Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue RBE

Qua | 20.03.24

O papel da biblioteca escolar no Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital do AE n.º 3 de Elvas

por Teresa Guerreiro, professora bibliotecária

2024-03-20.png

O Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE) é um instrumento estratégico que reúne informações sobre os meios tecnológicos existentes, o grau de competências digitais da comunidade educativa e identifica uma visão e ações estratégicas. 

A missão da biblioteca escolar no âmbito do PADDE é desempenhar um papel fundamental na promoção da literacia digital entre os membros da comunidade educativa. Assim, algumas das principais funções da biblioteca escolar do Agrupamento de Escolas n.º3 de Elvas, no contexto do PADDE, abrangem os seguintes pontos:

  • promover o acesso à informação digital: disponibilização de recursos digitais, como bases de dados, e-books, revistas eletrónicas e outros materiais online, garantindo que alunos, professores e funcionários tenham acesso a informações relevantes e atualizadas, num serviço de curadoria sempre atualizado;

  • desenvolver competências digitais: oferta de formação em competências digitais, incluindo pesquisa online, avaliação crítica de fontes, uso responsável das redes sociais e segurança digital;

  • integrar tecnologias digitais no ensino e aprendizagem: colaboração com os professores para inclusão de ferramentas digitais nos planos de aula, promovendo a inovação pedagógica e o uso eficaz da tecnologia;

  • estimular a leitura digital: incentivo à leitura de e-books e outros conteúdos digitais, promovendo o gosto pela leitura em diferentes formatos;

  • fomentar a cidadania digital: sensibilização dos alunos sobre questões relacionadas à ética digital, privacidade online, direitos autorais e responsabilidade digital.

Em suma, a missão da biblioteca escolar no âmbito do PADDE é apoiar a transição digital da escola, capacitando os membros da comunidade educativa para uma participação ativa e crítica na sociedade digital.

As bibliotecas escolares do Agrupamento de Escolas n.º3 de Elvas sempre estiveram na vanguarda no que respeita à utilização do digital nos múltiplos aspetos do seu trabalho: desde o uso de ferramentas TIC e web, a criação de blogues, sítios web e plataformas de recursos digitais até à partilha de boas práticas através das redes sociais. As plataformas digitais em linha das bibliotecas escolares são diversificadas, constantemente atualizadas e construídas para responder ao máximo possível de necessidades detetadas na comunidade escolar, contribuindo, desta forma, para a consecução de algumas das metas estabelecidas no PADDE do agrupamento. Assim, temos ao dispor:

Neste momento, constitui prioridade, para o agrupamento, o impacto que a inteligência artificial (IA) está a ter na nossa sociedade e, por isso, deve ser feita uma reflexão conjunta, aberta e lúcida, sobre a sua utilização pedagógica, para promover a compreensão das suas potencialidades, com o objetivo de dissipar dúvidas, medos e preconceitos que persistem junto de muitos professores.

O Agrupamento está a participar no projeto IA Educação 360º, que surge da necessidade de explorar novas abordagens educativas e integrar a tecnologia de forma inovadora no processo de aprendizagem. Contando com a colaboração de duas turmas do 8º ano de escolas de Oeiras e Elvas, a Rede de Bibliotecas Escolares e o Instituto Politécnico de Portalegre, este projeto visa investigar o potencial da Inteligência Artificial (IA) como ferramenta pedagógica.

Pretendemos, assim que for possível, realizar formação sobre o tema, de modo a podermos replicar os conhecimentos adquiridos junto da comunidade escolar.

Enfrentamos ainda obstáculos por superar, nomeadamente no que respeita à qualidade e quantidade dos equipamentos de que dispomos, mas as políticas nacionais, que permitem acesso de cada aluno a um computador portátil, começam a ter efeitos práticos com um crescente número de alunos a solicitar o seu equipamento. Isto não significa, contudo, que não haja necessidade de renovar a “frota” que temos, mas acreditamos que as oportunidades são francamente maiores do que os constrangimentos que sentimos. O caminho faz-se caminhando.

A Professora Bibliotecária, Teresa Guerreiro

 

 

_____________________________________________________________________________________________________________________