Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]












Imagem: Júlio Pomar






Fomos acompanhando, na semana passada, o programa Camilo Castelo Branco no Centro Cultural de Belém  (CCB no CCB) que incluía a apresentação das cartas redigidas por estudantes do secundário a quem foi lançado o repto de se colocarem no lugar de duas personagens do Amor de perdição: Mariana e Simão Botelho. Mas a Mariana teria que saber ler e escrever, condição para um desenrolar diferente do amor entre os dois e de um outro desfecho da intriga. 

Eis o início e o final de uma das cartas que Maria João Pica, da Escola Secundária de Camões  (Lisboa), escreveu em nome da Mariana:


Senhor Simão,
não creio que não tenha adivinhado já o meu amor. Mas nunca o meu coração se perdeu em enganos de que pudesse fazer-me juras que me não estivessem reservadas. Sabia eu que somente como sua criada poderia meu coração acalentar-se. E agora, tenho de velá-lo, pobre coração, do sofrimento que me causa sua morte!
(...)
Guardarei comigo o beijo derradeiro que colhi em sua face. Será ele a minha eternidade. Vá, que pará-lo não posso; tenho frouxas as mãos para o enlaçar. Mas este anjo que não mais o guarda voará sempre só por amor de si, Senhor Simão.


O Diário de Notícias, parceiro do CCB no CCB, tem as cartas publicadas em linha. Pode ler a partir daqui >>  

Autoria e outros dados (tags, etc)



RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor