Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogue RBE

Sex | 23.12.11

Cantigas medievais galego-portuguesas








Cantigas Medievais Galego-Portuguesas - assim se intitula a base de dados que  disponibiliza, aos investigadores e ao público em geral, a totalidade das cantigas medievais presentes nos cancioneiros galego-portugueses, as respetivas imagens dos manuscritos e ainda a música (quer a medieval, quer as versões ou composições originais contemporâneas que tomam como ponto de partida os textos das cantigas medievais). A base inclui ainda informação sucinta sobre todos os autores nela incluídos, sobre as personagens e lugares referidos nas cantigas, bem como a “Arte de Trovar”, o pequeno tratado de poética trovadoresca que abre o Cancioneiro da Biblioteca Nacional.

O projeto de que resultou esta base de dados está sediado no Instituto de Estudos Medievais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. 


Qui | 22.12.11

Parque Biológico de Gaia









Situado na periferia da cidade de Vila Nova de Gaia, freguesias de Avintes e Vilar de Andorinho, o Parque Biológico [de Gaia] estende-se pelo vale do rio Febros, um afluente da margem esquerda do Douro, em cuja proximidade se disseminam velhas casas rurais, moinhos e engenhos de buchas.

Conservando e preservando a paisagem rural e os seus elementos típicos - as bouças, os campos de cultivo, os caminhos vicinais, as casas rurais, os moinhos, o ribeiro, os muros, as noras, os açudes, a fauna selvagem e a flora espontânea....- o Parque  pretende sensibilizar para as questões ambientais e  proporcionar o contacto com uma natureza anterior à fase de urbanização da 2ª metade do séc. XX.

Para além do espaço natural,  o Parque Biológico de Gaia dispõe de uma biblioteca especializada em história natural, biodiversidade e conservação da natureza. O catálogo da biblioteca, bem como diversas informações e recursos, estão disponíveis no sítio virtual do Parque. Pode consultar aqui >>  .
Qua | 21.12.11

Refazer as sociedades







Durante 3 dias de novembro discutiu-se, na cidade francesa de Grenoble, o estado atual das nossas sociedades, das quais um dos traços mais marcantes será o que o historiador Pierre Rosanvallon designa por "crise dos comuns", no sentido de perda dos valores e instituições que o séc. XX desenvolveu para reduzir as desigualdades, criar maior igualdade de oportunidades e mais solidariedade. Esta inversão ou regressão de valores está a conduzir à degradação dos modelos de serviço público que dávamos como adquiridos (na saúde, na educação...) e à própria decomposição da sociedade. Como é que chegámos a esta situação? Como refazer, de novo, os laços e a coesão sociais, a vida comum? A discussão não pode ser reduzida a questões económicas, de dívida e de défice, nem à reivindicação de um regresso a modelos passados. Não podemos refazer as sociedades sem um debate sobre as suas dificuldades e resistências, os seus medos e expetativas, os seus desejos  e compromissos. Sem uma reflexão que permita compreender as atuais transformações. 

Foram estes os pressupostos da organização do encontro Refaire société a que a revista  Internet Actu.net dedicou um dossiê. Pode ler aqui >> 


Seg | 19.12.11

Eduardo Lourenço distinguido com o Prémio Pessoa 2011










Imagem: CNC




Eduardo Lourenço é o Prémio Pessoa 2011. O Prémio Pessoa é concedido anualmente à pessoa de nacionalidade portuguesa que durante esse período e na sequência de uma atividade anterior tiver sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica do País. Esta é a 25.ª edição do Prémio Pessoa.

Escreve o Júri: "Num momento crítico da História e da sociedade portuguesa, torna-se imperioso e urgente prestar reconhecimento ao exemplo de uma personalidade intelectual, cultural, ética e cívica que marcou o século XX português." (...)

Ler mais no Expresso, 16 dez.  >>