Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogue RBE

Qui | 14.09.23

Como citar e referenciar o ChatGPT?

Imagens_blogue - Cópia.pngA inteligência artificial e a tecnologia estão a evoluir a passos largos, trazendo inúmeras oportunidades para todas as áreas do conhecimento e da sociedade, porém é preciso conhecer os seus benefícios e limitações em cada aplicação e uso e, ainda, respeitar questões éticas relacionadas com a autoria.

Recursos como o ChatGPT já estão a ser utilizados em meio escolar e académico, para pesquisa,  para auxiliar na revisão bibliográfica, para a realização de trabalhos ou até mesmo como  objeto de pesquisa. Porém, estando esta e outras ferramentas numa fase inicial de desenvolvimento, apresentam inconsistências, pelo que se recomenda, desde já, que não sejam utilizadas como fonte de informação primária para pesquisas, devendo os outputs gerados ser verificados em fontes confiáveis, como é o caso das bases de dados científicas.

Além disso, o uso destes recursos está sujeito a questões éticas, mas a forma como se deve proceder tem gerado posições muito diversas pois, sendo uma realidade recente, as opiniões divergem sobre como os alunos devem usar e citar o ChatGPT e outras ferramentas de inteligência artificial generativa.

Com vista a evitar situações de desinformação e plágio, a própria OpenAI disponibilizou uma ferramenta de deteção de textos produzidos na linguagem natural GPT-2, utilizada pelo ChatGPT, chamada “GPT-2 Output Detector Demo“ https://huggingface.co/openai-detector). Existem outras ferramentas , como a https://aiarchives.org/ que captura a conversa gerada num URL a que qualquer pessoa pode aceder e visualizar.

Timothy McAdoo[1], que gere a equipa da APA Style[2], considerando os desafios criados pelos grandes modelos de linguagem de inteligência artificial (IA), especificamente pelo ChatGPT, publicou um post, no blogue da APA[3], intitulado How to cite ChatGPT ?.

Nesse post, o autor explicita a forma de proceder em situações em que estudantes e investigadores usam o ChatGPT para criar texto e facilitar as suas pesquisas, não para escrever o texto completo do seu artigo ou trabalho. As recomendações do autor vão no sentido de, em primeiro lugar, respeitar as orientações dos instrutores ou professores e apresenta procedimentos adaptados de acordo com a  Seção 10.10 do Manual de Publicação (American Psychological Association, 2020), salientando que, ainda que se concentre no ChatGPT, as  diretrizes apontadas podem ser adaptadas no uso de outros grandes modelos de linguagem (por exemplo, Bard, Bing…), algoritmos e software semelhantes.

Como citar o texto criado pelo ChatGPT no trabalho realizado?

MacAdoo recomenda que, caso se tenha recorrido ao ChatGPT ou a outras ferramentas de IA aquando de situações de pesquisa e realização de trabalhos, é importante esclarecer esse facto na secção destinada para o efeito (introdução, metodologia…). Para revisões de literatura ou outros tipos de ensaios, para além de clarificar como a ferramenta foi usada, é importante indicar a(s) prompt(s) e, de seguida, a parte relevante do texto que foi gerado em resposta.

Os resultados de uma interação com o ChatGPT não são recuperáveis por outros utilizadores e, por outro lado, o texto gerado não resulta da autoria de uma pessoa. Por isso, citar o texto gerado pelo ChatGPT numa sessão de chat é, portanto, compartilhar a saída de um algoritmo, pelo que há que creditar o autor do algoritmo com uma entrada na lista de referências e a citação correspondente no texto.

Para clarificar a sua posição, o autor apresenta um exemplo concreto:

Exemplo 1- Face à questão “A divisão entre o cérebro esquerdo e o cérebro direito é real ou uma metáfora?”, o texto gerado pelo ChatGPT indicou que, embora os dois hemisférios cerebrais sejam um pouco especializados, “a noção de que as pessoas podem ser caracterizadas como ‘cérebro esquerdo’ ou ‘cérebro direito’ é considerada uma simplificação excessiva e um mito popular” (OpenAI, 2023).

Neste caso concreto, a referência bibliográfica será- OpenAI. (2023). ChatGPT (Mar 14 version) [Large language model]. https://chat.openai.com/chat .

A referência no texto pode assumir o formato de narrativa no texto - Segundo a OpenAI (2023)... -  ou surgir entre parênteses -  (OpenAI, 2023).

Outra forma de proceder passa por apresentar o texto completo de respostas do ChatGPT num anexo ao trabalho, para que os leitores tenham acesso ao texto exato que foi gerado. É particularmente importante documentar o texto exato criado porque o ChatGPT gera uma resposta única em cada sessão de chat, mesmo que tenha recebido a mesma prompt. Nessa situação, os anexos devem ser mencionados no corpo do trabalho, respeitando o estilo APA, conforme exemplo seguidamente apresentado.

Exemplo 2: Face à prompt “Qual é uma representação mais precisa?”, o texto gerado pelo ChatGPT indicou que “diferentes regiões cerebrais trabalham juntas para apoiar vários processos cognitivos” e “a especialização funcional de diferentes regiões pode mudar em resposta à experiência e fatores ambientais” (OpenAI, 2023; consulte o Anexo A para a transcrição completa).

Assim, os elementos das referências para o ChatGPT ou outros modelos e software de IA  incluem 4 elementos: autor, data, título e fonte. Considerando o chatGPT, deverão ser apresentados os seguintes elementos:

1- Autor: O autor do modelo é OpenAI[4].

2- Data: A data é o ano da versão que foi usada. Seguindo o modelo na Secção 10.10, é necessário incluir apenas o ano, não a data exata. O número da versão fornece as informações específicas da data de que um leitor pode precisar.

3- Título: O nome do modelo é “ChatGPT”, então isso serve como título e é colocado em itálico na referência. Embora OpenAI rotule iterações únicas (ou seja, ChatGPT-3, ChatGPT-4), usa-se “ChatGPT” como o nome geral do modelo, com atualizações identificadas com números de versão.

O número da versão é incluído após o título entre parênteses. O formato para o número da versão nas referências do ChatGPT inclui a data,  porque é desse modo  que a OpenAI rotula as versões. Diferentes  modelos de linguagem ou software podem usar diferentes numerações de versão. Por isso, recomenda-se usar o número da versão no formato fornecido pelo autor ou editor, que pode ser um sistema de numeração (por exemplo, Versão 2.0) ou outros métodos.

O texto entre aspas é usado em referências para descrições adicionais quando necessárias para ajudar um leitor a perceber o que está a ser citado.

No caso de uma referência para ChatGPT, recomenda-se identificar o descritor “Grande modelo de linguagem” entre aspas. OpenAI descreve ChatGPT-4 como um “grande modelo multimodal”, então essa descrição pode ser fornecida se se recorrer ao ChatGPT-4. Versões posteriores e software ou modelos de outras empresas podem precisar de descrições diferentes, considerando a forma como os respetivos editores descrevem o modelo. O objetivo do texto entre aspas é descrever brevemente o tipo de modelo.

4- Fonte: Quando o nome do editor e o nome do autor são coincidentes, deve-se evitar a  repetição do nome do editor na fonte da referência, recomendando-se que se indique diretamente o URL- https://chat.openai.com/chat . Para outros modelos ou produtos, deve usar-se o URL que vincula o mais diretamente possível à fonte (ou seja, à página onde se acede ao modelo, não à página inicial do editor).

Outras questões relacionadas com a citação do ChatGPT

O ChatGPT apresenta respostas às prompts  sem citar as fontes da informação que “consultou”. Temos de lhe pedir que explicite as fontes consultadas e será prudente os utilizadores fazerem da análise das fontes primárias um processo padrão. Se as fontes forem reais, precisas e relevantes, é mais seguro ler essas fontes originais do que usar a “interpretação” que o modelo consultado faz das mesmas.

Existem outras questões a considerar:

  • Os alunos devem ter permissão para usar este tipo de ferramenta?
  • O uso de texto gerado por IA constitui plágio?
  • Autores que usam ChatGPT devem creditar ChatGPT ou OpenAI nos seus trabalhos ou artigos?
  • Quais são as implicações dos direitos autorais?

Estas questões não são de resposta única e continuam em debate.  A APA Style está a trabalhar para contribuir com procedimentos e diretrizes, considerando as recomendações dos editores da APA Journals, com vista a futuros posts no blogue e no site da  APA Style ainda este ano.

Por enquanto, vamos todos navegando por esses desafios únicos e novas maneiras de pensar sobre como autores, investigadores e estudantes aprendem, escrevem e trabalham com as novas tecnologias e estas novas ferramentas de IA.

Notas

  1. Contribuiu para o Publication Manual Of The American Psychological Association: The Oficial Guide To APA Style, 7th Edition e é o gestor do blogue APA Style https://aceseditors.org/timothy-mcadoo.
  2. O estilo APA (American Psychological Association) é um sistema internacional de citação autor-data aplicado na área das Ciências Sociais e Humanas.
  3. https://www.apa.org/search?query=blog
  4. Eva Revitt, em reação ao post de MacAdoo, manifesta as suas reservas em tratar a OpenAI como  “autor”, sendo esta somente a empresa que criou o ChatGTP que nos dá o output. O US Copyright Office  considera que as máquinas não podem ser consideradas  autoras, pois a autoria implica propriedade. Se tratarmos a OpenAI como o autor, assumimos que o que é gerado pelo ChatGPT é propriedade intelectual da OpenAI. Por isso, Eva Revitt sugere  que a APA repense a recomendação de citação apresentada no post de MacAdoo. Para ela, as máquinas não são pessoas e as respostas dos chatbots não devem ser “creditadas” da mesma maneira.

Referências

  1. American Psychological Association. (2020).Publication manual of the American Psychological Association (7th ed.). https://doi.org/10.1037/0000165-000
  2. MacAddo, T. (2023, April). How to cite ChatGPT. American Psychological Association. https://apastyle.apa.org/blog/how-to-cite-chatgpt
  3. 📷 Gordon Johnsonpor Pixabay

_____________________________________________________________________________________________________________________