Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue RBE

Qui | 13.07.23

Encontro Regional Recuperar, Incluir e Inovar

2023-07-13.png

Decorreu, nos passados dias 6 e 7 de julho, no auditório da DGEstE - DSRAlentejo, em Évora, o Encontro Regional Recuperar, Incluir e Inovar. Redes de Colaboração entre o CFAE Beatriz Serpa Branco e as Bibliotecas Escolares do Alentejo, organizado pela Rede de Bibliotecas Escolares, em parceria com o Centro de Formação Beatriz Serpa Branco.

O momento cultural de abertura «Como um vírus», protagonizado pela Andante Associação Artística, marcou o início dos trabalhos, primando pela qualidade e eloquência de Cristina Paiva.

foto1 - Fátima Manuel Caeiro Bonzinho.jpg

Foto 1

Após a sessão de abertura, a primeira conferência do dia contou com o ilustre orador professor Carlos Fiolhais, Professor Jubilado da Universidade de Coimbra, o qual partilhou com os presentes, a sua paixão pelas bibliotecas, através da comunicação Bibliotecas e Escolas: uma aliança continuada. Um testemunho pessoal que nos levou numa viagem intimista com paragem em diferentes bibliotecas que foram marcantes no seu percurso pessoal e profissional. Viagem com conhecimento e muito humor à mistura que predispôs bem toda a plateia com a sua arte de bem comunicar e com muito humor à mistura, sobre a sua relação com os livros e a importância das bibliotecas, no seu percurso académico.

foto2 - Fátima Manuel Caeiro Bonzinho.jpg

Foto 2

A manhã terminou com a primeira mesa redonda, onde várias escolas tiveram oportunidade de apresentar uma boa prática, por elas selecionada e desenvolvida ao longo do ano letivo.

Na parte da tarde, os trabalhos decorreram na Escola Secundária André de Gouveia, com workshops simultâneos, onde os participantes usufruíram de diferentes ofertas formativas:

1 – Patrícia Lucas, «A obra de arte como inspiração»;

2 – Cristina Paiva, «Coro de leitores»;

3 – Carlos Pinheiro, «Gamificação na Educação: o exemplo das "escape rooms"»;

4 – David Machado, «Escrita Criativa»;

5 – Equipa do Centro Ciência Viva Estremoz, «Contos, lendas e outras lengalengas com Ciência”;

6 – Patrícia Luz, «Desafiar a Criatividade de muitas maneiras».

 

Fotos 3 e 4

No segundo dia de trabalhos, proporcionou-se a oportunidade de assistir à videoconferência Educação Inclusiva: recuperar, incluir e Inovar, da professora Ariana Cosme. Um excelente momento de reflexão sobre as potencialidades do nosso sistema de ensino e a importância das bibliotecas na comunidade escolar, não deixando de frisar que, apesar de todas as potencialidades do nosso sistema educativo, ainda não temos uma escola inclusiva, pois ainda existe o receio de fazer diferente e fazer sentir o pulsar da pedagogia com significado.

foto5 - Fátima Manuel Caeiro Bonzinho.jpg

Foto 5

A parte da manhã foi ocupada com mais duas mesas redondas, onde diversas escolas partilharam exemplos de boas práticas. Na parte da tarde, seguiu-se um painel, composto por cinco professoras bibliotecárias do Alentejo, que apresentaram o trabalho abarcando as diferentes literacias, desenvolvido ao longo do ano nas suas bibliotecas.

Assim, foram apresentados os seguintes exemplos:

- a professora Adelina Fonseca, do AE de Vendas Novas, apresentou a boa prática «Sou jornalista», no âmbito da literacia dos media;

- a professora Carla Valente, do AE de Portel, mostrou como a “A Biblioteca faz a diferença” reunindo na apresentação um conjunto de projetos de referência da biblioteca escolar;

- a professora Fernanda Cunha, do AE de Castelo de Vide, partilhou o seu projeto «Leitur@s no Castelo» e explicou como desenvolve o seu trabalho através da disciplina Aprender com a BE;

- as professoras Fátima Nunes e Rosa Martins, do AE de Sines, apresentaram o projeto «Índia, a Princesa do Mar», explicando a sua importância como projeto de leitura e de escrita criativa agregador da comunidade educativa;

- a professora Maria Emília Polaco, do AE nº1 de Beja, mostrou a articulação sistemática, consistente e consequente que é realizada com o Curso de Artes Visuais a qual denominou «A Biblioteca e as Artes».

A jornada terminou com a homenagem aos formadores pro bono do Centro de Formação Beatriz Serpa Branco.

Dois dias ricos na partilha de conhecimento, experiências, formação e (re)encontros dos participantes que se mantiveram assíduos e interessantes até ao final desta jornada. Para o ano, lá nos encontraremos!

_____________________________________________________________________________________________________________________