Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



1000px-IFLA_org_logo.svg.jpg

A 9 de dezembro de 2020, a IFLA publicou o documento “Libraries in Digital Skills Policies: policy areas, mechanisms, practices”, documento que pode ajudar a articular algumas ideias relativamente ao papel das bibliotecas no atual contexto português do Plano de Ação para a Transição Digital.

Nele, relembra-se o IFLA Statement on Digital Literacy, documento de 2018 em que são apresentadas algumas experiências de bibliotecas na área da literacia digital e em que estas são convidadas a oferecer oportunidades de aprendizagem nessa área e a mostrar o seu potencial de capacitação junto de decisores relevantes - governos, instituições educativas, setores económicos – para que estes as apoiem na sua missão de utilizar a sua experiência para ajudar a desenvolver a literacia digital nos seus utilizadores.

São igualmente referidos vários relatórios e orientações internacionais que apresentam exemplos de diferentes papéis que as bibliotecas têm desempenhado em abordagens e ambientes de capacitação digital.

Tendo em conta essas práticas e perceções, o documento analisa a presença das bibliotecas em muitas políticas de nível nacional que procuram promover competências digitais para a população.

Enquanto alguns documentos das políticas nacionais analisadas definem metas de alto nível e outros delineiam planos mais detalhados, alguns contêm também referências a medidas específicas destinadas a impulsionar ainda mais o desenvolvimento da literacia digital a partir das bibliotecas.

As medidas possíveis incluem:

• Envolver as bibliotecas na planificação, tomada de decisão e /ou avaliação de ações no âmbito das políticas de promoção de competências digitais;
• Promover a colaboração e implementação conjunta de iniciativas de promoção da literacia digital, envolvendo várias partes interessadas;
• Oferecer oportunidades de aprendizagem e aperfeiçoamento de competências digitais para bibliotecários e outros profissionais que trabalham nas bibliotecas;
• Desenvolver e apoiar o setor de bibliotecas para garantir que estas têm os recursos necessários para darem o seu contributo.

Um breve olhar sobre as várias políticas de nível nacional que visam envolver as bibliotecas na construção da literacia digital permite várias reflexões:

• Políticas com medidas para apoiar o desenvolvimento de competências digitais contando com as bibliotecas, podem ser encontradas numa grande variedade de tipos de documentos de políticas, desde planos e políticas de TIC e banda larga, referenciais estratégicos de competências digitais ou agendas de inclusão digital, estratégias e visões de educação e desenvolvimento e muito mais.

• Todos os tipos de bibliotecas - desde públicas e comunitárias a escolares e académicas - podem oferecer suporte a várias formas de capacitação digital, desde competências digitais básicas e avançadas a competências digitais para tarefas e áreas específicas (por exemplo, e-saúde ou e-governo).

• As bibliotecas podem apoiar a literacia digital de diferentes formas, não apenas oferecendo suporte e oportunidades de aprendizagem de competências digitais, mas também servindo como um espaço para a aprendizagem informal, fornecendo materiais e recursos educativos e de autoformação, colaborando com instituições de ensino formal e outras partes interessadas e ajudando a desenvolver ferramentas ou plataformas que oferecem suporte às aprendizagens de competências digitais.

• Diferentes medidas políticas podem apoiar o trabalho das bibliotecas no campo da literacia digital. Por exemplo, as políticas podem envolver as bibliotecas na planificação, monitorização ou avaliação de intervenções; fomentar a colaboração entre bibliotecas e outras partes interessadas e construir e apoiar o setor das bibliotecas - desde a formação do pessoal até à conectividade, equipamentos ou outros recursos.

Considerando a importância que as bibliotecas escolares assumem atualmente, sobretudo na área do digital, terão um papel importante a desempenhar, colaborando com as suas escolas na elaboração e implementação dos respetivos planos de ação para a transição digital, pelo que a Rede de Bibliotecas Escolares disponibilizará brevemente orientações e exemplos práticos.

 

Referências

IFLA (2020). Libraries in Digital Skills Policies: policy areas, mechanisms, practices. Disponível em https://www.ifla.org/files/assets/hq/topics/info-society/documents/libraries_in_digital_skills_policies.pdf.

IFLA (2018), IFLA Statement on Digital Literacy. Disponível em https://www.ifla.org/publications/node/11586.

jtm.jpeg

Fonte: RTP | Programa Linha da Frente.

 

Conteúdo relacionado:

 

Etiquetas:

manual.png

Manual de procedimientos para bibliotecas : guía para su redacción. Buenos Aires: Biblioteca del Docente, 2006 ISBN 978-987-549-310-0

Download |

 

El Manual de Procedimientos en la Biblioteca

Los procedimientos escritos establecen una guía para el buen funcionamiento de todo tipo de Biblioteca, a la vez que constituyen un modo de protección para todo su personal. Cada bibliotecario tiene su filosofía y una política bajo la que opera, esté o no escrita. El valor de registrar en el Manual todos los procedimientos, es que el personal que se mueve alrededor de la biblioteca, y los nuevos que se incorporan, sepan cuál es la política para cada caso y contribuyan a reforzarla.

Cada Manual es el resultado de la colaboración de todo el personal asignado a la gestión de la Biblioteca. Todas las opiniones deben ser escuchadas, analizadas y consideradas al momento de formalizar los criterios del trabajo cotidiano. Debe contener la descripción exhaustiva de la organización de la Biblioteca y de su accionar interno, y de los servicios que brinda a sus usuarios.

Son varios los beneficios de su redacción: identifica al respon- sable de cada proceso; dispone de definiciones explícitas y normalizadas de las tareas rutinarias; optimiza el grado de eficiencia mediante la simplificación de los procesos; reduce la incertidum- bre sobre la toma de decisiones; garantiza la continuidad de actividades en la Biblioteca; evita la duplicación de tareas; define la estructura tecnológica adecuada y mejora la comunicación y la calidad del servicio.

Resulta necesario aclarar que el Manual es un instrumento dinámico y flexible, porque debe reflejar los cambios que se producen en la Biblioteca.

Para ser más efectivo, el Manual debe incorporar la filosofía de la institución y delinear la misión de la Biblioteca. Una vez aprobado por el equipo de conducción de la Escuela se puede implementar con confianza.

american.jpg

Esta revista digital produzida pela AASL em parceria com a American Libraries, foi projetada para ser partilhada com pais, colegas, administração e formuladores de políticas. Disponível eletronicamente  ou  em PDF, os artigos podem abrir a porta para discussões sobre as várias maneiras, através das quais, as bibliotecas escolares transformam a aprendizagem.

Artigos

  • "Eu sou um especialista"
  • Bibliotecários escolares transformam a aprendizagem
  • Reforçando a advocacia para bibliotecas escolares
  • "As crianças ainda usam a biblioteca?"
  • Construindo Advocacy  (advocacia) antes de uma crise

Extras

 

Referência: School Libraries Transform Learning. (2014). American Association of School Librarians (AASL). Retrieved 23 August 2019, from http://www.ala.org/aasl/advocacy/tools/transforming

 

cdu.png

Consultar a Tabela |


"Corresponde à versão "Sumário" com 2000 entradas (das 68000 da tabela completa)

A Biblioteca Nacional de Portugal está de parabéns pelo trabalho realizado e disponível pela licença Creative Comons. Aqui ficam os créditos do trabalho:



Na entrada do site temos um painel do lado esquerdo com as classes e tabelas auxiliares:

Ao carregar numa dessas tabelas surgem as suas notações principais. Se clicarmos numa notação surge do lado direito a explicitação dessa notação e notações relacionadas, sendo possível de navegar entre as relacionadas.


Ainda existem funcionalidades por implementar, não existe pesquisa (e nem parece que vá existir), o número de notações é pequeno em relação ao publicado em livro mas a navegação é fácil e agradável.
Ainda não estão traduzidas as explicações e exemplos... mas quem quiser pode colaborar!.
Claro que quem já trabalhou com a tabela inglesa, em que as notações se podiam pesquisar por palavra ou mesmo construir e copiar e colar, quer sempre mais!

Mas já era altura de termos a tabela CDU em formato digital! Eu, leitor digital, só posso agradecer!"
 

Referência: Tabela CDU disponível online. (2010). Bibliotequices.blogspot.com. Retrieved 20 August 2019, from https://bibliotequices.blogspot.com/2010/06/tabela-cdu-disponivel-online.html

 

 


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogue RBE em revista

Clique aqui para subscrever


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor