Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue RBE

Ter | 04.10.22

Querido futuro, eu gostava que a escola…

Querido futuro pq.png

 

A criança tem direito à liberdade de expressão. Este direito compreende a liberdade de procurar, receber e expandir informações e ideias de toda a espécie, sem consideração de fronteiras, sob forma oral, escrita, impressa ou artística ou por qualquer outro meio à escolha da criança.

Artigo 13, Convenção sobre os Direitos da Criança (1989)

Não só na Convenção sobre os Direitos da Criança, mas em muitos outros documentos produzidos por organizações internacionais de relevo se vem afirmando o direito das crianças e dos jovens a serem escutados, não apenas para exprimirem a sua opinião, mas sobretudo para que essa opinião possa ter um resultado transformador no mundo que nos rodeia.

A título de exemplo, lembramos que em maio de 2022, a ONU lançou uma nova campanha que visa apoiar a participação política dos jovens e amplificar suas vozes na vida pública: Be Seen Be Heard.

Como os jovens deixaram bastante claro por meio de seu ativismo nas ruas, na sociedade civil e nos media sociais, eles preocupam-se profundamente com a mudança transformacional necessária para criar sociedades mais igualitárias, justas e sustentáveis

Jayathma Wickramanayake, Enviada do Secretário-Geral das Nações Unidas para a Juventude nas Nações Unidas, no lançamento da campanha Be seen, be heard

Também a Comissão Europeia, no âmbito do Ano Europeu da Juventude 2022, disponibilizou a Plataforma de Voz, em agosto de 2022, com o objetivo de dar a jovens de todas as origens e países a oportunidade de expor as suas ideias e preocupações para o futuro da Europa e moldar um futuro baseado na solidariedade, democracia e justiça.

A participação dos jovens, sempre como um objetivo transformador, tem também sido destacada no que respeita à sua intervenção nas questões da Educação. Grandes organizações internacionais ligadas a essa área (UNESCO, OCDE, Comissão Europeia…) evidenciam a importância da voz dos alunos e da sua participação na vida escolar, em todas as suas dimensões, o mesmo acontecendo com numerosos estudos especializados sobre o assunto.

Em Portugal, o Conselho Nacional de Educação emitiu uma Recomendação sobre «A voz das crianças e dos jovens na educação escolar». (N.º 2/2021, de 14 de julho) em que salienta a necessidade de valorizar a voz das crianças e dos jovens na organização das instituições escolares, no processo de aprendizagem e na formação de professores e de outros agentes educativos.

Tal como já foi amplamente divulgado pela Rede de Bibliotecas Escolares, reconhecendo as ameaças à consecução do ODS 4, decorrentes das crises com que a humanidade se tem confrontado nos últimos tempos, António Guterres convocou a Cimeira Transformar a Educação (Transforming Education Summit – TES), que decorreu entre 16 e 19 de setembro de 2022, e de que resultou a Youth Declaration on Transforming Education.

Neste contexto, a Rede de Bibliotecas Escolares, que tem inscrita no seu quadro estratégico 2021-2027 a intenção de “Incentivar ações que convoquem para o exercício da cidadania democrática, reflexiva e empreendedora, comprometida com uma visão humanista e sustentável do mundo” (p. 47), propôs que, durante o mês de outubro, as bibliotecas desenvolvessem a iniciativa Transformar a Educação: Dá voz às tuas ideias! (a que ainda podem aderir) e promovessem nas suas escolas um amplo debate que convocasse os alunos a refletirem sobre as alterações que consideram necessárias para atingir uma boa educação para todos e a proporem ações de transformação, designadamente para se conseguir:

- Escolas inclusivas, equitativas, seguras e saudáveis;

- Aprendizagens e competências para a vida, para o trabalho e para o desenvolvimento sustentável;

- Transformação digital, efetiva e promotora da aprendizagem;

- …

Esta iniciativa complementa-se com a proposta de um pequeno desafio que as bibliotecas podem lançar aos seus alunos e cujos resultados podem partilhar nas suas redes sociais e com a Rede de Bibliotecas Escolares:

Escreve um pequeno parágrafo [limite de 100 palavras] cujo início é: QUERIDO FUTURO, EU GOSTAVA QUE A ESCOLA…

Os alunos poderão igualmente trabalhar graficamente o seu pequeno texto, de forma analógica ou digital, sendo sempre necessário garantir uma boa dimensão, adequada ao suporte onde vai ser usada/ partilhada.

 

Como partilhar?

A partilha deve ser feita nos canais oficiais da(s) biblioteca(s) e essa informação deve ser remetida para a RBE, para que nos associemos à divulgação das propostas dos alunos, o que acontecerá exclusivamente no Instagram RBE.

Para esse efeito:

- Podem ser usadas as hashtags - #transformareducacao #bibliotecaescolar #rededebibliotecasescolares; #vozdosalunos

- Pode ser partilhada a respetiva ligação através do formulário disponível nesta hiperligação;

- Serão selecionadas e partilhadas pela RBE as publicações mais criativas que identifiquem a escola/ biblioteca escolar e que estejam divulgadas nos canais oficiais das bibliotecas.

_____________________________________________________________________________________________________________________