Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



bannerler_jovem.jpg

 

Ler+ Jovem é um desafio lançado aos jovens do ensino secundário pelo Plano Nacional de Leitura 2027 (PNL 2027) e Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) para promover a leitura, dentro e fora das escolas.

 

A iniciativa dirige-se a escolas do ensino secundário que desejem dinamizar atividades para estimular a prática e o gosto pela leitura e pela escrita dos alunos deste nível de ensino.

 

O Ler+ Jovem visa constituir-se como um projeto de jovens e com jovens, que se destina quer aos seus pares, quer à população em geral.

 

Os jovens serão, por conseguinte, os principais atores das ações de divulgação da leitura e da escrita a desenvolver junto das respetivas comunidades.

 

O projeto Ler+ Jovem desenvolver-se-á em cada escola secundária ao longo de dois anos letivos.

 

Os agrupamentos e escolas não agrupadas que queiram apresentar candidatura à 6ª edição do Ler+ Jovem devem preencher, até ao dia 20 de julho, o formulário disponível no SIPNL. No caso dos agrupamentos, a submissão deverá ser feita pela escola-sede.

 

Para o efeito, aconselha-se a leitura prévia das orientações do projeto.

 

Para mais questões ou informações, contactar:

PNL2027 - rita.zurrapa@pnl2027.gov.pt  ou RBE - helena.araujo@rbe.mec.pt

 

Saber mais:

Olga Antunes, diretora do Agrupamento de Escolas de Constância, fala sobre o Constancioneiro e lê a carta que o secretário de estado da educação, João Costa, lhe endereçou a este propósito (3´:50´´).

 

No texto que se segue, Ana Paula Ferreira, coordenadora interconcelhia da Rede de Bibliotecas Escolares, apresenta o livro e aponta as bondades do projeto que lhe deu origem, destacando ainda o excelente desempenho destes (mesmos) alunos nas Olimpíadas da Cultura Clássica, um projeto da Rede de Bibliotecas Escolares e do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa:

 

Boa noite!

Começo por cumprimentar todos os presentes e elogiar-vos o vosso bom gosto por estarem presentes neste evento que alia a leitura à aprendizagem e que decorre num espaço tão propício à poesia.

 

Agradeço à Sra. Diretora, Dr.ª Olga Antunes, o convite para fazer a apresentação deste Constancioneiro, livro que de forma exemplar brinca com as suas origens – O Cancioneiro e Constância.

 

 

Agradeço, também, aos grandes obreiros do projeto, a professora Susana Neves, os seus magníficos poetas trovadores, os alunos das duas turmas de 10º ano do Agrupamento e, claro, ao professor bibliotecário, António Marques e à sua capacidade de incentivar a mudança, de levar os seus parceiros a tirarem partido das inúmeras possibilidades da biblioteca e de aceitarem ser e fazerem diferente na escola.

 

Tive o prazer de acompanhar a forma inovadora e colaborativa como o projeto se foi desenvolvendo e este lançamento, hoje, mostra que, tal como disse Fernando Pessoa, “o homem sonha, a obra nasce”.

 

Estou certa que o ambiente educativo inovador que se vive neste agrupamento impulsiona este tipo de projetos e gostaria que em todas as escolas do nosso país os alunos tivessem a oportunidade de experienciar a aprendizagem desta forma: enquanto ponte para uma intervenção ativa na sociedade, colocando-os perante desafios que desenvolvem a sua perseverança, o pensamento crítico e reflexivo, a autonomia.

 

 

Um verdadeiro exemplo de um projeto que desenvolve as competências definidas para os alunos à saída da escolaridade obrigatória.

 

Este projeto, decorrente de um domínio de articulação curricular, no âmbito do projeto de autonomia e flexibilidade curricular, envolveu as disciplinas de Português, Francês e Espanhol, em “estreita colaboração com a biblioteca escolar”, como é referido no posfácio.

 

 

biblioteca escolar assume neste agrupamento um papel de destaque, enquanto centro de inovação pedagógica, capaz de fomentar e difundir projetos verdadeiramente estruturantes, em parceria com as várias estruturas educativas, em prol das aprendizagens dos nossos alunos, para assim contribuir para a criação de cidadãos ativos, autónomos e responsáveis.

 

 

 

Não poderia deixar de referir o excelente desempenho destes mesmos alunos nas Olimpíadas da Cultura Clássica, um projeto da Rede de Bibliotecas Escolares e do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. O júri  atribuiu a estes nossos alunos 4 prémios, no escalão C (10, 11º e 12º anos).

 

Os prémios vão ser entregues na próxima sexta-feira.

 

 Artes/multimédia:

 1º lugar  -   Beatriz Cabeças, Inês Pedro, Laura Gonçalves

Trabalho: A Teia de Penélope, Rainha de Ítaca

 

Menção Honrosa -   Afonso Martins, João Lisboa, Ricardo Mascate, Rodrigo Sousa, Tomás Santos e Tomás Pedro

Trabalho: Os mitos do Minotauro e de Penélope 

 

 Provas escritas:

 1º lugar  - Clarisse Malheiro Junqueira

2º lugar -  Ana de Moura Lopes Velho

 

 A palavra de ordem é, sem dúvida, “ORGULHO”.

Obrigada!

***

 

Conteúdo relacionado:

 

 

Miúdos a Votos 2017/ 18

 

Sinta o ambiente. Siga a entrevista com a coordenadora nacional da Rede de Bibliotecas Escolares. Conheça a razão de ser desta iniciativa. 

 
Com a Visão Júnior! Claro. O nosso obrigado.

 

Conteúdo relacionado:

mavotos.jpeg

Margarida, Eduardo e Eduarda, os três apresentadores, vindos de Escariz,

Arouca,com as capas dos livros vencedores

 

(Notícia publicada originalmente na Visão Júnior.)

 

«O Tubarão na Banheira», «Harry Potter e a Pedra Filosofal» e «A Culpa é das Estrelas» foram os grandes vencedores eleitorais de «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?»

 

Já são conhecidos os vencedores da iniciativa «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?». A terceira parte da grande festa na Feira do Livro de Lisboa terminou às 7 da tarde.

 

Os alunos do 1.º ciclo elegeram o «O Tubarão na Banheira», de David Machado, como o livro mais fixe, com 7,9% dos votos; em segundo lugar ficou «O Bando das Cavernas - Na maior há 10 mil anos», de Nuno Caravela (7,8% dos votos); e «O Principezinho» de Antoine de Saint-Exupéry, foi o terceiro candidato eleito (7,8% dos votos), acabando assim destronado do 1º lugar conseguido na votação de 2017.

No 2.º ciclo, dois autores britânicos que já o ano passado tinham alcançado o pódio voltaram a ganhar: «Harry Potter e a Pedra Filosofal», de J. K. Rowling, é o vencedor, com 13,8% dos votos; e «Avozinha Gângster», do autor e também comediante David Walliams é o outro, tendo alcançado o segundo lugar com 11,1% dos votos. «A Fada Oriana», de Sophia de Mello Breyner Andresen, ficou em 3.º lugar, com 5,8% dos votos dos meninos do 5º e 6º ano.

 

No 3º ciclo, foram as obras inspiradas em histórias reais que conseguiram mais votos. A «Culpa é das Estrelas», de John Green, ficou em primeiro lugar, com 10,9% dos votos. Em segundo e terceiro lugares, ficaram colocados os candidatos «Avozinha Gângster», de David Walliams - com 9,4 % dos votos - e «O Rapaz do Pijama às Riscas» de John Boyne, com 9,2% dos votos.

 

Eis as percentagens de votos de todos os livros que se apresentaram a estas eleições, por ciclo

 

1.º CICLO

3.º CICLO

 

 

2.º CICLO

 

Este ano votaram 59 663 alunos; destes, 4943 votos foram nulos e 244 foram em branco.

Em comparação com o ano passado votaram mais miúdos e miúdas, principalmente no 1º ciclo. No segundo e terceiro ciclo o número de votos foi menor, como podes ver no gráfico em baixo:

A festa contou com a participação de 19 escolas de todo o país e perto de 500 alunos. Assistiram a secretária de Estado adjunta da Educação, Alexandra Leitão; Isabel Alçada, escritora e ex-ministra da Educação, e Maria Emília Brederode dos Santos, membro do Conselho Nacional de Educação.

 

Referência: «Miúdos a Votos»: já são conhecidos os vencedores!. (2018). Jornal visao. Retrieved 1 June 2018, from http://visao.sapo.pt/visaojunior/2018-05-30-Miudos-a-Votos-ja-sao-conhecidos-os-vencedores

 
 
Conteúdo relacionado:

mv.JPG

 Ler na fonte: DN |

 

Quase 60 mil alunos e cerca de 600 escolas participaram nesta campanha

 

O Tubarão na BanheiraHarry Potter e a Pedra Filosofal e Culpa é das Estrelas foram os vencedores a segunda edição da iniciativa "Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?", que foram hoje divulgados na feira do Livro de Lisboa.

 

O objetivo desta iniciativa é eleger os livros preferidos dos alunos do ensino básico.

 

Os alunos do 1.º ciclo do ensino básico elegeram o O Tubarão na Banheira, de David Machado, como o livro mais fixe, com 7,9% dos votos; em segundo lugar ficou O Bando das Cavernas - Na maior há 10 mil anos, de Nuno Caravela (7,8% dos votos). O Principezinho, de Antoine de Saint-Exupéry, foi o terceiro candidato eleito (7,8% dos votos).

 

Já no 2.º ciclo, dois autores britânicos que já o ano passado tinham alcançado o pódio voltaram a ganhar: Harry Potter e a Pedra Filosofal, de J. K. Rowling, é o vencedor, com 13,8% dos votos; e Avozinha Gângster, do autor e também comediante David Walliams é o outro, tendo alcançado o segundo lugar com 11,1% dos votos.

 

A Fada Oriana, de Sophia de Mello Breyner Andresen, ficou em 3.º lugar, com 5,8% dos votos das crianças do 5.º e 6.º ano.

 

No 3.º ciclo do ensino básico, foram as obras inspiradas em histórias reais que conseguiram mais votos. A Culpa é das Estrelas, de John Green, ficou em primeiro lugar, com 10,9% dos votos. Em segundo e terceiro lugares, ficaram colocados os candidatos Avozinha Gângster, de David Walliams, com 9,4 % dos votos, e O Rapaz do Pijama às Riscas, de John Boyne, com 9,2% dos votos.

 

Esta é uma iniciativa da Rede de Bibliotecas Escolares e da Visão Júnior, em parceria com a Pordata, a Comissão Nacional de Eleições (CNE), a Rádio Miúdos, o Plano Nacional de Leitura e a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros.

 

A cerimónia de revelação dos "livros mais fixes" decorreu hoje e contou com a presença da secretária de estado Adjunta e da Educação, Alexandra Leitão.

 

A campanha, na qual participaram quase 60 mil alunos e cerca de 600 escolas, favorece o gosto pela leitura e uma cultura de cidadania e participação ativa, através da sensibilização para a importância do voto, desde as idades mais precoces.

 

Livros - Quais são os livros favoritos dos miúdos? Alunos do ensino básico elegeram os preferidos

Referência: Livros - Quais são os livros favoritos dos miúdos? Alunos do ensino básico elegeram os preferidos. (2018). DN. Retrieved 31 May 2018, from https://www.dn.pt/artes/interior/alunos-do-ensino-basico-elegem-livros-favoritos-9395959.html

 

 

Conteúdo relacionado:

 

mv.png

 

Hoje, quarta feira, dia 30, a partir das 4 da tarde, começa a festa final desta iniciativa. Vindos de vários pontos do país, alunos de cerca de 20 escolas vêm mostrar o que fizeram para que o seu livro favorito chegasse a vencedor. O projeto cruzou cidadania e leitura e pôs os estudantes a usar as mesmas ferramentas das campanhas eleitorais a sério.

 

Por isso, vai ser um ambiente de campanha eleitoral que se vai viver no dia 30, na Feira do Livro de Lisboa: grupos de crianças e jovens vão andar pelos stands a manifestar-se pelos seus livros preferidos, munidos de cartazes e propaganda eleitoral.

 

Nos palcos da Praça Verde e Amarela, apresentar-se-ão pequenas peças de teatro, dramatizações, músicas e até a um telejornal pré-histórico, inspirados nos livros. Na Praça da Fundação Francisco Manuel dos Santos, a Rádio Renascença vai transmitir em direto, a partir das 4 da tarde, uma mesa redonda com estudantes que participaram na iniciativa.

 

Às 18h15, as atenções vão-se concentrar nesta mesma praça, com uma cerimónia apresentada por alunos vindos da Escola Secundária de Escariz, concelho de Arouca, e com a participação de estudantes de várias outras escolas.

 

Vão estar presentes muitos alunos e professores de várias zonas do país, bem como repesentantes dos parceiros desta iniciativa da RBE e da Visão Júnior: a Pordata, a Comissão Nacional de Eleições, a Rádio Miúdos, a APEL e o PNL 2027.

A festa está aberta ao público em geral.

 

Ouça a Rádio Renascença, entre as 16h00 e as 17h00 e siga em direto através das páginas do Facebook da RBE e da Visão Júnior.

rm.png

 

Põe a tua terra nos píncaros - Um herói da tua terra é organizado pela Rádio Miúdos e tem a colaboração da Rede de Bibliotecas Escolares e o apoio de Portugal Inovação Social, no âmbito do Portugal 2020, e da Fundação Calouste Gulbenkian.

 

Todos os alunos do 2.º ao 9.º ano das escolas públicas e municípios de Portugal poderão participar, criando um spot de rádio sobre um herói da sua terra. Pode ser um herói da História, um herói vivo, um ecologista, lutador, inovador, humanista, alguém que pelos seus feitos ou atitude foi ou é exemplar. A duração do spot deverá ser no máximo cinco minutos.

 

Em junho de 2019, realiza-se na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, o evento final desta iniciativa.

 

As candidaturas dos municípios têm de ser feitas até ao dia 31 de maio e as escolas podem concorrer até ao dia 2 de novembro.

 

A divulgação dos resultados será publicada a 30 de novembro.

 

O regulamento pode ser consultado aqui>>.

 

Veja também: Vencedores 2017

 

Para assinalar o Dia Mundial do Livro, o Senhor Ministro da Educação visitou a Escola Básica e Secundária de Arcozelo, Ponte de Lima, onde teve oportunidade assistir ao ato eleitoral de Miúdos a votos e de dialogar com alunos de vários ciclos, sempre sobre o tema central da leitura.

A reportagem da Visão Júnior sobre este dia pode ser lida aqui>>.

votos.jpeg

 foto de Marcos Borga |

 

Finda a campanha eleitoral e após um dia de reflexão, realizam-se hoje, Dia Mundial do Livro, as eleições em que os alunos portugueses, do 1.º ao 3.º ciclo vão escolher os seus livros favoritos.

 

Depois de todas as ações que levaram a cabo para defendederem os "seus" livros, chegou o dia aguardado com grande expectativa. Em cada escola, os resultados podem ser conhecidos logo que o apuramento esteja feito, mas, a nível nacional, oe eleitos só serão conhecidos na cerimónia pública que terá lugar no dia 30 de maio, na Feira do Livro de Lisboa. O escrutínio será feito pela Pordata.

 

Todos os materiais para a votação e contagem dos votos, bem como as orientações necessárias estão disponíveis aqui >>.

alunos.jpeg

Os cinco alunos do 4.B que defendem «O Tubarão na Banheira»

foto de Diana Tinoco

 

 

Na Escola Básica Quinta das Flores, em Coimbra, os alunos no 4.ºB fizeram dramatizações das suas histórias preferidas para convencerem os colegas a lê-las e votarem nelas. Uma tarde que incluiu gomas, balões e confetti

 

Ao nono dia de campanha eleitoral da iniciativa «Miúdos a Votos: quais os livros mais fixes?», os alunos do 4.º ano e do 3.ºano juntaram-se todos na biblioteca. O motivo? Os mais velhos iam apresentar aos mais novos dramatizações dos livros que apoiam nesta iniciativa.

«O Tubarão na Banheira» foi a primeira história a ser dramatizada. Caracterizados como as personagens do livro, Catarina, Cristiana, Júlia, Lara e Miguel contaram a história com recurso a alguns objetos - e até uma banheira levaram para a biblioteca! No final, apelaram ao voto com gritos dignos de um comício político e ofereceram gomas em forma de tubarão que os próprios tinham comprado.

 

Seguiu-se o «Diário de um banana 11: Tudo ou Nada», com uma dramatização organizada por um grupo que demonstrou muita atenção ao detalhe: estavam todos vestidos de branco, os cartazes eram pretos e brancos e no fim ofereceram balões com a cara do Greg (a personagem principal) com as mesmas cores, desenhados por um dos membros do grupo.

(...)

 

Ler mais >>

 

Conteúdo relacionado:


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor