Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



image.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

image.jpg

A Gulbenkian desafia jovens dos 13 aos 17 anos para leitura em voz alta. Dá Voz à Letra oferece uma viagem a Londres e dois iPad aos vencedores. Objectivo: promover a leitura. Método: seguir o formato dos concursos de talentos. Escolhem um texto de um autor português, lêem-no em voz alta e gravam um vídeo até três minutos com esse desempenho. Os melhores 20 leitores (dos 13 aos 17 anos) irão passar um dia na Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, numa espécie de casting, em que, perante um júri, lerão outros textos, já não à sua escolha. Os dez jovens que se distinguirem nesta selecção irão integrar um espectáculo, a realizar-se no dia 7 de Fevereiro, de novo na Gulbenkian, onde serão então encontrados os três vencedores. O 1.º lugar ganha uma viagem a Londres, que inclui a passagem para um adulto, o 2.º e 3.º lugares recebem um iPad. Qualquer semelhança com um concurso de talentos não é coincidência. É de propósito.

[...] Nesta primeira edição, apenas podem concorrer alunos do distrito de Lisboa, “não havia capacidade de resposta para mais”. Os vídeos podem ser enviados até dia 29 de Outubro via site do concurso. “E já chegaram muitos”, disse Helena Vasconcelos, passada uma semana sobre o início das inscrições.

Ler mais >>

Autoria e outros dados (tags, etc)

image.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Contanário"

14.09.14







Este projeto tem página no Facebook.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Etiquetas:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ler no século XXI

Marc Prensky disse que a nossa geração aprendeu a perceber o mundo através da leitura, e que os nossos filhos agora, aprendem a entender o mundo através da tecnologia.

Mas ler, continua a ser uma competência básica para poder aprender. O que acontece, é que o modo de ler no século XXI, como o modo de pensar, é diferente hoje do que era nos séculos passados. Por quê? Porque está determinado necessariamente pelo incremento de meios e formatos diferentes de comunicação, tanto analógicos  como digitais.

meio, o formato e a acessibilidade ao meio são os três pontos que marcam a diferença entre como se lia no século XIX, no século XX e no século XXI. (...)

 

Continuar a ler >>

Autoria e outros dados (tags, etc)

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"A BPE foi criada para oferecer a você um acervo de mais de 200 mil livros de ficção e não-ficção, livros de arte, quadrinhos, biblioteca infantil, 20 mil filmes, três milhões de músicas digitalizadas. A biblioteca promove também experiências únicas com oficinas, laboratórios, plataformas multimídia e uma diversidade de linguagens artísticas. A Biblioteca Parque Estadual está aberta de terça a domingo das 10h às 20h, para um público estimado em 1.5 milhão por ano. Ela será um ponto de encontro da comunidade, um lugar acessível onde se estimula a leitura, a construção de saberes, onde são desenvolvidas produções artísticas."

 

Ler mais >>

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os leitores perguntam muitas vezes aos escritores como é que escrevem as suas histórias – de onde vêm as ideias? Da minha imaginação, responde o escritor. Ah, sim, dizem os leitores. Mas onde fica a imaginação, de que é que ela é feita, e será que todos temos uma? Bem, diz o escritor, fica na minha cabeça, claro, e é feita de imagens e palavras e memórias e vestígios de outras histórias e palavras e fragmentos de coisas e melodias e pensamentos e rostos e monstros e formas e palavras e movimentos e palavras e ondas e arabescos e paisagens e palavras e perfumes e sentimentos e cores e ritmos e pequenos cliques e flashes e sabores e explosões de energia e enigmas e brisas e palavras. E fica tudo a girar lá dentro e a cantar e a parecer um caleidoscópio e a flutuar e a pousar e a pensar e a arranhar a cabeça. Claro que todos temos uma imaginação: se assim não fosse, não seríamos capazes de sonhar. Contudo, nem todas as imaginações são feitas das mesmas coisas. A imaginação dos cozinheiros tem sobretudo paladares, e a dos artistas mais cores e formas. Mas a imaginação dos escritores está cheia de palavras. E nos leitores e ouvintes das histórias, as imaginações fazem-se com palavras também. A imaginação do escritor trabalha e gira e molda ideias e sons e vozes e personagens e acontecimentos numa história, e a história é apenas feita de palavras, batalhões de rabiscos que marcham ao longo das páginas. E depois chega o leitor e os rabiscos ganham vida. Ficam na página, parecem ainda rabiscos, mas também brincam na imaginação do leitor, e o leitor começa igualmente a desenhar e a rodar as palavras de modo a que a história se crie agora na sua cabeça, tal como tinha acontecido na cabeça do escritor. É por isso que o leitor é tão importante para a história como o escritor. Há apenas um escritor para cada história, mas há centenas ou milhares ou mesmo milhões de leitores, na própria língua do escritor ou traduzida para muitas línguas. Sem o escritor, a história nunca teria nascido; mas sem os milhares de leitores em todo o mundo, a história não viveria todas as vidas que pode viver. Cada leitor de uma história tem alguma coisa em comum com os outros leitores da mesma história. Separadamente, mas também em conjunto, eles recriam a história do escritor com a sua própria imaginação: um ato ao mesmo tempo privado e público, individual e coletivo, íntimo e internacional. Isto deve ser o aquilo que o ser humano faz melhor.

Continua a ler!

Siobhán Parkinson Autora, editora, tradutora e distinguida com o Laureate na nÓg (Children’s Laureate of Ireland).

Tradução: Maria Carlos Loureiro

Autoria e outros dados (tags, etc)


RBE


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Ligações

Sítios Institucionais


Twitter





Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D