Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Francisco Ferreira*, Presidente da "Zero - Associação Sistema Terrestre Sustentável".

Consultar na fonte.

Com o propósito de sensibilizar as crianças e jovens para a agenda do ambiente, o presidente da Associação Zero, Francisco Ferreira, profere, em exclusivo para a RBE, um discurso que pode ser ouvido aqui.

 

Conteúdo relacionado:

 

amazonia.png

A questão da Amazónia, com Nuno Rogeiro, foi tema, hoje, no programa Leste-Oeste, da SIC Notícias.

Um documento, para ajudar a enquadrar uma problemática, que está na ordem do dia.

 

O Porvir selecionou filmes, infográficos, músicas e produções de realidade virtual para levar a discussão sobre a preservação da maior floresta tropical do mundo à sala de aula

 

Nas últimas semanas, o debate sobre a Amazónia ganhou destaque nas redes sociais e nos principais meios de comunicação. De acordo com dados do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Especiais), durante o mês de julho o desmatamento da área teve um crescimento de 278% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Os casos de queimadas na região também se repercutiram no noticiário internacional, e o presidente francês Emannuel Macron chegou a convocar uma reunião do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) para discutir o casos e propor ajuda económica para minimizar os danos da tragédia. O facto causou imediata reação do governo brasileiro, que defende a soberania do país em questões envolvendo a Amazónia.

Para apoiar professores que desejam trabalhar este tema com os estudantes, o Porvir fez uma seleção de materiais que podem ser utilizados em sala de aula. Entre as dicas, são apresentadas sugestões de filmes, infográficos, músicas e produções de realidade virtual. Os materiais podem servir como ponto de partida para iniciar um debate sobre a importância da Amazónia, considerando seus aspectos sociais, ambientais, políticos e económicos. Veja:

Filmes
Andes Água Amazónia: o documentário trata de um dos mais importantes ciclos hidrológicos da Terra, que acontece entre os Andes e a Amazónia. Classificação livre, 22 minutos.

Belo Monte – Anúncio de Uma Guerra: a partir de entrevistas com moradores de cidades próximas ao canteiro de obras da fábrica, como Altamira e Vitória do Xingu, o filme traz a opinião de especialistas e ainda mostra depoimentos de moradores e indígenas de regiões próximas ao complexo hidroelétrico. Classificação livre, 80 minutos.

Amazónia Eterna: o filme apresenta equívocos e possíveis caminhos para ver a maior floresta tropical do mundo nas suas camadas social, política e económica. Classificação livre, 79 minutos.

Mais Cidade, Menos Floresta: reúne dados e indicadores que impactam no desenvolvimento da cidade de Manaus (AM), principalmente em relação à diminuição da floresta. 

 

Infográficos
InfoAmazonia: mantido por uma rede de organizações e jornalistas, o portal traz uma série de dados, infográficos e notícias sobre a Amazónia.

O que está acontecendo com o desmatamento na amazónia: o infográfico apresenta dados que relacionam políticas públicas com a redução das taxas de desmatamento.

 

Músicas
EP Amazónidas: a produção independente do compositor Jean Carmo conta um pouco sobre a história do Amapá, enquanto trata de temas como terra, preservação e legado.

Chico Terra: a música “Reforma Amazongráfica”, do amapaense Chico Terra, fala de resistência e luta da Amazónia.

Amazónia: a música de Roberto Carlos chama a atenção para os sinais de alerta com origem na floresta tropical.

 

Realidade virtual
Amazónia Adentro: produzido pela Conservação Internacional e pela Jaunt VR, o filme de realidade virtual propõe uma experiência pela Amazónia a partir da narração do indígena Kamanja Panashekung e do ator Marcos Palmeira.

AMAZON 360 VR: o vídeo da WWF International oferece uma experiência de imersão para tratar sobre o papel vital da Amazónia na estabilidade climática do planeta.

AMAZÓNIA em 360°: Do passeio pelos igarapés amazónicos até a aldeia de Copaíba, na região do médio Purus, na Terra Indígena Caititu, o vídeo de realidade virtual apresenta uma viagem pela Amazónia em 360 graus.

AwavenaVR: Para os Yawanawa da Amazónia, a medicina tem o poder de nos transportar para um mundo que se encontra dentro do mundo que conhecemos. Awavena é uma colaboração entre essa comunidade e cineastas que usam a tecnologia para contar a história de Hushahu, a primeira mulher da tribo a tornar--se uma xamã, e criar uma experiência transcendente.

Reproduzido do sítio web do Porvir, com adaptações.

ReferênciaComo levar o debate sobre a Amazônia para a sala de aula - PORVIR. (2019). PORVIR. Retrieved 1 September 2019, from http://porvir.org/como-levar-o-debate-sobre-a-amazonia-para-a-sala-de-aula/

 

Conteúdo relacionado:

 

 

 

Sinopse:

O Hidro foi bafejado pela sorte. Em seu redor a água parece não ter fim. Mas o seu estado de alegria é interrompido por sinais de alerta. Afinal, a água é limitada e escassa. Será tarde demais? Conseguirá a família H2O mudar os seus comportamentos e gerir este recurso de forma eficiente, aplicando o princípio dos 5 R’s (Reduzir os consumos, Reduzir as perdas e desperdícios, Reutilizar a água, Reciclar a água e Recorrer a origens alternativas)?

Vencedor do categoria do Festival de Cinema das Nações Unidas sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável “ODS em Ação 2019” na categoria PROTEGER O NOSSO PLANETA

 

 

A curta-metragem animada Aquametragem, da portuguesa Marina Lobo, foi a vencedora da categoria “Proteger o nosso planeta” no Festival de Filmes ODSs em Acção, organizado pela Organização das Nações Unidas (ONU). Esta é a maior competição de trabalhos cinematográficos dedicados aos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).  

A curta, de pouco mais de cinco minutos, tem o objectivo de sensibilizar o público, “tanto crianças como adultos”, a utilizar os recursos hídricos de uma forma mais responsável e eficiente, explicou por telefone ao P3 Marina Lobo. No vídeo, Hidro, o protagonista da animação, ganha acesso a uma fonte potável de água, mas comete muitos erros na sua utilização: lava o carro de mangueira, demora demasiado tempo no banho e contribui para a poluição através da emissão de gases poluentes ao tratar a água utilizada. Hidroaprende com os erros e passa a valorizar a importância de utilizar um "recurso finito e escasso" de uma forma sustentável.

A ideia para a Aquametragem partiu da Lisboa E-Nova (Agência de Energia e Ambiente de Lisboa). Marina Lobo — que, além de animadora, também é engenheira ambiental — teve conhecimento do desafio e acabou por ser a escolhida para desenvolver uma animação sobre a água, em 2018. Além de chamar à atenção para o desperdício deste recurso, o vídeo também sugere uma abordagem sustentável ao problema, “baseada nos 5Rs do uso da água”: reduzir o consumo, reduzir o desperdício, reutilizar, reciclar e recorrer a origens alternativas.

 

Referência: Pinto, J. (2019). “Aquametragem”: curta portuguesa sobre desperdício de água vence prémio da ONUPÚBLICO. Retrieved 24 July 2019, from https://www.publico.pt/2019/07/16/p3/video/aquametragem-curta-portuguesa-sobre-desperdicio-de-agua-vence-premio-da-onu-145454

 

Conteúdo relacionado:

a historia de chiquinho.PNG

Download |

 

O livro infantil ‘A história de Chiquinho’ conta de forma ilustrada a vida e a luta do ambientalista Chico Mendes. Com ilustrações de Ziraldo, o livro mostra diversas questões que envolvem a preservação da Floresta Amazónica.


A história do seringueiro e ativista é contada de forma resumida com o objetivo de colocar a criança em contacto com a personalidade histórica de Chico Mendes e a sua importância para a história brasileira.


Idealizado em parceria com o Instituto Chico Mendes e o cartunista e escritor Ziraldo.

 

Referência: Educom, U. (2019). Baixe livro gratuito, ilustrado por Ziraldo, que ajuda a conhecer quem foi Chico MendesUniverso Educom. Retrieved 18 June 2019, from http://universoeducom.org/baixe-livro-gratuito-ilustrado-por-ziraldo-que-ajuda-a-conhecer-quem-foi-chico-mendes/

 

Conteúdo relacionado:

 

Resumo

O Instituto Nacional de Estatística editou a segunda publicação nacional de acompanhamento estatístico da Agenda 2030 da ONU, intitulada “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Indicadores para Portugal | Agenda 2030”. A partir dos indicadores disponíveis é possível ter uma noção do desempenho do país em relação aos ODS, registando-se progressos em alguns deles, nomeadamente nos domínios da redução da pobreza, do acesso à saúde e das energias renováveis. Adicionalmente, no final deste destaque, faz-se referência a uma publicação relativa à dimensão territorial dos indicadores ODS, editada em maio de 2019, sob coordenação do INE.

Download do documento PDF (736 Kb)

 

Conteúdo relacionado:

 


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Twitter



Perfil SAPO

foto do autor