Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Para assinalar o Dia da Internet Segura em 2018, o Facebook apresentou o seu Portal para os Pais - um espaço onde os pais e educadores podem aceder a informação segura, bem como a todo o tipo de recursos desenvolvidos por especialistas em segurança online, um pouco por todo o mundo.

 

Portal para os Pais
Ter filhos pode ser um trabalho difícil. Sabemos que os pais podem ter muitas perguntas sobre o Facebook. Caso tu ou o teu filho tenham uma conta pessoal, disponibilizamos-te algumas ligações, dicas e truques úteis para te ajudar a tirares o máximo partido da tua experiência e a ajudares o teu filho a navegar na experiência dele. Esperamos que consideres os seguintes recursos úteis.

 

Conteúdo relacionado:

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

boom.png

 Artigo sobre o livro|


"Boom digital? Crianças (3-8 anos) e ecrãs"
foi lançado neste Dia da Internet Segura, com os resultados do projecto Crescendo entre Ecrãs, coordenado por Cristina Ponte para a ERC.

 

O estudo em formato e-Book apresenta muitos ângulos do desafio que é crescer e educar, hoje.

Está disponível aqui.

 

Pode descarregar o livro completo também em PDF.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 Fonte: Internet SeguraRegulamento

 

Ganha uma câmara desportiva ou um tablet e mais uma estadia numa Pousada de Juventude!

 

Participa no passatempo Dia da Internet Mais Segura 2018!

 

Para comemorar o dia da Internet Mais Segura o Centro Internet Segura convida-te a criar uma fotografia junto do cartaz da Linha Internet Segura “Aceita o Desafio!”.

 

Procura o cartaz na tua escola ou numa Loja PontoJA perto de ti!

 

Dá asas à tua criatividade! Queremos fotos originais, composições divertidas, que mereçam muitos likes. Podes utilizar montagens, aplicar os filtros de que mais gostas ou até criar distorções gráficas, desde que respeites as normas do passatempo.

 

Deves ter entre 13 e 30 anos e antes de fazer e enviar a tua foto lê atentamente o Regulamento do passatempo  para que a tua participação seja considerada válida!

 

As fotos, onde não devem aparecer pessoas que possam ser identificadas, deverão ser publicadas no Facebook, na página/perfil do Centro Internet Segura, no período de 22 de janeiro a 01 de fevereiro de 2018 e o respetivo link enviado para o email: internetsegura@fct.pt .

 

A lista dos/as vencedores/as do passatempo será divulgada a partir das 16 horas do dia 01 de Fevereiro de 2018, no Facebook Internet Segura e IPDJ/ Portal da Juventude, no Site Internet Segura e no Portal da Juventude.

 

Os prémios serão entregues durante o evento de celebração do Dia da Internet Mais Segura a ter lugar em Braga, a 6 de Fevereiro de 2018 em local a confirmar, e onde os vencedores poderão conhecer e tirar fotos com os actores que integram a peça “Identidade Digital 2.0”: Alexandre da Silva, Pedro Górgia e Tiago Aldeia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

infocedi.png

 Download |

 

Definições sobre Segurança Infantil na Internet.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

emoc.png

 

Abstract

CAETANO, Ana Paula et al. Emoções no cyberbullying: um estudo com adolescentes portugueses. Educ. Pesqui. [online]. 2016, vol.42, n.1, pp.199-212. ISSN 1517-9702.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-9702201603138125.

 

Neste artigo, apresenta-se uma parte do estudo extensivo do projeto Cyberbullying – um diagnóstico da situação em Portugal, com a aplicação de um questionário a 3.525 adolescentes no 6.º, 8.º e 11.º níveis de escolaridade. Com vista à caracterização do cyberbullying, pretendeu-se contribuir para a identificação e interpretação das emoções experienciadas pelos jovens envolvidos, quer como vítimas, quer como agressores em situações de cyberbullying. Os dados revelam que a tristeza, a vontade de vingança e o medo são as emoções mais frequentes das vítimas, enquanto a satisfação, a indiferença e o alívio são aquelas que os agressores mais vivenciam. Revelam ainda diferenças significativas entre as emoções experienciadas pelas vítimas e aquelas que os agressores lhes atribuem, o que, podendo ser um indicador da falta de empatia destes últimos, requer o desenvolvimento de uma educação emocional dos jovens. Verificam-se algumas diferenças significativas em relação ao nível de escolaridade, sexo, escola e município, nomeadamente: na maior incidência de emoções como a tristeza, o medo, a insegurança e a vontade de vingança nas vítimas do sexo masculino; mais sentimentos de insegurança, de alívio, de confusão e desorientação nas jovens agressoras; emoções associadas a impotência e falta de apoio, experimentadas pelos jovens no papel de vítimas, mais numas escolas do que noutras. Esses dados levam-nos a refletir sobre formas de agir no sentido da prevenção do cyberbullying.

 

Keywords : Emoções; Cyberbullying; Emoções morais; Competências emocionais.

 

Conteúdo relacionado:

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

seguran.png

 SeguraNet|

 

Atividades nas Escolas

 

No dia 7 de fevereiro de 2017, comemora-se o Dia da Internet Mais Segura. Para que este dia seja assinalado na comunidade escolar, convidam-se todas as escolas a dinamizarem atividades sobre as temáticas relacionadas com a Segurança Digital, durante o mês de fevereiro de 2017.

 

Esta é a oportunidade perfeita para introduzir, ou reforçar, os temas da segurança digital entre alunos, professores, assistentes operacionais, encarregados de educação e pais.

 

Para se poder dar a merecida visibilidade às iniciativas próprias de cada escola/agrupamento, solicita-se que procedam ao respetivo registo, preenchendo, para tal, o FORMULÁRIO DE REGISTO.

 

 

Para mais informações consulte este tutorial.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mentira.jpg

 por Manuel Pinto | fonte: Renascença |

 

 

Uma efectiva literacia das notícias passa, em grande medida, por cultivar uma atitude interrogativa e crítica nos estudantes e uma progressiva compreensão das lógicas e condicionalismos dos media.

 

Num dos encontros desta quadra festiva, conversava-se sobre a “onda de notícias falsas” que invadiu as redes e media sociais. Uma adolescente que seguia a conversa, mas ouvia mais do que falava, fez, a dada altura a pergunta que ninguém se tinha ainda lembrado de fazer: “E nós como é que podemos saber se uma notícia é falsa?”.

 

Recentemente, o presidente Barack Obama observava, sobre este fenómeno: “Se não formos sérios sobre os factos e sobre o que é verdade e o que não é (…) então temos aí um problema. Se tudo for a mesma coisa e não se estabelecerem distinções, então não saberemos o que é de preservar e aquilo por que lutar”.

 

E temos, de facto, um problema quando, como nas recentes eleições norte-americanas, vemos notícias falsas suplantarem, em repercussão, as verdadeiras.

 

Há medidas que devem ser tomadas pelos próprios media. Mas nada garante, que essas medidas tenham o alcance necessário, porque se ficarão inevitavelmente pelo lado mais imediato e óbvio, deixando de parte as mentiras oficiais ou oficiosas, as meias-verdades e, não menos, importante, os silêncios interessados, quando não a censura despudorada. E isto está, por vezes, mais presente nos grandes media do que nos media sociais.

 

É (também) por isso que se torna crucial desenvolver iniciativas sistemáticas e abrangentes que respondam à pergunta do adolescente que, sem querer, motivou este texto: “E nós como é que podemos saber se uma notícia é falsa?”

 

Algumas respostas decorrem de perguntas básicas ou mais exigentes: Quais são as fontes da informação? Quem a assina? Há peritos ou especialistas que comentam ou opinam? Quem são? A notícia é dada por outros media ou é um exclusivo? Neste caso, são prestados esclarecimentos sobre os processos de obtenção ou investigação do caso? Quem é beneficiado e quem é prejudicado pela matéria publicada?

 

Relativamente ao meio que veiculou a matéria: trata-se de um meio profissional, de créditos reconhecidos? Existe uma página sobre “quem somos” e/ou com contactos? O endereço da página parece confiável? Uma pesquisa sobre o título da publicação ajuda a esclarecer dúvidas?

 

Uma efectiva literacia das notícias passa, em grande medida, por cultivar uma atitude interrogativa e crítica nos estudantes e uma progressiva compreensão das lógicas e condicionalismos dos media. Um caminho destes permite detectar corrupção no jornalismo, mas também valorizar a qualidade e o trabalho dos verdadeiros profissionais.

 

Visto aqui.

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

odio.png

 in Expresso | texto de Katya Delimbeuf | Download do manual |

 

Foi apresentada esta quinta-feira, na Fundação Gulbenkian, a versão portuguesa do manual do Conselho da Europa destinado a combater o discurso de ódio na internet. O Expresso falou com Claúdia Reis e com Margarida Saco, do Instituto Português do Desporto e da Juventude, para perceber o alcance deste recurso

 

É um manual de 214 páginas, que a partir de sexta-feira estará acessível ao público no site do Instituto Português do Desporto e da Juventude. O Expresso antecipa-o. Neste livro grosso está impressa a preocupação da Europa com um fenómeno crescente que inquieta todos: o discurso de ódio, onde se inclui, por exemplo, o 'ciberbullying'.

 

Insultar, discriminar, acossar, atacar, ameaçar através da internet em geral e das redes sociais em particular é, infelizmente, uma realidade que tomou proporções alarmantes: “6% dos utilizadores da internet entre os 9 e os 16 anos na Europa já reportou ter sido alvo de bullying 'online’”, explica Claúdia Reis, responsável do departamento de informação e comunicação do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), que trabalhou de perto na tradução para português do manual. “Portugal não tem ainda estatísticas concretas sobre esta temática, mas trabalha nesse sentido, em conjunto com a Polícia Judiciária”. (...)

 

Ler mais >>

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Cyberbullying

12.12.16

cyber.png

Ilustração de Alex Gozblau | Texto de Carolina Reisin Expresso |

 

 

 

 

O medo tinha hora marcada. Começava e terminava com a campainha da escola. Adriana sabia que era ali que a paralisia facial mais se notava. Durante dez anos aguentou sozinha os comentários de gozo feitos em todas as aulas, os empurrões e insultos durante os intervalos. Não lhe valeu o irmão, que assistia a tudo ali mesmo ao pé e que, também com medo, ficava em silêncio. De certa forma, ela fez o mesmo. Aguentou até ter coragem para contar à mãe o que se passava. A vida desta família alentejana já se encaminhava para rumar mais a sul, o bullying foi a gota de água.

 

Adriana mudou de cidade, fez terapia, cresceu, recuperou das mazelas. Sentiu-se “curada”. Mas, dez anos depois da primeira vez em que os miúdos da escola a rodearam para lhe cuspir e gritar que ela era “feia, pequena, deficiente, um verme” que não merecia viver, os insultos voltaram. Agora, não existiam círculos no recreio, nem aparecia ninguém, de repente, para lhe dar uma palmada na cabeça, nem lhe roubavam a roupa depois do treino de educação física. Os insultos e ameaças chegavam através do Facebook e do telemóvel, constantemente. Ali, sem ver a cara dos agressores, ela voltava a ser “feia, pequena, deficiente, um verme” que não merecia viver. Como se nunca tivesse saído da primeira escola onde o assédio começou. (...)

 

Ler mais >>

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

pisca_logo_0.jpg

 


A app Pisca Mega Quiz permite testar conhecimentos sobre a segurança digital nas categorias: dispositivos, privacidade, comportamentos e aprender.

 

Descarregue-a gratuitamente nas seguintes Apps Stores: Google Play, Apple Store e Windows Phone.

Autoria e outros dados (tags, etc)


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Twitter_