Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



sharon-mccutcheon-645647-unsplash.jpg

 

Materiais produzidos pelo Instituto Crescer trazem sugestões e reflexões para os professores que desejam adotar novas práticas pedagógicas.

 

Com a proposta de apoiar a adoção de tecnologias digitais e o desenho de novas práticas pedagógicas, o Instituto Crescer lançou os guias “Crescer em Rede: Edição Especial Metodologias Ativas” e “Oficinas Crescer em Rede”. Disponibilizados gratuitamente, eles trazem sugestões e reflexões para professores que estão dispostos a inovar as suas metodologias de ensino.

 

No guia “Crescer em Rede: Edição Especial Metodologias Ativas”, os educadores conhecem metodologias ativas que foram testadas com os estudantes ou por meio de atividades de formação de professores realizadas pelo Instituto Crescer. O material traz orientações para as escolas que desejam organizar um grupo de estudos para apoiar a formação continuada na escola. O foco está na implementação de metodologias que contribuem para o desenvolvimento de competências da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), como pensamento crítico, científico e criativo, uso de diferentes linguagens e cultura digital.

 

Já no guia “Oficinas Crescer em Rede”, os professores têm acesso a um conjunto de oficinas pedagógicas voltadas para o desenvolvimento de competências cognitivas e socioemocionais que podem ser aplicadas com crianças e adolescentes em diferentes contextos de aprendizagem, da educação formal até o contraturno. Todas as atividades foram planeadas para um período de 3 horas, utilizando materiais simples que estão disponíveis em qualquer escola. Entre as sugestões, estão atividades de circo, educomunicação, música e recriação.

 

Os guias foram produzidos com licença Creative Commons que permite o uso integral ou remixados, conforme os interesses de cada instituição, desde que mencionado o crédito de autoria. Os materiais estão disponíveis no site do Instituto Crescer.

 

Replicado da fonte com adaptações linguísticas.

 

Referência: Guias gratuitos ajudam professores a inovar e usar metodologias ativas - PORVIR. (2019). PORVIR. Retrieved 6 February 2019, from http://porvir.org/guias-gratuitos-ajudam-professores-a-inovar-e-usar-metodologias-ativas/

Autoria e outros dados (tags, etc)

VIII Congreso Nacional: Siglo XXI, Educación y Ceibal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

aned.png

Aprender en la Era Digital. Madrid; Fundación Telefónica, 2018

 

O estudo convida à reflexão e foca os cenários educativos atravessados hoje ​​por uma mudança vertiginosa de época. Os fatores mais decisivos deste cenário são as transformações que estão a ocorrer com conhecimento e informação. Pode-se argumentar que a educação tem lugar hoje no âmbito de uma revolução cujo alcance não se limita unicamente ao âmbito tecnológico e produtivo, mas manifesta-se em aspetos económicos, sociais, culturais, políticos e educativos, estabelecendo-se, em suma, um novo contexto digital e uma nova cidadania.

 

A partir de uma perspetiva ampla de qualidade educativa, os autores analisam a forma como as tecnologias contribuem para democratizar o conhecimento, disponibilizando-o para amplos setores sociais. Ao mesmo tempo, e de forma complementar e enfática, assinala-se que as TIC representam uma oportunidade para melhorar a qualidade da educação. Para tanto, o trabalho contextualiza a situação das políticas de TIC na Argentina, no marco da proatividade refletida nas agendas educativas da região.

 

Referência: Arévalo, J. (2019). Aprender en la era digitalUniverso Abierto. Retrieved 9 January 2019, from https://universoabierto.org/2019/01/09/aprender-en-la-era-digital/

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Estratégias para aprender melhor. Barbara Oakley, educadora e escritora

Ver programa completo.

 

Barbara Oakley é professora de engenharia na Oakland University em Rochester, uma académica ilustre com o Prémio de Aprendizagem Digital Global Ramón e Cajal da Universidade McMaster. É diretora do curso "Aprendendo a aprender" do Coursera, o maior curso on-line do mundo. 

 

Oakley é uma das referências internacionais sobre neuroeducação e vencedora de vários prémios de ensino, como o Prêmio Chester F. Carlson da Sociedade Americana de Educação em Engenharia. 

 

Nos seus livros "A Mind for Numbers" e "Mindshift", oferece as chaves para descobrir nosso potencial oculto graças à aprendizagem. 

 

Oakley teve uma vida cheia de aventuras. Foi nomeada capitã do exército dos Estados Unidos, Trabalhou como especialista em comunicações na Estação do Pólo Sul na Antártida e trabalhou na tradução a bordo de barcos de pesca no Mar de Bering.

 

A Dr. Oakley  convida-nos a sair de nossa zona de conforto para desenvolver novas habilidades e flexibilidade de trabalho: "Uma qualidade que nos ajudará a adaptar-nos a um mundo em constante mudança", diz ela.

Referência: Estrategias para aprender mejor. (2018). BBVA Aprendemos Juntos. Retrieved 19 November 2018, from https://aprendemosjuntos.elpais.com/especial/estrategias-para-aprender-mejor-barbara-oakley/

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ken Robinson, educador e escritor.

Ver o programa completo.

 

Em criança, nunca pensou em se dedicar à educação: "As nossas vidas são um processo constante de decisões criativas e improvisação. Então, quando fui para a escola, não tinha ideia do que queria fazer ”. 

 

Hoje, este educador, escritor e comunicador, é uma referência pedagógica mundial. Robinson considera necessária uma profunda transformação do atual sistema educacional e valoriza o papel dos professores como decisivo. Garante que "é difícil exagerar a importância dos professores na sua vida" e acrescenta: "É uma profissão com muitas dimensões, um dos trabalhos mais exigentes que uma pessoa pode ter." 

 

Ao contrário de comentários e a hierarquia dos assuntos, defende a criatividade como uma das habilidades mais importantes que as escolas deveriam incentivar nas crianças "é a essência do que significa ser humano", diz ele. 

 

Ken Robinson é professor emérito da Universidade de Warwick, no Reino Unido, onde ensinou arte há doze anos. Liderou projetos nacionais e internacionais sobre criatividade e cultura na Europa, Ásia e Estados Unidos.

 

A sua famosa conferência "As escolas matam a criatividade?" É a palestra educativa mais popular na internet. As suas contribuições para a educação e as artes renderam-lhe uma infinidade de prémios e reconhecimentos. Entre eles, a nomeação como Cavaleiro do Império Britânico pela Rainha Elizabeth II. 

 

Sir Ken Robinson é o autor de mais de uma dúzia de livros. O seu sucesso de vendas "El Elemento" é um trabalho traduzido em mais de vinte idiomas nos quais afirma: "É impossível adivinhar como viveremos no futuro. A única coisa que sabemos é que é preciso muita imaginação e criatividade para nos transformar e enfrentar os novos desafios ". 

 

Referência: ¿"Qué hace falta para ser un buen profesor?". (2018). BBVA Aprendemos Juntos. Retrieved 13 November 2018, from https://aprendemosjuntos.elpais.com/especial/que-hace-falta-para-ser-un-buen-profesor-ken-robinson/

 

Conteúdo relacionado:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Daniel Goleman - psicólogo.
 
 
 
Há um estudo feito entre 750 mil estudantes, em que metade aprendera a concentrar-se e a outra metade não...
 
O estudo demonstra que as crianças que tinham praticado a aprendizagem social e emocional, foram capazes de gerir melhor as suas emoções, envolveram-se em menos brigas e discussões, comportaram-se melhor em sala de aula, prestaram mais atenção e tiveram menos problemas. 
 
Os indicadores, que chamamos de anti-sociais, desceram todos. 
 
E os indicadores pró-sociais aumentaram. «Eu amo a escola», «eu acho que alguém na escola realmente se preocupa comigo», «eu não quero faltar às aulas, eu quero ir a todas». Estes indicadores aumentaram dez por cento. 
 
Os negativos caíram dez por cento. E desceu mais nas escolas onde era mais necessário, onde havia mais problemas. Isso é interessante, as notas subiram onze por cento.
 
 (...)
 
Tradução livre do espanhol com alterações e supressões.
 

Referência: “Saber concentrarse es más decisivo para un niño que su coeficiente intelectual”. (2018). BBVA Aprendemos Juntos. Retrieved 8 November 2018, from https://aprendemosjuntos.elpais.com/especial/saber-concentrarse-es-mas-decisivo-para-un-nino-que-su-coeficiente-intelectual-daniel-goleman/

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Download |

 

La dimensión digital se expande hasta atravesar todos los puntos neurálgicos de la vida en sociedad.

La actualidad es un híbrido entre una organización comunitaria establecida a lo largo de siglos y las nuevas costumbres, procedimientos, productos, vínculos y cadenas de valor desarrolladas en la última década.

Una serie de nuevos temas son abordados por instituciones académicas y educativas, sociedades civiles e individuos que identifican categorías y problemáticas propias de una ciudadanía en transformación. A la vez, las habilidades que las nuevas generaciones necesitan para sus competencias hacia el futuro se vuelven centrales para la educación.

Mientras los docentes incorporan nuevas prácticas y roles, la tecnología abre posibilidades de enriquecer el diagnóstico, el trabajo en el aula y las formas de evaluación.

 

Fundación Ceibal (2018, julio). Ciudadanía digital y habilidades para el siglo XXI. + Aprendizajes. 1(1)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

tese.png

Autora: Pereira, Maria Clara Monteiro Cardoso | 2015

 

Resumo:

 

Esta dissertação aborda, de um ponto de vista crítico, a teoria do Conetivismo à luz dos seus princípios e das respetivas implicações na visão tradicional de aprendizagem e de conhecimento.

 

A tese foi desenvolvida tendo em conta uma metodologia de revisão bibliográfica das publicações mais relevantes da autoria dos principais representantes do Conetivismo, nomeadamente George Siemens e Stephen Downes, estando sempre subjacente a preocupação em não apresentar apenas mais um estudo sintetizador da teoria, mas simultaneamente uma visão crítica do Conetivismo.

 

Enquanto teoria de aprendizagem para uns, mera perspetiva epistemológica para outros, o Conetivismo tem assumido um papel crescente no debate acerca daquilo que entendemos por aprendizagem em rede e das suas implicações nos estatutos tradicionais do conhecimento e da aprendizagem e até do papel dos educadores e dos alunos.

 

Alvo de reconhecimento para uns, de críticas para outros, o Conetivismo está ainda a dar os primeiros passos no desenvolvimento de uma visão epistemológica inovadora, principalmente no que diz respeito à partilha em rede, à aprendizagem centrada em comunidades online, regidas por interesses e objetivos comuns, onde a auto-aprendizagem é fundamental. Mas que consequências traz esta nova forma de encarar a aprendizagem?

 

Até que ponto o Conetivismo é uma teoria que vai mais além das teorias de aprendizagem anteriores? Passaremos a encarar o conhecimento de modo diferente a partir daqui? Qual o verdadeiro alcance dos MOOC, cada vez mais em voga?

 

Citação:  Pereira, Maria Clara Monteiro Cardoso - O conetivismo e as suas implicações nas noções de aprendizagem e conhecimento. [S.l.] : [s.n.], 2015. 121 p.

 

Conteúdo relacionado:

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Emilia Ferreiro, especialista do mundo em alfabetização, fala sobre a importância de valorizar que as crianças escrevam conforme as suas ideias.

Vídeo da série Grandes Diálogos, publicado no site da revista Nova Escola.

Autoria e outros dados (tags, etc)

roteiro.png

 Download |

 

Cada agrupamento conta com uma ou mais bibliotecas escolares (BE) que facultam recursos capazes de apoiar o percurso formativo e curricular das crianças/ alunos.

 

Aos professores bibliotecários (PB) cabe gerir, de forma integrada, as bibliotecas escolares e os serviços de biblioteca dirigidos a toda a população escolar do agrupamento, apoiando-se num trabalho colaborativo com os docentes das várias escolas.

 

Com este documento, a RBE pretende apoiar os professores bibliotecários na organização, gestão e dinamização das bibliotecas escolares nas escolas do primeiro ciclo e nos jardins-de-infância, convocando os docentes para uma melhor apropriação desta estrutura, através da apresentação de propostas facilitadoras da utilização da BE por todos.

 

Apresenta-se como um instrumento de operacionalização de trabalho colaborativo entre o professor bibliotecário e os docentes, visando apoiar o desenvolvimento de um conjunto de competências gerais e transversais às diferentes áreas curriculares e conteúdos programáticos, em contextos diversificados, promovendo a biblioteca escolar como um ambiente de aprendizagem transdisciplinar e dinâmico.

Autoria e outros dados (tags, etc)


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor