Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blogue RBE

Seg | 27.06.22

Leitura partilhada

2022-06-27.png

Leitura: 5 min | 

No contexto de mudança e incerteza quanto ao futuro e de aumento significativo dos problemas de saúde mental, Atlanta Meyer, Presidenta da Secção de Leitura e Literacia da International Federation of Library Associations and Institutions (IFLA) afirma que a “Seção de Leitura e Literacia está atualmente a concentrar-se na Leitura para o Bem-Estar. Este assunto tem sido o nosso foco principal nos últimos dois anos e atualmente estamos a planear iniciativas e programas em torno de Biblioterapia, Leitura Partilhada, Leitura Consciente e Contar Histórias”.

Neste contexto, propomos-lhe sugestões sobre como orientar a discussão em grupo de um livro lido por todos os participantes, bem como iniciar cada sessão ou resolver questões práticas.

Discussão sobre o livro: diretrizes & questões

Segundo Diretrizes para Discussão do Livro da Cooperative Children’s Book Center (CCBC) [1], é importante que “Olhe para cada livro pelo que é, ao invés do que não é” e, por isso, o diálogo deve iniciar-se com comentários positivos sobre o que gostou no livro e porquê. Exemplo: A fábula de Esopo, O menino, o velho e o burro mostra que devemos pensar e decidir por nós próprios, sem ter em conta as opiniões dos outros.  

Só depois de todos, sem exceção, dizerem o que gostaram no livro se deve falar de dificuldades que os leitores tiveram com aspetos específicos do livro. A CCBC sugere que apresentemos as dificuldades sob a forma de pergunta, em vez de juízo crítico. Exemplo: Porque é que o autor colombiano, Gabriel García Márquez, no romance O Amor nos Tempos de Cólera usa palavras semelhantes para descrever os efeitos do amor e da cólera? 

Recomenda ainda que não se faça o resumo do livro e que se tente comparar o livro com outros livros da lista de discussão para incentivar leituras e encontros futuros.

Relativamente à dinâmica de intervenções, é importante advertir que na discussão não há respostas certas, que todos os cometários são importantes para dar vida e aprofundar o significado do texto e desenvolver uma perspetiva crítica. É fundamental que todos partilhem o seu ponto de vista com todos respondendo, sempre que oportuno, aos comentários, de modo a que conversem uns com os outros sobre o livro, criando laços de pertença e sentido de comunidade.

Library Booklists [2] disponibiliza recursos para grupos de leitura - por exemplo: conselhos sobre como começar um grupo, listas temáticas de livros em inglês para diferentes públicos e calendário de aniversário de autores – e, com base neles, propomos-lhe que crie um guião específico para o livro ou, em alternativa, que dê início a tópicos gerais que possam constituir ponto de partida para a livre expressão dos pontos de vista de cada um a propósito do livro: 

- O que gostaram e porquê; 

- Capa e títulos dos capítulos: que pistas lançam, há algo que não faça sentido; 

- Excertos marcantes: seu significado e experiência pessoal semelhante;

- Protagonista: identifica-se com os seus valores e atuação;

- Personagem menor: que papel desempenha na narrativa;

- Final: é o esperado, que sugestão para final alternativo. 

Quebra-gelo

Cada sessão de leitura pode iniciar-se - ou terminar - com momento descontraído que suscite aproximação entre os participantes e melhor conhecimento do livro. Exemplo de jogos:

- Colocar num cesto perguntas genéricas, cada leitor tira uma e responde de imediato: Qual é o livro da sua vida? Que personagem literário é mais parecido consigo? Com que escritor gostaria de ir jantar? 

- Se a história do livro decorre no passado, cada leitor descreve um personagem como se a história ocorresse na atualidade (características físicas e psicológicas, local onde habita, familiares e amigos, música e comida preferidas, ocupação…); 

- Sugerir elenco da transposição do livro para filme;

- Cada leitor escreve uma pergunta sobre o livro numa tira de papel, dobra-a e coloca-a num frasco, cada um responde a uma pergunta e ganha o que tiver mais respostas corretas – também pode ser jogado entre 2 equipas e em suporte digital com questões de escolha múltipla (Kahoot). 

Como iniciar um grupo de discussão 

A America Library Association [3] dispõe de questionário e sugestões que lhe permitem planear e estruturar a atividade e resolver situações difíceis, como por exemplo: Quem não leu o livro pode participar? Todos devem ter o mesmo tempo para falar?

Grupos de leitura 

O Plano Nacional de Leitura tem uma página sobre Grupos de Leitura, na qual dá exemplos de clubes nas escolas e em organizações que se reúnem presencialmente e à distância - clubes virtuais de leitura - bem como exemplos de boas práticas e propostas de leitura para todas as idades. 

O importante agora é começar, na escola ou comunidade, pois uma experiência de leitura partilhada é importante, pois pode constituir uma oportunidade de:

- Através do convívio social, conhecer, escutar e aprender a lidar com outras pessoas que têm ideias e experiências de vida diferentes;

- A partir de um livro, descobrir e partilhar sentimentos, inquietações e reflexões;

- (Re)descobrir o gosto por ler, atividade que faz bem à saúde, para além de ter inegáveis benefícios cognitivos, económicos e sociais. 

 

Referências 

1. Kruse, G. & Horning, K. (1989). CCBC Book Discussion Guidelines. USA: Cooperative Children’s Book Center. https://ccbc.education.wisc.edu/literature-resources/ccbc-book-discussions/ccbc-book-discussion-guidelines/

2. Library Booklists. (1996). Resources for Reading Groups. S.l.: LB. https://librarybooklists.org/readinggroups/index.htm

3. America Library Association. Book Discussion Groups. USA: ALA. https://libguides.ala.org/bookdiscussiongroups/startguide

4. Fonte da imagem: Chiagano, F. (2019, 1 Sep.). Unsplash. Kyoto, Japan. https://unsplash.com/photos/rDwIXsgb2LY

_____________________________________________________________________________________________________________________

1 comentário

Comentar publicação