Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



AlmadaForma.png

 Consultar a publicação | Agosto 2017 |

 

Editorial

Para todos os intervenientes na BE CRE de Almada a nossa estima e gratidão.

É tempo de dar voz e vez à Biblioteca Escolar. Força mobilizadora de vontades e de sonhos, que se organiza em rede de pessoas comprome das e empenhadas com a educação, a formação e a cultura. Força que atua no coração das organizações escolares, no seio dos con- textos, na especi cidade das comunidades educa vas. Força humana em rede, promotora de desenvolvimento pessoal e social, que se a rma e valoriza em interações colabora vas, que proporcionam informação, conhecimento e ideias fundamentais para (con) viver na socieda- de contemporânea, em princípios e valores de cidadania.

O Centro de Formação Almada Forma congratula-se com a honrosa oportunidade de dedicar a 14a edição da revista Almada Forma online ao tema -Biblioteca Escolar-Centro de Recursos. Na qualidade de parceiro de referência, cumpre-nos reconhecer e digni car publicamente o mérito da ação educa va, informa va, cultural e recreativa da biblioteca escolar-centro de recursos.

Esta tribuna tem o privilégio de interpelar o passado e convocar o presente para sinalizar e augurar um futuro promissor à BECRE. Como forma de celebrar o excelente serviço de 20 anos consagrados à educação, nas escolas e na comunidade educativa de Almada, rendemos homenagem a todos os coordenadores e professores bibliotecários que ousaram fazer-se à viagem, com sentido de missão, orientada por desígnios de inclusão, igualdade de oportunidades, qualidade educacional. (...)

 

Índice:

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

vfx.png

Programa | Inscrição | Sítio oficial | 11 e 12 de setembro |

 

Isto já não é o que era... Os desafios da escola no século XXI

 

Contextualização

Na atual sociedade da informação, a escola confronta-se com processos complexos de mudança, com implicações nos modos de aprender e de se exercer a ação educativa. Desta forma, impõe-se a necessidade de promover novas abordagens, daí o tema desta ação de formação "V Jornadas Pedagógicas V. F. Xira- Isto já não é o que era... Os desafios da escola no século XXI".

 

Este Curso de Formação promovido pelo Centro de Formação de Professores Infante D. Pedro - Alverca, Vila Franca de Xira, pretende proporcionar a reflexão, a aprendizagem contínua e melhorar a compreensão sobre a importância das novas tecnologias na escola e também sobre as boas práticas de ensino aprendizagem abrangentes a qualquer disciplina, integrando os formandos no novo paradigma da escola do século XXI.

 

A formação tem a duração de 12horas (0.5 créditos).

 

Os principais destinatários da ação são educadores de infância, professores dos ensinos básico e secundário e educadores (com acreditação), mas também poderão assistir mediadores de leitura, animadores, bibliotecários, técnicos de BM (sem acreditação).

 

A diversidade do formato (palestras, partilha de projetos e de boas práticas, e oficinas) pretende possibilitar um leque diversificado de abordagens, privilegiando os domínios identificados como prioritários para aprofundar, discutir e refletir.

 

Ficha da Ação

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Dia Internacional da literacia

Uma publicação partilhada por Rede de Bibliotecas Escolares (@rbe_pt) a


 Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional da Alfabetização, 8 de setembro de 2017
 

A alfabetização em um mundo digital 

 

As tecnologias digitais permeiam todas as esferas de nossas vidas, moldando essencialmente a forma como vivemos, trabalhamos, aprendemos e nos socializamos. 

 

Essas novas tecnologias estão abrindo novas e vastas oportunidades para melhorar nossas vidas e para que nos conectemos em âmbito mundial – mas elas também podem marginalizar aquelas pessoas que não têm habilidades essenciais, como a alfabetização, necessárias para lidar com elas. 

 

Tradicionalmente, tem-se considerado a alfabetização como um conjunto de habilidades de ler, escrever e contar, aplicadas em um determinado contexto. As sociedades do conhecimento intermediadas digitalmente estão transformando o significado de ser alfabetizado, assim como demandando mais e melhores habilidades de alfabetização. Ao mesmo tempo, em troca disso, a tecnologia pode servir para aprimorar o desenvolvimento da alfabetização. 

 

Isso deve ser compreendido em um contexto mais amplo. Em todo o mundo, 750 milhões de adultos atualmente ainda não têm nem mesmo as habilidades mais básicas de alfabetização. Cerca de 264 milhões de crianças e jovens não se beneficiam da educação escolar. Além disso, pesquisas internacionais mostram que uma expressiva parcela da população de jovens e adultos, em todo o mundo, inclusive nos países desenvolvidos, é deficiente em relação às habilidades digitais básicas necessárias para trabalhar e viver plenamente nas sociedades atuais. Suprir essa falta de habilidades é um imperativo educacional e de desenvolvimento. 

 

As tecnologias de informação e comunicação (TIC) criam oportunidades para enfrentar esse desafio. Ferramentas digitais podem ajudar a ampliar o acesso à aprendizagem e a melhorar sua qualidade. Elas têm o poder de alcançar os que ainda não foram alcançados, aprimorar o acompanhamento dos progressos da alfabetização, facilitar a avaliação das habilidades e tornar mais eficientes a administração e a governança dos sistemas que desenvolvem tais habilidades. 

 

Para criar e aproveitar novas oportunidades de avanço em direção ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 4 (ODS 4), sobre educação e aprendizagem ao longo da vida para todos, nós precisamos de ações coletivas. Hoje, parcerias entre os governos, a sociedade civil e o setor privado são essenciais para promover a alfabetização em um mundo digital. Eu vejo a Aliança Global pela Alfabetização (Global Alliance for Literacy), dentro do Marco de Ação da Aprendizagem o Longo da Vida, como um modelo dos esforços concertados de que precisamos para avançar na agenda mundial e para apoiar as iniciativas nacionais de alfabetização. 

 

O Dia Internacional da Alfabetização oferece um momento para revermos os progressos e nos unirmos para enfrentar os desafios futuros. Neste ano, o evento é dedicado à melhor compreensão do tipo de alfabetização que é necessário, em um mundo digital, para se construir sociedades mais inclusivas, igualitárias e sustentáveis. Todos devem ser capazes de aproveitar ao máximo os benefícios da nova era digital, para os direitos humanos, para o diálogo e o intercâmbio, e para um desenvolvimento mais sustentável.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

bldi.png

 Saber mais | até 18 de set.

 

 

 

- Área científica predominante do curso: Comunicação Educacional e Gestão da Informação
- Diário da República, 2.ª série - N.º 159 - 17 de agosto de 2015

 

 

 

Objetivos

 

Este curso de formação especializada, visa formar profissionais, na gestão de organizações informacionais, tendo em conta o desenvolvimento e aprofundamento dos seus conhecimentos, na áreas das literacias digitais e da informação, numa perspetiva holística das Ciências da Informação e das Ciências da Educação, dirigindo-nos, deste modo, aos profissionais das organizações de natureza educacional, de cariz local e regional, tendo em conta que estes espaços se devem organizar e projetar na era digital.

Objetivos para este ciclo de estudos:
- Desenvolver competências digitais nos formandos que lhes permitam adequar os seus perfis às necessidades das bibliotecas que dirigem.

 


- Integrar os conhecimentos e as competências e técnicas nos contextos profissionais, como motor da animação, da difusão da informação e do conhecimento como forma de resposta aos projetos das instituições em que se inserem.

 


- Promover o uso seletivo, analítico e crítico da informação no contexto profissional e transformá-lo autonomamente em conhecimento, desdobrando estas competências para a comunidade sob a forma de projetos articulados com o projeto educativo ou a estratégia institucional e/ou local/regional.

 


- Desenvolver nos formandos competências de análise e avaliação de recursos digitais e informacionais que os ajudem a melhorar o acompanhamento/serviço aos utilizadores dos espaços que dirigem.

 


- Produzir recursos digitais e definir estratégias adequadas à sua utilização no âmbito das estratégias de animação de bibliotecas.

 


- Desenvolver nos formandos competências e atitudes pro ativas de produção e gestão de atividades e projetos inovadores relacionados com a promoção da leitura, a escrita e demais temáticas.

 


- Promover as organizações informacionais como espaços de pluralidade linguística e encontro de culturas, gerações e espaços inclusivos de trocas de saberes e intervenção social.

Autoria e outros dados (tags, etc)

PNL.png

 PNL | Todas as listas | Espalha Factos, texto de Pedro Paupério |

 

Nas novas listas do Plano Nacional de Leitura (PNL) constam este ano 400 novas obras, disse a subcomissária do PNL, Elsa Conde, numa nota enviada à imprensa.

Os 400 novos títulos juntam-se assim aos diversos que se mantêm nas listas anualmente publicadas no site do PNL.

Diferenciadas em leitura autónoma, em voz alta, orientada ou em contexto de sala de aula, as listas do PNL recomendam diversos livros para todas as idades, da pré-primária ao ensino secundário. São ainda apresentadas algumas sugestões para adultos.

Entre as novas obras sugeridas estão presentes títulos de autores que surgem pela primeira vez O livro infantil Mana, de Joana Estrela, a obra Saramago – Homem rio, de Inês Fonseca Santos e a banda desenhada Os vampiros, de Filipe Melo e Juan Cavia, são alguns exemplos.

Por outro lado, Manuel Alegre, vencedor do prémio Camões 2017, volta a surgir com obras como Praça da CançãoAlma e Barbi-ruivo – o meu primeiro Camões. (...)

 

Ler mais >>

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

A Associação Portuguesa de Escritores e a plataforma escritores.online acabam de lançar uma nova proposta de edição de obras, a qual pretende ser uma alternativa às atuais soluções de publicação de livros.

e-manuscrito é uma obra em formato digital, sem intervenção de terceiros, que passa diretamente do escritor para o leitor através da plataforma:

www.escritores.online/downloads

O seu descarregamento é pago para que o escritor possa receber direitos de autor superiores aos praticados no circuito tradicional.

O preço fixo de 2,99€ permite, igualmente, ao leitor, obter, em qualquer parte do Mundo, de uma forma prática e económica, obras em língua portuguesa de diferentes géneros e autores.

À disposição dos leitores, já se encontram e-manuscritos de escritores como Rui Zink, Margarida Fonseca Santos, Ernesto Rodrigues, Daniel Gonçalves, Tiago Salazar, António Garcia Barreto, João Morgado, entre outros.

 

Publicado primeiro aqui.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

livro.png

 

 

A iniciativa foi criada, no ano passado, no Brasil, fazendo-a coincidir com o Dia do Escritor.

 

Este ano, a primeira edição chega a Portugal.

 

É possível ver-se em várias publicações nas redes sociais a mensagem:

«Precisamos de voluntários de várias zonas de Portugal para “esquecer” livros no dia 25/07/2017″. É o dia de ‘Esqueça um livro e espalhe conhecimento.’
Quem alinha?


Deixe no restaurante, no café, na paragem de autocarro, no metro, no banco, no táxi, enfim… A escolha é livre.
Pode acompanhar com um bilhetinho, explicando o projeto e a prenda!


Modelo de Bilhete:
Olá, Tu que encontraste este livro! Agora ele é TEU!
A iniciativa faz parte de um projeto de incentivo à leitura e partilha de conhecimento.
Participe na primeira edição no dia 25 de julho de 2017.»

 

Fonte: escritores.online

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:

ana_filipa.png

 foto "A Bola"

 

Na sequência da promoção da escrita que a Biblioteca Escolar da Escola Secundária de Amarante tem vindo a desenvolver, no caso em articulação com o Departamento de Educação Física, a aluna Ana Filipa Gomes Ferreira ficou em 1.º lugar, a nível nacional, no Concurso literário Ética na vida e no desporto.

 

O concurso “A Ética na Vida e no Desporto”  já na sua 5.ª edição é promovido pelo Instituto Português do Desporto e Juventude, através do Plano Nacional de Ética no Desporto, conta com o apoio do Jornal Desportivo “A Bola”, a Direção-Geral da Educação/Desporto Escolar, a Direção - Geral de Reinserção e Serviços Prisionais e o Comité Olímpico de Portugal.

 

O coordenador interconcelhio: António da Silva Pereira

com a professora bibliotecária Isabel Araújo

 

Aqui fica o texto da Ana Filipa Ferreira:

 

«AUTOGOLO

Signal Iduna Park. 19 horas, 45 minutos. Um apito curto que coloca as pernas de 22 em movimento e o coração de milhões aos saltos. Ao fundo, um muro amarelo. Quente, vibrante, impenetrável. Mágico. Verdadeiramente mágico. Um amarelo que ri e que chora. De alegria e de tristeza. Um amarelo que sente e sentido. Infalível. Um amarelo que ama e não falha. Que grita e não se cansa.

Um cai, outro perde a bola. Um lesionado e um fora de jogo assinalado.
Se eu, pequeno e despercebido pedaço de amarelo, vos pudesse dizer algo antes daquele apito curto? Não esperem um ‘boa sorte’. Pedir-vos-ia que sejam aquilo que vos torna únicos. Aquilo que são antes de serem grandes no futebol e de me arrepiarem os braços com os pés. Que sejam humanos e que não levem convosco apenas o talento que deslumbra o amarelo e o azul, o verde e o vermelho. Porque o mundo se rende a vocês. Que levem os valores que fazem de nós humanidade e que honrem o símbolo que têm ao peito. Mostrem o que é garra, paixão, foco e determinação. O que é amor, ambição e gratidão. Mas, acima de tudo, façam jus à palavra que carregam no braço 90 minutos. RESPECT. Mostrem que somos mais do que duas pernas, do que dois pés, do que assistências e do que golos. Mais do que dinheiro, somos humanos. Mais do que vitórias, somos humanidade. Lembrem-se que os vossos pés não espelham apenas a arte do futebol. Carregam ideias. E as ideias pesam tanto como uma bomba. E quando sentirem vontade de insultar, de humilhar ou até mesmo de desistir, mostrem-se verdadeiros campeões. Sejam grandes. Sejam diferentes. Sejam melhores. Sejam humanos.

 

 

 

Conteúdo relacionado:

Autoria e outros dados (tags, etc)

protoc.png

 Fonte |

 

A Faculdade de Letras, o Centro de Estudos Clássicos e a Rede de Bibliotecas Escolares, programa do Ministério da Educação, acabam de estabelecer um protocolo de parceria com o objetivo de contribuir para o alargamento dos conhecimentos dos alunos do Ensino Básico e Secundário sobre a Cultura Clássica e a sua importância na Cultura Europeia Ocidental e, mais concretamente, na Cultura e Língua Portuguesas.

 

A parceria concretizar-se-á em diferentes projetos, como sessões em bibliotecas escolares, dias ou semanas temáticas, palestras, cursos, exposições, e um concurso nacional de temática ligada à Cultura Clássica (a ser lançado em setembro). As ações serão divulgadas na Rede de Bibliotecas Escolares, a nível nacional.

 

O acordo foi assinado na Faculdade de Letras da ULisboa (FLUL), no passado dia 20 de junho, pelo Diretor da FLUL, Professor Doutor Paulo Farmhouse Alberto, pela Diretora do Centro de Estudos Clássicos, Professora Doutora Cristina Pimentel, e pela Coordenadora Nacional da Rede de Bibliotecas Escolares, Dra. Manuela Silva.

 

Ler mais >>

Autoria e outros dados (tags, etc)

miudos.png

 Regulamento |

 

Põe a tua terra nos píncaros! é um desafio organizado pela Rádio Miúdos em colaboração com a Rede de Bibliotecas Escolares. A iniciativa conta com o apoio de Portugal Inovação Social, no âmbito do Portugal 2020, e da Fundação Calouste Gulbenkian. Tem como destinatárias todas as escolas públicas dos 100 municípios do centro do país e pretende premiar a dedicação dos miúdos à sua terra e descobrir quem tem boas ideias para fazer programas de rádio.

 

O concurso vai distinguir seis escolas com ateliês e emissões ao vivo realizados pela Rádio Miúdos. O desafio proposto para participação no Põe a tua terra nos píncaros! é a criação de um spot publicitário onde os alunos do 2º ao 9º ano deem a conhecer a sua terra. As candidaturas podem ser feitas pelas autarquias (até 8 de setembro) e pelas escolas (até 9 de outubro). O regulamento é divulgado agora, tendo em conta o prazo curto que é dado para a realização dos spots que se deve à necessidade de distribuir pelo ano letivo os ateliês e emissões ao vivo com as escolas vencedoras.

 

Trata-se também de incentivar a participação ativa na sociedade, através da rádio, sensibilizando crianças e jovens para a importância do património regional, material e imaterial, de desenvolver a literacia dos media em contexto real e de promover a relação entre as escolas e as autarquias.

Autoria e outros dados (tags, etc)


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Ligações

Sítios Institucionais


Twitter





Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Twitter_