Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



magalhaes.png

Home page |

MENU:
CIRCUM-NAVEGAÇÃO
SOBRE MAGALHÃES
MAGALHÃES E O PLANETA
ESTRUTURA DE MISSÃO
PROGRAMA | doc .pdf

 

Conteúdo relacionado:

 

 

 

csm_BrochureEMI2019_Page_01_a4570c9161.png

Esta edição 2019-2020 foi completamente revista e aumentada para responder melhor às necessidades dos professores. Destina-se aos 2º e 3º ciclos. 


Encontrará: 

- Informações práticas.

- The Critical Critical Focus, que apresenta (exemplos de oficinas).

- Media escolares.

- Recursos para analisar as imagens na internet e noticiários.

- Publicidade oculta e fake news.

Faça o download do folheto 2019-2020 (PDF)

Referência: Brochure Éducation aux médias et à l'information - CLEMI. (2019). CLEMI. Retrieved 6 September 2019, from https://www.clemi.fr/fr/ressources/brochure-education-aux-medias-et-a-linformation.html

 

guerra.png

Hoje, na RTP 3: A II Guerra Mundial, 80 anos depois.

Mal começou a II Guerra Mundial, em setembro de 1939, Portugal declarou-se neutral. O país conseguiu manter este estatuto até ao fim, mas vai conhecer alguns dos impactos do conflito. Conheça a situação nacional em 1939 e 1940.

 

A neutralidade portuguesa foi anunciada oficialmente nos jornais logo no início da guerra e nos anos seguintes o Presidente do Conselho, António Oliveira Salazar, fez tudo para manter a manter.

Apesar desta vontade não foi possível evitar a exposição do país a alguns efeitos da guerra, nomeadamente, ao surgimento de refugiados que procuravam, através de Portugal, chegar a um porto seguro, longe dos nazis.

Por outro lado estes mesmos refugiados mudaram a mentalidade portuguesa, nomeadamente das mulheres que conheceram outras formas de estar e viver.

 

ReferênciaPortugal no princípio da II Guerra Mundial. (2019). Portugal no princípio da II Guerra Mundial. Retrieved 1 September 2019, from http://ensina.rtp.pt/artigo/portugal-no-principio-da-ii-guerra-mundial/

 

Conteúdo relacionado:

 

1.ª Grande Guerra

amazonia.png

A questão da Amazónia, com Nuno Rogeiro, foi tema, hoje, no programa Leste-Oeste, da SIC Notícias.

Um documento, para ajudar a enquadrar uma problemática, que está na ordem do dia.

 

O Porvir selecionou filmes, infográficos, músicas e produções de realidade virtual para levar a discussão sobre a preservação da maior floresta tropical do mundo à sala de aula

 

Nas últimas semanas, o debate sobre a Amazónia ganhou destaque nas redes sociais e nos principais meios de comunicação. De acordo com dados do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Especiais), durante o mês de julho o desmatamento da área teve um crescimento de 278% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Os casos de queimadas na região também se repercutiram no noticiário internacional, e o presidente francês Emannuel Macron chegou a convocar uma reunião do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) para discutir o casos e propor ajuda económica para minimizar os danos da tragédia. O facto causou imediata reação do governo brasileiro, que defende a soberania do país em questões envolvendo a Amazónia.

Para apoiar professores que desejam trabalhar este tema com os estudantes, o Porvir fez uma seleção de materiais que podem ser utilizados em sala de aula. Entre as dicas, são apresentadas sugestões de filmes, infográficos, músicas e produções de realidade virtual. Os materiais podem servir como ponto de partida para iniciar um debate sobre a importância da Amazónia, considerando seus aspectos sociais, ambientais, políticos e económicos. Veja:

Filmes
Andes Água Amazónia: o documentário trata de um dos mais importantes ciclos hidrológicos da Terra, que acontece entre os Andes e a Amazónia. Classificação livre, 22 minutos.

Belo Monte – Anúncio de Uma Guerra: a partir de entrevistas com moradores de cidades próximas ao canteiro de obras da fábrica, como Altamira e Vitória do Xingu, o filme traz a opinião de especialistas e ainda mostra depoimentos de moradores e indígenas de regiões próximas ao complexo hidroelétrico. Classificação livre, 80 minutos.

Amazónia Eterna: o filme apresenta equívocos e possíveis caminhos para ver a maior floresta tropical do mundo nas suas camadas social, política e económica. Classificação livre, 79 minutos.

Mais Cidade, Menos Floresta: reúne dados e indicadores que impactam no desenvolvimento da cidade de Manaus (AM), principalmente em relação à diminuição da floresta. 

 

Infográficos
InfoAmazonia: mantido por uma rede de organizações e jornalistas, o portal traz uma série de dados, infográficos e notícias sobre a Amazónia.

O que está acontecendo com o desmatamento na amazónia: o infográfico apresenta dados que relacionam políticas públicas com a redução das taxas de desmatamento.

 

Músicas
EP Amazónidas: a produção independente do compositor Jean Carmo conta um pouco sobre a história do Amapá, enquanto trata de temas como terra, preservação e legado.

Chico Terra: a música “Reforma Amazongráfica”, do amapaense Chico Terra, fala de resistência e luta da Amazónia.

Amazónia: a música de Roberto Carlos chama a atenção para os sinais de alerta com origem na floresta tropical.

 

Realidade virtual
Amazónia Adentro: produzido pela Conservação Internacional e pela Jaunt VR, o filme de realidade virtual propõe uma experiência pela Amazónia a partir da narração do indígena Kamanja Panashekung e do ator Marcos Palmeira.

AMAZON 360 VR: o vídeo da WWF International oferece uma experiência de imersão para tratar sobre o papel vital da Amazónia na estabilidade climática do planeta.

AMAZÓNIA em 360°: Do passeio pelos igarapés amazónicos até a aldeia de Copaíba, na região do médio Purus, na Terra Indígena Caititu, o vídeo de realidade virtual apresenta uma viagem pela Amazónia em 360 graus.

AwavenaVR: Para os Yawanawa da Amazónia, a medicina tem o poder de nos transportar para um mundo que se encontra dentro do mundo que conhecemos. Awavena é uma colaboração entre essa comunidade e cineastas que usam a tecnologia para contar a história de Hushahu, a primeira mulher da tribo a tornar--se uma xamã, e criar uma experiência transcendente.

Reproduzido do sítio web do Porvir, com adaptações.

ReferênciaComo levar o debate sobre a Amazônia para a sala de aula - PORVIR. (2019). PORVIR. Retrieved 1 September 2019, from http://porvir.org/como-levar-o-debate-sobre-a-amazonia-para-a-sala-de-aula/

 

Conteúdo relacionado:

 

 

 

ala.png

Download |

A importância das imagens e dos media visuais na cultura atual está a mudar, com implicações no significado de alfabetização no século XXI. As tecnologias digitais tornaram possível que quase todos criem e partilhem imagens. No entanto, a sua difusão não significa necessariamente que os indivíduos sejam capazes de visualizar criticamente, usar e produzir conteúdo visual. Os Padrões de Competência de Alfabetização Visual da ACRL para o Ensino Superior foram desenvolvidos para abordar essas características distintas de imagens e media visuais. Com base nesses padrões, este livro fornece  aos bibliotecários e formadores as ferramentas, estratégias e confiança para aplicar a literacia visual num contexto de biblioteca. Os leitores não só aprenderão formas de desenvolver a literacia visual dos alunos, mas também como usar materiais visuais para tornar a sua formação mais envolvente. Ideal para o bibliotecário ocupado que precisa de ideias, atividades e estratégias de ensino prontas para implementar, este livro

  • mostra como desafiar os alunos a mergulhar na procura de imagens, usando imagens no processo de pesquisa, interpretando-as e analisando-as, criando comunicações visuais e usando conteúdo visual eticamente;
  • fornece atividades de aprendizagem prontas para o envolvimento crítico com materiais visuais;
  • oferece ferramentas e técnicas para aumentar a própria autoconfiança visual; e
  • fornece estratégias para integrar, envolver e defender a alfabetização visual nas bibliotecas.

Com a orientação deste livro, os profissionais académicos podem ajudar os alunos a dominar a alfabetização visual, uma competência fundamental no mundo saturado de media de hoje, ao mesmo tempo que estimula a aprendizagem com materiais visuais.

 

Referência:

Título do artigo: Alfabetização Visual para Bibliotecas: Um Guia Prático e Baseado em Padrões | Loja ALA
Título do site: Alastore.ala.org
URL: https://www.alastore.ala.org/content/visual-literacy-libraries-practical-standards-based-guide

cdu.png

Consultar a Tabela |


"Corresponde à versão "Sumário" com 2000 entradas (das 68000 da tabela completa)

A Biblioteca Nacional de Portugal está de parabéns pelo trabalho realizado e disponível pela licença Creative Comons. Aqui ficam os créditos do trabalho:



Na entrada do site temos um painel do lado esquerdo com as classes e tabelas auxiliares:

Ao carregar numa dessas tabelas surgem as suas notações principais. Se clicarmos numa notação surge do lado direito a explicitação dessa notação e notações relacionadas, sendo possível de navegar entre as relacionadas.


Ainda existem funcionalidades por implementar, não existe pesquisa (e nem parece que vá existir), o número de notações é pequeno em relação ao publicado em livro mas a navegação é fácil e agradável.
Ainda não estão traduzidas as explicações e exemplos... mas quem quiser pode colaborar!.
Claro que quem já trabalhou com a tabela inglesa, em que as notações se podiam pesquisar por palavra ou mesmo construir e copiar e colar, quer sempre mais!

Mas já era altura de termos a tabela CDU em formato digital! Eu, leitor digital, só posso agradecer!"
 

Referência: Tabela CDU disponível online. (2010). Bibliotequices.blogspot.com. Retrieved 20 August 2019, from https://bibliotequices.blogspot.com/2010/06/tabela-cdu-disponivel-online.html

 

 

O navegador português partiu de Sevilha há 500 anos.

Fernão de Magalhães fez-se ao mar no dia 10 de agosto de 1519.

Partiu de Sevilha com uma esquadra de cinco navios e 234 homens decidido a provar que era possível circum-navegar o globo.

 

Referência: 500 anos da circum-navegação de Fernão Magalhães SIC Notícias. Retrieved 11 August 2019, from https://sicnoticias.pt/pais/2019-08-10-500-anos-da-circum-navegacao-de-Fernao-Magalhaes

 

Conteúdo relacionado:

ciência.png

Episódios | Sobre o projeto |

 

A Voz aos investigadores portugueses em 90 segundos de Ciência.

Dos Açores ao Minho, da Madeira à Covilhã, do Algarve a Bragança, e aos que andam espalhados pelo mundo. Das ciências sociais às ciências exatas, passando pelas humanidades.

Duas vezes por dia na Antena 1, de segunda a sexta, antes das onze da manhã e antes das sete da tarde.

O 90 Segundos de Ciência é um projeto do Instituto de Tecnologia Química e Biológica António Xavier ITQB NOVA, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – FCSH NOVA, ambos da Universidade Nova de Lisboa, e Antena 1, com o apoio da Novartis e Santander Universidades.

quiz.png

Exercícios |

 

Conteúdo relacionado:

Acompanhe na íntegra a palestra da Profª Drª Leonor Santos, da Universidade de Lisboa, diretamente do campus de Santo André, em evento realizado pela UFABC [Universidade Federal ABC], pelo PEHCM (Programa de Pós-Graduação em Ensino e História das Ciências e da Matemática).

 

Conteúdo relacionado:


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Twitter



Perfil SAPO

foto do autor