Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue RBE

Sex | 08.09.23

O Papa Francisco e o Pacto Educativo Global

2023-09-08.png

A propósito da vinda do Papa Francisco a Lisboa para a 15.ª edição da Jornada Mundial da Juventude (1 a 6 de agosto de 2023) lembramos dois dos seus legados, o Pacto Educativo Global e a Ecologia Integral (a publicar brevemente), que respondem a duas crises interrelacionadas, a crise social e a crise ambiental.

Constituem importantes instrumentos para reflexão sobre educação humana integral ou holística e educação ambiental ou para a ação climática, para além de contribuírem para uma reflexão sobre abordagens educativas em contexto escolar.

Lançado no Vaticano a 15 de outubro de 2020, o Pacto Educativo Global é dirigido a todas as pessoas do mundo, instituições, igrejas e governos e visa transformar a sociedade através de uma educação humanista.

Na mensagem da sua apresentação [2] o Papa Francisco destaca:

 - A educação é “um dos caminhos mais eficazes para humanizar o mundo e a história”, é um “antídoto natural à cultura individualista, que às vezes degenera num verdadeiro culto do ‘ego’ e no primado da indiferença”, divisão e fragmentação entre saberes e identidades. É fundamental que desenvolva o “pensamento e imaginação, escuta, diálogo e compreensão mútua“ e fraterna, na busca do bem comum e da harmonia entre povos e culturas. É na educação que “habita a semente da esperança”.

- Este é um “percurso integral” que visa o bem-estar físico e psicológico de cada pessoa e, em particular, dos jovens, que enfrentam situações de solidão, “depressão, toxicodependências, agressividade, ódio verbal, fenómenos de bullying” e de desconfiança quanto ao futuro. Visa o abandono da atitude de passividade perante as ameaças aos direitos humanos - “o flagelo das violências e abusos contra os menores, aos fenómenos das meninas-noivas e das crianças-soldado, ao drama dos menores vendidos e escravizados” - e a “grave crise ambiental e climática”.

- A educação integral não é um apelo apenas dirigido aos cristãos, deve ser um compromisso/ pacto pessoal e entre toda a sociedade, pois é “participativa e poliédrica”, pluridisciplinar, intercultural e inter-religiosa:

“Apelamos, em todas as partes do mundo, de maneira particular aos homens e mulheres da cultura, da ciência e do desporto, aos artistas, aos operadores dos meios de comunicação social, para que adiram – também eles – a este pacto”.

Nesta mensagem o Papa Francisco alicerça o Pacto Educativo Global em 7 pilares:

- Centralidade da pessoa humana e da sua dignidade que, através da educação, se desenvolve cognitiva, espiritualmente (1.º pilar) e através da ação transformadora.

 "Educar não é apenas transmitir conceitos, mas é um trabalho que exige que todos os responsáveis, família, escola e instituições sociais, culturais e religiosas, participem desse processo de forma solidária. Para educar é necessário integrar a linguagem da cabeça com a linguagem do coração [destaque para a beleza, as artes e a cultura que educa para os valores, a ética] e a linguagem das mãos” [3].

Centralidade da família (4.º pilar) e da humanidade, designadamente dos mais vulneráveis e marginalizados (5.º pilar). Trata-se de uma visão da educação integral e inclusiva;

- Escuta da voz das crianças e jovens (2.º pilar) – designadamente das meninas e raparigas (3.º pilar) - que devem ter plena participação na educação e na sociedade;

- Compreensão da economia, da política e do progresso, à luz de uma ecologia integral ao serviço do ser humano (6.º pilar);

- Preservação e valorização do planeta - “guardar e cultivar a nossa casa comum” - adotando um estilo de vida mais sóbrio, que limite a utilização de recursos, aposte em energias renováveis, na economia circular e na solidariedade universal (7.º pilar).

O documento de trabalho do Pacto Educativo Global, Instrumentum Laboris [4], considera que a abertura ao outro é o fundamento do pacto e destaca que a concretização do pacto, exige uma vila da educação [“Introdução”], uma rede global de alianças e relações interdependentes e coesas, que assumam o seu compromisso por uma causa comum, pondo de lado as diferenças entre as partes, que devem exercer uma liderança servidora – “fomos criados não apenas para viver ‘com os outros’, mas também para viver ‘a serviço dos outros’”. Defende uma fraternidade universal e não meramente cristã, que decorre, não do dever moral, mas da “identidade objetiva do género humano e de toda a criação” que rejeita a “cultura do descartável”, não só de coisas, como de pessoas [“O projeto - 3. Fraternidade original”]. 

Neste documento, o Papa Francisco reconhece que os tempos tecnológicos em que vivemos podem gerar o empobrecimento interior e ser um instrumento de fechamento em nós mesmos, de cultivo da indiferença perante o sofrimento real e de perda de ligação ao passado, às raízes/ memória, aos velhos e às crianças, fora do circuito de produtividade. A velocidade de acesso a informação e a personalização da internet gera “crescente dificuldade a parar, a refletir, a escutar”, bem como dificuldade em construir “uma visão unitária de si” e do seu papel no mundo [“O contexto”].

O documento valoriza o papel dos professores e do ato educativo, cuja finalidade é “formar pessoas disponíveis para se colocarem ao serviço da comunidade” [“A Missão”].

O Pacto Educativo Global é um caminho apresentado pelo Papa Francisco desde o início do seu magistério, estando anunciado em Evangelii Gaudium (2013) – “torna-se necessária uma educação que ensine a pensar criticamente e ofereça um caminho de amadurecimento nos valores” [5] - e na Carta Encíclica Laudato Si  (2015). - “educar para a aliança entre a humanidade e o ambiente” [5].

Referências

  1. Papa Francisco. (2020). Pacto Educativo Global. Itália: Vaticano. https://www.educationglobalcompact.org/en/contacts/
  2. Papa Francisco. (2020, 15 out.). Mensagem em vídeo do papa francisco por ocasião do encontro promovido pela congregação para a educação católica: "Global Compact on Education. Together to Look Beyond" [Pacto Global da Edfucação: Juntos para Olhar Além]. Roma, Itália: Pontifícia Universidade Lateranenese/ Libreria Editrice Vaticana https://www.vatican.va/content/francesco/pt/messages/pont-messages/2020/documents/papa-francesco_20201015_videomessaggio-global-compact.html
  3. Vaticano News. (2020, 7 fev.). Francisco: pensar na educação é pensar nas gerações futuras e no futuro da humanidade. https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2020-02/papa-educacao-pensar-geracoes-futuras-futuro-humanidade.html
  4. Papa Francisco. (2020, 15 out.). Pacto Educativo Global: Instrumentum Laboris. Roma https://www.educationglobalcompact.org/resources/Risorse/instrumentum-laboris-pt.pdf
  5. Papa Francisco (2013). Exortação Apostólica Evangelii Gaudium - Sobre o Anúncio do Evangelho no Mundo Atual. Itália: Libreria Editrice.Vaticana. https://www.vatican.va/content/francesco/pt/apost_exhortations/documents/papa-francesco_esortazione-ap_20131124_evangelii-gaudium.html#Cultura,_pensamento_e_educa%C3%A7%C3%A3o
  6. Papa Francisco (2015). Carta Encíclica Laudato Si’ - Sobre o Cuidado da Casa Comum. Itália: Libreria Editrice Vaticana. https://www.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html

_____________________________________________________________________________________________________________________