Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




fake news.jpeg

Declaração completa [PDF]

 

Resposta da IFLA às notícias falsas: desenvolva competências e lute contra a censura. Da Conferência Anual. 25 de agosto de 2018

 

A informação falsa que aparece online pode distorcer a tomada de decisão das pessoas e prejudicar o debate nas sociedades. E, ao mesmo tempo, a luta contra as "falsas notícias" também serve como desculpa para promulgar leis repressivas que restringem a liberdade de expressão. Uma resposta eficaz baseada em meios mais fortes, literacia informacional e maior confiança no ambiente digital deve ser dada e deve-se tomar cuidado para não tomar medidas que corram o risco de limitar a liberdade de acesso à informação.

As bibliotecas podem ser muito úteis.

 

As "Fake News" é um assunto que está sendo debatido intensamente em muitas partes do mundo. Há uma grande preocupação de que a desinformação deliberada possa minar a tomada de decisão democrática e trazer confusão e dúvida para as vidas das pessoas.

 

A difusão de informações imprecisas com a intenção de enganar não é algo novo. No entanto, a rapidez com que as notícias digitais são produzidas e disseminadas faz com que a prevalência de "falsas notícias" seja uma tendência preocupante.

 

A contribuição das bibliotecas

As bibliotecas desempenham um papel importante nesse debate, dado o seu compromisso institucional e ético de ajudar os utilizadores a aceder a informações confiáveis ​​e autênticas.

 

A IFLA tem trabalhado ativamente durante anos na  informação e alfabetização midiática . No WLIC 2017, a IFLA publicou a sua declaração sobre  alfabetização digital, destacando que a capacidade de aproveitar o potencial das ferramentas digitais é essencial para uma sociedade democrática e uma cidadania comprometida.

 

Na WLIC em 2018, a  Declaração da IFLA sobre Notícias Falsas  reafirma o papel essencial das bibliotecas para combater a desinformação por fornecer as ferramentas e competências para as detectar e reconhecer. A experiência profissional dos bibliotecários torna as nossas instituições únicas quando se trata de ajudar os cidadãos a avaliar criticamente as informações que encontram online.

 

Ao mesmo tempo, as bibliotecas combatem a censura ao defender a liberdade de expressão e informação como um direito humano fundamental. A declaração enfatiza este papel e apela aos governos para resistirem à tentação de "proibições"  que podem prejudicar a liberdade intelectual.

 

Referência: Arévalo, J. (2018). Respuesta de la IFLA a las Noticias Falsas: Desarrollar Destrezas y Luchar contra la CensuraUniverso Abierto. Retrieved 31 August 2018, from https://universoabierto.org/2018/08/29/respuesta-de-la-ifla-a-las-noticias-falsas-desarrollar-destrezas-y-luchar-contra-la-censura/

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor