Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue RBE

Espaço da Rede de Bibliotecas Escolares para difusão de projetos, eventos e ideias em torno da leitura, do livro, das literacias e dos novos ambientes digitais de informação e de aprendizagem.

Dom | 22.07.12

Helena Cidade Moura (1924-2012)

Foto:  Entre as brumas da memória



















De que maneiras podem os autores clássicos entrar no quotidiano dos portugueses?

A falta de cultura na generalidade da sociedade portuguesa é uma coisa gritante. Este trabalho que estamos a desenvolver no âmbito da alfabetização de adultos tem como tema "sem cultura não há desenvolvimento", para as pessoas perceberem que é precioso cultivarem-se para terem necessidade do desenvolvimento. Neste momento, nós estamos paralisados de intenções sociais. Cada um trata da sua vida o melhor que pode e acaba por aí a sua intervenção na sociedade e isto é uma maneira de ser muito difícil de remediar. Por isso, tenho a convicção que projetos como este desempenharão um papel importante no gosto pela leitura também dos clássicos.

Qual o conselho que tem para dar aos políticos deste país para elevar o nível de literacia dos portugueses?

Que trabalhassem muito, muito, com muita confiança e com muita ligação à realidade. Os discursos, já ninguém os ouve, mas quanto às ações, as pessoas percebem-nas e, nesse campo do agir, há muita coisa a fazer e eu gostava de ver os políticos mais empenhados na transformação do país, assumindo as próprias culpas. Também existem pessoas a trabalhar, mas sem grande convição, falta-lhes a tal alegria e persistência que tinha Paulo Freire. É preciso acreditar que se possa ter um objectivo.

Ler mais na  Entrevista à Livros & Leituras de 25/4/2010