de apoiantes de livros, muito bem preparados (e das quais o vídeo mostra excertos).

 

No final, o secretário de Estado da Educação, João Costa, dá os parabéns a todos os alunos. «Parabéns sobretudo por tentarem contagiar os vossos colegas com a leitura. Fiquei muito emocionado e contente com, mais do que os livros, terem abordado os temas de que as histórias falam, e que são histórias de pessoas que sofreram. Através da leitura, tornamo-nos mais sensíveis ao valor da liberdade, da importância da luta contra as guerras; o Harry Potter, por exemplo, é uma grande metáfora da II Guerra Mundial. O mais valioso que temos é a nossa liberdade. E quanto mais lemos, mais livres somos.»

 

A campanha está ao rubro em todo os país. Podem acompanhá-la aqui:  http://visao.sapo.pt/visaojunior/miudos-a-votos
 
Porque as eleições são já esta 6ª feira, dia 15, ficam aqui as instruções para a contagem dos votos.
 
 
Referência: «Quanto mais lemos, m., & Na Escola Básica Manuel António Pina, j. (2019). «Quanto mais lemos, mais livres somos»Jornal visao. Retrieved 13 March 2019, from http://visao.sapo.pt/visaojunior/2019-03-13-Quanto-mais-lemos-mais-livres-somos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:

mv.PNG

 

Estás a defender um livro na campanha eleitoral de «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes»? Gostavas de conhecer as histórias que entram nestas eleições? Consulta aqui a grelha dos tempos de antena que a Rádio Miúdos começa a transmitir terça-feira, 19, e ficarás a saber o que miúdos como tu pensam!

 

A partir de 19 de fevereiro, a Rádio Miúdos (uma rádio online, que podes ouvir em radiomiudos.pt, vai transmitir os tempos de antena de «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?»

 

Vão ser transmitidos às 9h45, 13h45 e 20h15, de segunda a sexta-feira, podendo assim ser ouvidos na sala de aula. Serão repetidos aos fins-de-semana, às 6 da tarde, em compacto. A transmissão será suspensa durante os 3 dias das férias de Carnaval, e terminará a 13 de março.

 

Os tempos de antena são o espaço a que os partidos, durante uma campanha eleitoral, têm direito na rádio e na televisão para transmitirem as suas ideias. Para que umas eleições sejam justas e democráticas, todos os partidos têm de dispôr do mesmo tempo. É o que aconterá também em «Miúdos a Votos»: nenhum tempo de antena terá mais de um minuto e meio.

 

Como recebemos dezenas de podcasts, e não apenas aqueles que vão ser transmitidos como tempo de antena, todos os dias poderás encontrar no sítio da VISÃO Júnior todos os trabalhos referentes aos livros que estão em campanha nesse dia na Rádio Miúdos.

 

Livros nomeados para o 1.º ciclo (por ordem alfabética)

Referência: Como foram escolhidos os livros que vão a votos. (2019). Jornal visao. Retrieved 19 February 2019, from http://visao.sapo.pt/visaojunior/miudos-a-votos/2018-12-05-Como-foram-escolhidos-os-livros-que-vao-a-votos

 

Conteúdo relacionado:

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:

miudos.png

A campanha eleitoral para eleger os "Livros mais fixes" tem o seu início a 28 de janeiro e termina a 13 de março de 2019.

 

Em cada escola, os alunos que queiram fazer campanha por um livro inscrevem-se junto do professor bibliotecário ou do professor responsável pela iniciativa.

 

A organização das inscrições, as ações e o calendário da campanha eleitoral serão da responsabilidade da biblioteca escolar ou do professor responsável.

 

Durante a campanha eleitoral, os alunos defenderão publicamente o livro de que mais gostam. Poderão fazê-lo dentro da sala de aula (equivalente a uma sessão de esclarecimento), na biblioteca escolar ou na sala de alunos (equivalente a um comício), nas redes sociais e meios digitais da escola (equivalente a tempo de antena) ou através de cartazes afixados na sala de aula, na biblioteca ou noutro local público da escola. Poderão também organizar debates entre vários candidatos e desenvolver outro tipo de material de propaganda, como autocolantes, pins, folhetos, etc., ou organizar debates entre representantes de várias escolas.

 

A VISÃO Júnior e a VISÃO farão a cobertura da campanha eleitoral e darão espaço aos candidatos, tanto nas suas edições impressas como nos seus sítios na internet e nas redes sociais.

 

A RBE difundirá a cobertura da campanha através das suas redes sociais.

 

Os alunos terão também a possibilidade de criar tempos de antena de rádio, que serão transmitidos pela Rádio Miúdos, em março, e pelas rádios locais com quem as escolas estabeleçam parceria.

 

O dia de reflexão será 14 de março de 2019.

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor