Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Captura de ecrã 2021-04-29, às 09.10.00.png

Re-word-it é um projeto fantástico que vale a pena explorar. É todo um programa de incentivo à escrita, à leitura, ao domínio das palavras e do seu universo de combinações, de significados, de ritmos, de imagens associadas…

‘Brincar a sério com as palavras’ é a forma como se nos apresenta (em https://re-word-it.wixsite.com/rewordit). E, em verdade, o próprio nome do projeto remete para um jogo de palavras e de sentidos.

Por um lado, há um convite à insistência, à revisitação de cada palavra. Porque um (bom) texto não se faz sem o apurar de uma ideia por sucessivas revisões dos esboços iniciais; e porque dominar da arte da escrita não se faz sem perseverança, sem um exercitar continuado e entusiasta.

Mas, por outro lado, há em ‘re-word it’ a insinuação de uma recompensa, no trocadilho com o verbo reward. E ela existe de facto! É o crescimento interior, o alargar de horizontes, o enriquecimento cognitivo, afetivo, relacional que essa ‘séria brincadeira’ consegue proporcionar.

A ‘visão’ de que o projeto se reclama é tão clara que vale a pena citá-la: “Priorizar a escrita e a leitura ao trabalhar a inteligência cognitiva e emocional, focados na atenção e na motivação para o desenvolvimento da criatividade e da curiosidade enquanto âncoras da aprendizagem”. Assim se condensam as várias dimensões que encontramos depois, explanadas com mais detalhe:

- Recuperar o prazer na escrita – porque sim, é preciso recuperá-lo! – utilizando desafios de desbloqueio, para alunos de todas as idades.

- Fomentar a criação de hábitos de leitura, usando textos escolhidos por cada leitor, discutidos em contextos de grupo, mas incentivando, ao mesmo tempo, a curiosidade pela leitura silenciosa individual.

- Exercitar a atenção e a concentração, não com imperativos cuja rigidez bloqueia, mas, pelo contrário, usando a descontração como instrumento, de modo a que verdadeiras aprendizagens possam ocorrer.

- Estimular o exercício da audição interior, explorando a fluidez dos textos, e associando memória com emoção. 

- Trabalhar a metacognição – pensar sobre o pensamento – permitindo que cada aluno se observe e intervenha na sua própria evolução, promovendo, assim, a sua autonomia e motivação.

Na coordenação, Margarida Fonseca Santos, escritora e formadora com ligações à música, que há tantos anos trabalha nesta área. Associou-se-lhe Isabel Peixeiro, uma formadora e escritora com formação em biologia. Rosário Ribeiro e Paula Isidoro completam a equipe.

O projeto disponibiliza aulas continuadas e cursos para todas as idades – crianças, jovens, pais, educadores, professores; e possibilita o acesso a materiais didáticos, livros, guiões de leitura, toda uma gama de jogos e desafios adequados a diferentes necessidades, objetivos, níveis etários, etc.

Um dos desafios criado por Margarida Fonseca Santos, que já se tornou emblemático, é o das ‘Histórias em 77 palavras’, um projeto que tem o seu próprio sítio web (https://77palavras.blogspot.com/).

77 é uma espécie de número mágico: não é demais, não é de menos; é a quantidade certa de palavras para que um texto seja suficientemente curto para não intimidar, permitindo soltar a imaginação, mas não tão curto que não possibilite o desenvolvimento de um enredo ou de uma ideia com estrutura e consistência.

Quem se lança no desafio tenderá, naturalmente, a escrever mais do que 77 palavras. O objetivo é então que se façam sucessivas revisões, e nesse apuramento vão-se limando arestas, dispensando o que estava a mais ou podia dizer-se com mais clareza, porque a concisão é sinal de apuramento.

Atingir esse ‘número mágico’, em todo o caso, é apenas o pretexto da caminhada. O importante é o processo, a exercitação da escrita. Porque a criatividade não se encontra apenas numa ideia inicial que nos ocorra num momento inspirado. A criatividade é necessária, também, a cada passo da procura laboriosa da melhor palavra, da melhor expressão, do melhor encadeamento narrativo. “A inspiração existe, mas tem que te encontrar trabalhando”. Esta frase atribuída a Pablo Picasso, podia bem ter sido dita a respeito da escrita.

Não nos restam dúvidas do bem que fazem estes desafios, como exercício, como partilha, como pretexto lúdico. Por essa razão, fizemos, a Margarida Fonseca Santos, um pedido que prontamente aceitou: dedicar um desafio de 77 palavras à nossa Rede.

Dedica-lo aos professores bibliotecários, aos alunos, a todos quantos trabalham e vivem nas bibliotecas das nossas escolas. Um desafio-presente, em homenagem aos que tanto fazem pela leitura e pela escrita.

Assim, com um grande bem-haja à Margarida Fonseca Santos e à sua equipa, temos o prazer de anunciar que, neste dia 30 de abril, o tema do ‘desafio das 77 palavras’ é:

‘Fazer a diferença na biblioteca escolar!’

O desafio é lançado, como sempre, em https://77palavras.blogspot.com/ e os textos deverão ser enviados com nome, idade e cidade para 77palavras@gmail.com. Não esquecer de Consultar a proteção de dados em https://77palavras.blogspot.com/p/como-participar.html.

Todos os que dão vida, rosto e alento às bibliotecas escolares estão convidados. Esperamos que o aceitem com tanto prazer quanto o que nos deu prepará-lo.



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogue RBE em revista

Clique aqui para subscrever


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor