Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Mónica Martins – Professora bibliotecária
 
Mónica Cristina Pinto Martins é professora bibliotecária no Agrupamento de Escolas de S. Miguel, na Guarda.

A Guarda (G) Como é que surgiu a sua ligação às Bibliotecas Escolares? 
Mónica Martins (MM) Por acaso foi uma história engraçada: estava eu a leccionar a minha turma quando recebi um telefonema a dizer que o lugar estava vago e que seria alvo de um destacamento, cujo prazo terminava nesse mesmo dia. Senti-me confusa, tive tempo apenas para fazer dois telefonemas a pedir ajuda na minha decisão. Aceitei, até hoje. Eu costumo dizer que o gosto pelo trabalho das Bibliotecas Escolares cresce a cada dia que passa, acompanhando as exigências que também não param de aumentar. 

G O que é o Dia Nacional das Bibliotecas Escolares?
MM Desde o ano passado que se comemora o Mês Internacional da Biblioteca Escolar por decisão da IASL, em Dezembro de 2007.
Durante o mês de Outubro, as Bibliotecas Escolares costumam organizar um conjunto de actividades, envolvendo toda a comunidade escolar dos Agrupamentos de Escolas onde se encontram inseridas. 
A Rede de Bibliotecas Escolares decidiu, por sua vez, que a última segunda-feira do mês de Outubro seria o dia em que as actividades a realizar encontrariam a sua principal expressão. No ano lectivo 2009/10, o dia 26 de Outubro foi, por excelência, o dia das bibliotecas escolares em Portugal. Assim, em parceria com a Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço e a Câmara Municipal da Guarda, as crianças das escolas do 1º Ciclo da cidade e algumas do meio rural, deslocaram-se à BMEL para assistir a um Teatro de Marionetas intitulado “O Problema do Corvo” apresentado pelo grupo Partículas Elementares.  
(...)
G As Bibliotecas Escolares são muito procuradas pelas crianças?
MM Muito. É gratificante ver o entusiasmo que mostram quando se fala em irem à biblioteca e quando nos abordam para saber se vão ter alguma actividade na BE. Semanalmente, as crianças requisitam um livro para lerem em casa e a maioria lê mesmo. Quando vão trocar de livro gostam de contar aos colegas aquilo que leram e por vezes damos com elas a aconselharem-se umas às outras, para escolher este ou aquele título. Também durante o intervalo, as BE são muito procuradas. É evidente, como em tudo, que há excepções à regra. Podemos constatar que há escolas onde as coisas não funcionam tão bem como desejaríamos, mas felizmente são uma minoria e continuaremos a trabalhar para ultrapassar essas situações. 

G Considera importante que os mais novos adquiram hábitos de leitura?
MM Se não considerasse não seria professora, muito menos professora bibliotecária. Sem a leitura tudo se torna muito mais complicado: a escrita, o vocabulário, a oralidade…o conhecimento em geral. Também considero muito importante que os pais sejam bons leitores, é meio caminho andado para que os filhos adquiram o hábito, as crianças, como sabemos, funcionam por imitação do que nos vêem fazer.
Considero que a Biblioteca Escolar desempenha um papel crucial no desenvolvimento das competências leitoras e de informação dos nossos alunos.  
(...)

G Quais os projectos que a Biblioteca Escolar, da sua escola, tem para este ano?
MM No decorrer deste ano lectivo iremos continuar a desenvolver projectos relacionados com a promoção da leitura e com o apoio aos currículos, nomeadamente o projecto do “Comboio dos Livros” que fará chegar livros a todas as escolas e Jardins de Infância do Agrupamento de Escolas de S. Miguel; encontros com escritores e ilustradores; Feira do Livro; Feira da Leitura; o projecto “Miúdos e Graúdos na BE”, que consiste num Convite mensal ao representante dos Encarregados de Educação de uma turma, para que se desloque à BE, contar uma história aos colegas do seu educando, tendo como suporte os livros do PNL e a tradicional Hora do Conto a decorrer ao longo do ano lectivo.

 A Guarda, Novembro de 2009
Ler mais >>



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor