Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue RBE

Seg | 04.09.23

# Dia 2: Partida, largada…

2023-09-04.png

 E pronto – estamos de volta! Temos duas semanas para prepararmos a chegada dos intervenientes mais importantes das nossas atuações: os nossos alunos. As mangas já estão arregaçadas, os lápis e os blocos de notas (físicos ou digitais, conforme o gosto) preparados, e as cabeças já fervilham de ideias… ora vamos lá a organizar-nos; que tarefas nos esperam?

1. Antecipar a colaboração

Agora que já é conhecida a distribuição de serviço, vamos refletir:

 Ξ  Com quem podemos contar na equipa da biblioteca (em que se inclui, naturalmente, o(s) assistente(s) de biblioteca) ? São elementos de continuidade ou vêm pela primeira vez trabalhar connosco? Há que reunir com a maior brevidade, partilhar ideias e visões, perceber o que é necessário corrigir ou aperfeiçoar, distribuir tarefas…

 Ξ  Com que estruturas pedagógicas é importante articular? Clubes, Projetos, Cidadania, Equipa Multidisciplinar de Apoio à Inclusão, Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital da Escola, Plano Nacional das Artes, do Cinema, de Leitura… Como podemos criar sinergias? O que faz sentido incluir no nosso PAA?

 Ξ  Já conhecemos todos os colegas ou há gente nova com quem precisamos de entabular conversa e apresentar o trabalho que temos vindo a fazer? Será interessante verificar que tipo de atividades têm feito com as bibliotecas das escolas por onde têm andado e o que esperam de nós. Trarão propostas interessantes que possamos adotar? Será de considerar a preparação de uma visita à biblioteca pelos novos docentes e técnicos para conhecerem o espaço e a forma como nos organizamos por aqui?

 Ξ  Quem leciona o quê a que turmas? É tempo de prepararmos os nossos mapas (para estarem sempre à mão para uma consulta) e os nossos grupos de correio eletrónico para nos facilitar a vida ao longo do ano, quando pretendermos chegar rapidamente a todos os colegas de determinada disciplina/ área/ nível.

 Ξ   Quem são os diretores das diferentes turmas? Será que têm alguma ideia para concretizar na área da direção de turma? E nós, já temos práticas habituais que possamos sugerir?

 Ξ  Quais são as composições dos diferentes conselhos de turma? Conseguimos garantir que em cada turma há sempre um ou mais professores com quem será mais fácil colaborar, garantindo assim que todas as turmas têm o seu trabalho na biblioteca? De que forma pode a biblioteca ajudar na conceção e operacionalização de DAC?

2. Repensar o espaço

Tendo em conta que o espaço da nossa biblioteca é o grande cenário onde a maioria da nossa ação se desenvolve, é fundamental olharmos para ele com atenção. Por vezes está assim há tanto tempo que até nos esquecemos que não é obrigatório que assim permaneça. Para quem chega, encontrar novidades é sempre motivador e certamente os colegas e os alunos encontrarão com agrado um espaço renovado.

 Ξ  Relativamente às ações que costumamos desenvolver e ao uso que os utilizadores fazem do nosso espaço, está ótimo ou podemos melhorar qualquer aspeto, com uma simples reorganização? Peça conselho ao coordenador interconcelhio que acompanha a sua escola. Quem sabe não lhe dá uma boa sugestão?

 Ξ  Temos um makersapace? Mais digital ou mais físico? Podemos melhorá-lo? Ou ainda não temos, mas estamos a ponderar criar um? Se necessário, a Rede de Bibliotecas Escolares disponibiliza alguns artigos sobre o tema.

 Ξ  Costumamos ter uma decoração que permaneça ao longo de todo o ano que faça eco do tema da escola para o ano letivo? É tempo de pensar nela. Já não há decorações do ano passado, pois não? Agora há uma linda página em branco para ir recheando ao longo do ano.

 Ξ  Há pequenos investimentos que seria necessário fazer para otimizar o espaço? Dêmo-los a conhecer à direção para ver se se encontram algumas soluções. Talvez possamos convocar para nos ajudar aquele assistente que temos por cá e que, com muita boa vontade e habilidade, vai ajudando a manter num brinquinho os nossos espaços.

 Ξ  Não há nada a fazer, nem se reconhece que é uma biblioteca escolar do século XXI 😩? É urgente requalificar? Talvez seja o momento de abordarmos a questão com convicção e inovação e prepararmos uma candidatura RBE: (re)criar a biblioteca.

3. Delinear o plano

Nestas duas semanas é também tempo de pensarmos o nosso plano anual de atividades. O ideal será iniciarmos as atividades letivas já com o plano delineado e praticamente concluído, pois sabemos que logo que os nossos “clientes” começam a chegar não temos mãos a medir para pôr em prática tudo o que sonhamos para eles.

A Rede de Bibliotecas Escolares aprimorou alguns pormenores no Modelo de Plano que disponibiliza, por isso, para usarmos a versão mais recente, é necessário descarregar novamente.

 Ξ  Para facilitar o trabalho, partimos do plano do ano transato. Muitas atividades são tradição e repetem-se, por isso há que prestar-lhes atenção. Porque as fazemos? Temos objetivos claros e visamos aprendizagens concretas com elas, ou continuamos porque todos estão a contar e é festa e são “giras”? Recordemos que temos muito que fazer, não podemos desperdiçar tempo nem energias…

 Ξ  E novas ações? Têm andado pela nossa cabeça, a vaguear, algumas ideias, alguns sonhos. Será chegado o momento de os concretizar? Teremos condições para avançar? Vamos experimentar uma inovação ou abalançar-nos para um novo projeto? Quem poderá ajudar-nos? Somos Rede, por isso, nunca estamos sós: podemos partir das propostas  e sugestões da Rede de Bibliotecas Escolares ou inspirarmo-nos nas práticas de sucesso de outras bibliotecas.

 Ξ  A Rede de Bibliotecas Escolares apresenta múltiplos desafios e projetos que percorrem as várias áreas de intervenção das bibliotecas. Revisitemo-los e ponderemos quais se adequam aos nossos contextos, quais temos condições para continuar a implementar ou abraçar como novidade. Quais vamos propor aos nossos colegas? Que outros projetos temos já em curso, na escola ou localmente, a que faz sentido dedicarmos atenção?

 Ξ  Recordemos as prioridades que a Rede de Bibliotecas Escolares definiu para 2023-2024. O que já fazemos que vai ao encontro dessas prioridades e o que ainda não fazemos mas podemos ponderar fazer? Não nos esqueçamos de que o lema surge na continuidade de 2022-2023 (inclusão, recuperação & inovação): Iteração e Consolidação – pretende-se sobretudo que aperfeiçoemos e consolidemos as nossas práticas, que estabeleçamos programas de desenvolvimento regular.

 Ξ  Na sequência da COVID 19, houve lugar ao Plano de recuperação Escola+ 21|23, que se prolonga para mais um ano. Existem fortes probabilidades de termos implementado a ação Escola a ler. Sendo uma das medidas mais impactantes deste plano, certamente a nossa escola irá selecioná-la como uma medida a continuar e a biblioteca terá, inequivocamente, o seu papel a desempenhar e inclui-la-á no PAA. O que correu bem e queremos manter? O que podemos corrigir para otimizar?

 Ξ  Como resultado da avaliação dos nossos serviços, que fizemos o ano passado, vamos elaborar o plano de melhoria para o próximo biénio. Vamos ser realistas e definir uma ou duas ações concretas e exequíveis, dado o nosso contexto, que permitam melhorar algun(s) aspeto(s) evidenciado(s) como mais fraco(s). Que ações são essas? Não nos podemos esquecer de as incluir no nosso PAA.

Trabalho não nos falta, é verdade. Mas sabemos exatamente para onde queremos ir, temos muita vontade e sabemos como e com quem fazer. Dentro de duas semanas, abriremos portas e teremos o nosso caminho bem traçado, deixando espaços para imprevistos que, certamente, também nos visitarão ao longo deste ano que agora iniciamos. Vamos lá!

 📷 Mohamed Hassan por Pixabay

_____________________________________________________________________________________________________________________